//
archives

Archive for

Orçamento de Estado foi aprovado com a abstenção do PS


Parlamento

As bancadas da maioria aprovaram o Orçamento do Estado para 2012, com os cinco deputados da Madeira a alinhar no voto favorável, mas entregando declarações de voto (quatro do PSD, um do CDS).

No PS ninguém se levantou para declarar a intenção de entregar declarações de voto, à excepção de Carlos Zorrinho, líder parlamentar, que anunciou uma da bancada (a oficial). Deve ainda haver pelo menos mais uma de José Lello, que já o confirmou esta manhã à TSF.

O Parlamento repetiu a votação do Orçamento para as Grandes Opções do Plano (GOP) e o texto final da comissão de Orçamento e Finanças relativo à lei de enquadramento orçamental.

O diploma segue agora para Belém e, segundo a Constituição, após a sua receção o Presidente da República tem 20 dias para decidir sobre a sua promulgação.

Ainda de acordo com a Constituição, a apreciação preventiva da constitucionalidade pode ser requerida pelo chefe de Estado ao Tribunal Constitucional no prazo de oito dias.

In Diário de Notícias online
por David Dinis / Lusa
30/11/2011

Anúncios

Vídeo: as criancinhas divertem-se na AR


A AR em Portugal é uma espécie de infantário pago por todos os portugueses. Há a turma do bibe rosa, do azul, laranja, vermelho, e até dos verdes ( devem estar de castigo…. mas fazem barulho por uma turma de 50).

Recentemente um deputado confessou em pleno hemiciclo que “nós (do bibe azul) entre criminosos e as vitimas não temos dúvidas: estamos do lado dos criminosos”. Chamam-lhe lapso linguístico, uma gaffe. Eu chamo-lhe constatação de facto. Se julgarmos pelos inúmeros casos de políticos e ex-alunos daquela creche arguidos, acusados e alguns condenados em processos envolvendo crimes graves creio que o deputado em causa se limitou a dizer o que lhe ia na alma, ou pelo menos no subconsciente. Aquela coisa tramada que nos passa a perna de vez em quando.

Costuma dizer-se que as crianças não sabem mentir. E na Assembleia da república este mito é claramente desfeito. Em primeiro lugar porque a AR, aparentemente composta por pessoas maiores de idade, é no fundo pouco mais do que o recreio de uma escola onde crianças vestidas de adultos brincam, gozam uns com os outros, riem-se, fazem corninhos, ameaçam de pancada “lá fora” e insultam a mãe e tia dos outros coleguinhas. Em segundo porque ali se mente todos os dias.

Isto não seria triste se este grupo de pessoas não fossem as eleitas para nos representar e decidir o futuro de toda uma nação. Deputados dizem-se eles. Putos estúpidos digo eu. É só verem o vídeo. Divertido e deprimente.

 


In Expresso online
Tiago Mesquita (www.expresso.pt)
8:00 Quarta feira, 30 de novembro de 2011
[nota] – Fugiu-lhe a boca para a verdade… Já nem escondem de que lado estão, foda-se!!! [/nota]

Comida das escolas pode piorar com IVA a 23%


Alerta da DECO

Receios da DECO estendem-se também às cantinas sociais e às das empresas públicas, lembrando a associação que o último estudo em cantinas revelou uma melhoria na qualidade das refeições

A qualidade das refeições nas cantinas escolares e sociais pode baixar com o aumento do IVA para a taxa máxima de 23 por cento na restauração, alertou nesta terça-feira a associação de defesa dos consumidores DECO.

“Com este aumento é natural que as empresas fornecedoras das cantinas queiram uma revisão do preço e, não tendo o Estado [autarquias] dinheiro para aumentar a sua comparticipação, tememos uma diminuição da qualidade das refeições nas cantinas”, disse à Lusa o secretário-geral da associação, Jorge Morgado.

Os receios da DECO estendem-se também às cantinas sociais e às das empresas públicas, lembrando a associação que o último estudo em cantinas revelou uma melhoria na qualidade das refeições.

“Tudo isto é penoso, é voltarmos aos tempos dos nossos avós”, comentou Jorge Morgado.

O aumento da taxa de IVA para 23 por cento vai ter um “impacto enorme” na vida quotidiana dos consumidores, segundo a DECO, “principalmente” naqueles que trabalham nos grandes centros urbanos.

“O impacto na economia doméstica vai ser grande e vamos regressar ao passado da lancheira”, concluiu Jorge Morgado.

O Parlamento aprovou, por maioria, um aumento do IVA na restauração, entre outros produtos, que deixa de estar sujeita a uma taxa de 13 por cento, passando para 23 por cento, com votos contra de toda a oposição.

In Correio da Manhã online
29/11/2011 | 17h12

[aviso] – A merda é que quem não votou nestes sociais-fascistas merdosos tem de comer a merda que eles andam a plantar pelo País! Mas quando a fome começar a apertar… CUIDADO!!! pode ser que aí os mansos ACODEM DE VEZ! [/aviso]

Nova união nacional


Fio de prumo

Paulo Morais

O Orçamento do Estado de 2012 será aprovado, como sempre, pelo bloco central de interesses; desta vez, com os votos favoráveis da maioria e a cumplicidade do Partido Socialista, que assim patrocina, de forma envergonhada, um Orçamento que tanto critica.

A viabilização dos orçamentos de Estado, nos últimos anos, é uma tradição que sempre se cumpre. A pretexto dum exaltado sentido de responsabilidade, o unanimismo tem sido prática neste Parlamento, que faz lembrar a união nacional fascista.

Foi já com um “profundo sentido de Estado” que Manuela Ferreira Leite aprovou o orçamento de Sócrates, com os resultados catastróficos que se conhecem.

Foi ainda com base neste padrão de comportamento político que o PSD permitiu que Sócrates se mantivesse no poder, implementando os seus orçamentos e os sucessivos planos de estabilidade e crescimento, que apenas geraram instabilidade e não trouxeram qualquer crescimento.

Mudou o governo, mas mantém-se a lógica duma democracia incompleta, em que a oposição é coxa. O PS não constitui alternativa.

Comunistas e Bloco de Esquerda assumem-se como partidos de protesto, por razões de táctica eleitoral, para manterem o seu nicho de mercado político.

O Partido Comunista porque o seu eleitorado é demasiado ortodoxo e não pode contaminar-se com as políticas ditas de direita. O Bloco porque os seus apoiantes de classe média e idade também média se contentam em simular irreverência, para assim aliviarem a sua consciência.

Se governo e principal oposição coincidem nas opções, há alternância no poder, mas não há alternativa nas políticas.

As eleições servem então para quê? Apenas pa-ra decidir quem são os accionistas minoritários e maioritários do Estado português.

Os eleitores estão agora condenados a ter o PSD no poder, apoiado nessa muleta que é o CDS, e o Partido Socialista como conivente.

Em Portugal, instalou-se uma unicidade partidária doentia, abençoada pelo Presidente da República. O sistema político-partidário da terceira república esgotou-se.

In Correio d Manhã online
29/11/2011 | 01h00
Por:Paulo Morais, Professor Universitário

Maioria aprova subida do IVA para 23% nos restaurantes


E chumba todas as propostas da Oposição

Maioria chumbou uma proposta do PCP neste sentido, e as restantes acabaram por ficar prejudicadas, não chegando assim sequer a ser votadas

A maioria parlamentar aprovou, esta terça-feira, o aumento do IVA na restauração, entre muitos outros produtos, que deixa de estar sujeito a uma taxa de 13 por cento, passando para 23 por cento, com votos contra de toda a oposição.

A votação que decorreu esta terça-feira no Parlamento concretiza assim o aumento da taxa de IVA na restauração para os 23 por centro, mas também de muitos outros produtos, como as bebidas e as sobremesas lácteas, a batata fresca descascada, os refrigerantes, ou as manifestações desportivas (caso dos bilhetes para os jogos de futebol), entre outros, que passam de 6 para 23 por cento.

Com as normas aprovadas passam ainda de 13 para 23 por cento, as conservas de frutas, frutos e produtos hortícolas, óleos e margarinas alimentares, o café, pizzas e as refeições prontas a consumir, seja em regime de pronto a comer ou de entrega ao domicílio.

As águas de nascente ou águas minerais passam da taxa reduzida de 6 por cento para a intermédia de 13 por cento.

O ponto mais polémico foi mesmo o do aumento do IVA na restauração, que os partidos da oposição, em especial o PS, apresentaram diversas propostas para que este não subisse.

No entanto, a maioria chumbou uma proposta do PCP neste sentido, e as restantes acabaram por ficar prejudicadas, não chegando assim sequer a ser votadas.

O único ponto onde a maioria cedeu em matérias de produtos que sofrem aumento de IVA foi no IVA a que ficam sujeitas as actividades culturais, que em vez de subirem de 6 para 23 por cento, ficando-se pela subida para 13 por cento.

In Correio da Manhã online
29/11/2011 | 12h40

[aviso]  – Esta cambada de gatunos vai por o povo a pão e água! Salazar, o fascista, como é chamado pelos “democratas” da MERDA, era um anjinho ao pé desta escumalha! [/aviso]

Mota Soares substitui Vespa por carro de 86 mil


Governo

O ministro Mota Soares deixa o Audi à chegada a uma cerimónia oficial na semana passada, no Hospital Amadora-Sintra

Ministro garante que a compra de viatura de luxo foi ‘herança’ do Governo anterior.

Pedro Mota Soares, ministro da Solidariedade e Segurança Social, faz-se transportar num carro de luxo, cujo preço de venda ao público ronda 86 mil euros. Numa altura de cortes nos subsídios de Natal e de férias de funcionários públicos e pensionistas e em que se pede contenção aos portugueses, o ministro que, em Junho, se apresentou na tomada de posse do Governo liderado por Pedro Passos Coelho ao volante de uma Vespa desloca-se agora num carro novo, com matrícula de Julho de 2011.

Segundo apurou o Correio da Manhã, a viatura foi entregue ao abrigo de um contrato com a SIVA, empresa importadora das marcas Audi, Skoda, Volkswagen, Bentley e Lamborghini, e foi levantada pelo próprio ministro Pedro Mota Soares, num stand na zona Sul do Parque das Nações, em Lisboa.

A viatura, da marca Audi e modelo A7, de três mil cm3 de cilindrada, tem como preço base 53 mil euros. A inclusão de equipamento opcional (como pintura metalizada ou os bancos dianteiros comfort) ronda 4600 euros. A somar o valor dos impostos (29 mil euros), o total, para o público em geral, atinge 86 mil euros. A ‘bomba’ ao serviço do ministro da Solidariedade tem como velocidade máxima 250 km/h e ‘demora’ 6,3 segundos dos 0 aos 100 km/h.

Questionado pelo Correio da Manhã, fonte do gabinete do ministro Pedro Mota Soares explica que o carro “foi obtido através de um Aluguer Operacional de Viaturas (AOV) a 48 meses, negociado por concurso pela Agência Nacional de Compras Públicas”, acrescentando que “o concurso foi lançado e concluído pelo Governo anterior, sendo na altura, destinado a um secretário de Estado”.

Segundo o Ministério, “o ministro não dispunha de qualquer viatura, em virtude da anterior ter terminado o seu AOV, pouco depois da tomada de posse”.

A alternativa, esclarece a mesma fonte, “passava por uma forma de contratação mais cara que seria através do aluguer de uma viatura em rent-a-car”.

A mesma fonte do MTSS sublinha que o “procedimento foi única e exclusivamente realizado pela Agência Nacional de Compras Públicas” e não pelo Ministério agora tutelado por Pedro Mota Soares, um dos ministros do CDS-PP.

EX-MINISTRA TRAVOU RENOVAÇÃO

Dulce Pássaro, ministra do Ambiente no segundo Governo de José Sócrates, suspendeu em 2010 a renovação da frota automóvel da Águas de Portugal: a empresa pretendia adquirir 400 viaturas topo de gama, das marcas BMW, Renault e Citroën. A empresa, então presidida por Pedro Serra, já tinha substituído 34 carros em Setembro do ano passado. Pedro Serra e dois administradores continuam em funções até ao final deste mês.

EMEF GASTOU 237 MIL EUROS EM VIATURAS

A EMEF – Empresa de Manutenção de Equipamento Ferroviário – gastou este ano 237 mil euros em carros para directores. Mas os gastos exorbitantes com viaturas oficiais também são realizados a nível local. Em Setembro, Câmara Municipal de Alvaiázere fez-se notar pela compra de um Audi Q5 2.0 TDI, no valor de 54 mil euros. O presidente Paulo Tito Morgado (PSD) explicou então ao CM que a aquisição da viatura até representou uma poupança.

GESTORES DA CP COM CARROS DE LUXO

Apesar dos mais de 195 milhões de euros de prejuízo e uma dívida de 3,3 mil milhões de euros, os gestores da CP – Comboios de Portugal – transportam-se em viaturas de luxo que, em 2010, custaram mais de 55 mil euros em rendas.

Conforme o CM noticiou em Junho, José Benoliel, presidente do conselho de administração, Alfredo Vicente Pereira, vice-presidente, Nuno Moreira e Madalena Sousa, ambos vogais, contam cada um com um Mercedes E220 CDI Elegance. Cristina Dias, que é também vogal, utiliza um Mercedes E220 CDI Avantgarde.

In Correio da Manhã online
Por:André Pereira
28/11/2011

[nota] – Lá fora, então, é precisamente o contrário… O que prova, uma vez mais, que Portugal é um País rico e estes gajos são uns autênticos nababos!!! [/nota]

Jogam à bola com ‘equipamento reduzido’ no intervalo do Guimarães – Setúbal


Futebol








In Correio da Manhã online
28 Novembro 2011 – 21h54
[nota] – Ganda chicha… (a bola, claro!). Isto é que devia ser o futebol actual![/nota]

Subsídios de Férias e de Natal


Presidência do Conselho de Ministros e Ministério das Finanças e do Plano

Decreto-Lei n.º 496/80 de 20 de Outubro

O presente diploma vem regular de forma sistemática a atribuição dos subsídios de férias e de Natal ao funcionalismo público, satisfazendo uma necessidade que já se fazia sentir à data da publicação do Decreto-Lei n.º 204-A/79, de 5 de Julho.
Esclarecem-se pontos duvidosos relacionados com as datas de atribuição e cálculo dos respectivos montantes e inova-se substancialmente na parte respeitante a subsídio de férias. Em ambos os casos, sai reforçado o princípio da ligação dos subsídios ao tempo de serviço prestado, princípio esse que tem tradução muito nítida no regime aplicável quando se verifica suspensão ou cessação de funções.
Por outro lado, alarga-se o regime do subsídio de férias e de Natal, com as necessárias adaptações, ao pessoal das Casas Civil e Militar e do Gabinete do Presidente da República, dos Gabinetes dos membros do Governo e dos Gabinetes dos Ministros da República para os Açores e para a Madeira e define-se, quanto a ele, o respectivo regime de férias.
Assim:
O Governo decreta, nos termos da alínea a) do n.º 1 do artigo 201.º da Constituição, o seguinte:

CAPÍTULO I
Âmbito de aplicação

Artigo 1.º – 1 – O regime constante do presente diploma aplica-se:

a) Aos funcionários e agentes em efectividade de serviço, da Administração Central, Regional e Local e dos institutos públicos que revistam a natureza de serviços personalizados ou de fundos públicos;
b) Ao pessoal referido no artigo 1.º do Decreto-Lei n.º 210/80, de 5 de Julho;
c) Àqueles que ocupam cargos ou desempenham funções unicamente remuneradas por gratificação.

2 – O disposto no capítulo II é também aplicável ao pessoal que se encontre nas situações de desligado do serviço aguardando aposentação, reserva, aposentação ou reforma, bem como aos pensionistas a cargo do Ministério das Finanças e do Plano ou do Montepio dos Servidores do Estado.

CAPÍTULO II
Subsídio de Natal

Art. 2.º – 1 – O pessoal abrangido por este diploma tem direito a receber, em cada ano civil, um subsídio de Natal, pagável em Novembro, de montante igual ao vencimento da letra correspondente, acrescido das diuturnidades a que tenha direito no dia 1 daquele mês.
2 – O subsídio de Natal do pessoal referido na alínea c) do n.º 1 do artigo 1.º corresponderá ao montante da gratificação a que tenha direito igualmente em 1 de Novembro.
3 – O montante do subsídio de Natal do pessoal em tempo parcial ao abrigo do Decreto-Lei n.º 167/80, de 29 de Maio, será igual à remuneração auferida pelo exercício da actividade naquelas condições, com observância do disposto no n.º 1.
4 – Nos restantes casos de trabalho em tempo parcial, o subsídio será de quantitativo correspondente ao produto do número médio de horas mensais de trabalho, realizadas em cada ano civil até 31 de Outubro, pelo valor da remuneração-hora calculada com referência ao vencimento da letra.

Art. 3.º – 1 – No caso de acumulação de funções, quer de natureza pública, quer privada, o subsídio de Natal será estabelecido apenas em relação ao cargo a que corresponda a remuneração mais elevada.
2 – O pessoal referido no n.º 2 do artigo 1.º que exerça funções públicas remuneradas deverá optar entre o subsídio que lhe competir em razão do exercício de tais funções e aquele a que tem direito nos termos do artigo 8.º

Art. 4.º – 1 – No primeiro ano civil em que é prestado serviço no âmbito da função pública em termos que confiram direito à atribuição de subsídio, este será de valor correspondente a tantos duodécimos quantos os meses de serviço completos que vierem a perfazer-se até 31 de Dezembro, contando-se para o efeito os meses de calendário, sem prejuízo do disposto no n.º 2 do artigo 18.º
2 – O disposto no número anterior aplicar-se-á nos casos da interrupção de funções com quebra de vínculo funcional, seguida de nova admissão na função pública.

Art. 5.º – 1 – No ano em que se verifique uma suspensão de funções durante a qual não seja abonado vencimento, o montante do subsídio equivalerá a tantos duodécimos quantos os meses completos de serviço prestados nesse ano.
2 – Nos casos previstos no número anterior, o subsídio será abonado com o último vencimento pago ou, em caso de impossibilidade, nos sessenta dias subsequentes, e calcular-se-á com base na remuneração auferida à data da suspensão se o trabalhador não estiver em efectividade em 1 de Novembro.

Art. 6.º Aos funcionários e agentes que, em comissão de serviço ou requisição, forem chamados a exercer funções em entidades submetidas a um regime diferente do vigente na função pública será aplicável a disciplina prevista no artigo anterior, salvo se tiverem optado pelo estatuto remuneratório do lugar de origem.

Art. 7.º – 1 – Os funcionários e agentes que cessem definitivamente funções, com excepção dos referidos no n.º 2 do artigo seguinte, terão direito a receber, na data dessa cessação, um subsídio de valor correspondente a tantos duodécimos quantos os meses de serviço completos prestados nesse ano, o qual se aferirá pelo último vencimento auferido.
2 – O disposto no número anterior é igualmente aplicável ao pessoal referido na alínea b) do n.º 1 do artigo 1.º que não se encontre vinculado, por qualquer título, à função pública, quando lhe não seja aplicável o regime dos n.os 3 e 4 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 719/74, de 18 de Dezembro, na redacção que lhe foi dada pelo Decreto-Lei n.º 669/75, de 25 de Novembro.

Art. 8.º – 1 – O subsídio de Natal do pessoal referido no n.º 2 do artigo 1.º corresponderá ao montante da pensão a que tenha direito em 1 de Novembro, salvo o disposto no número seguinte.
2 – No ano de passagem à inactividade por motivo de aposentação ou reforma, ou por ter sido desligado do serviço aguardando aposentação, o subsídio de Natal desse pessoal será de montante igual ao que lhe seria atribuído se, à data de 1 de Novembro, estivesse em exercício efectivo de funções, independentemente da entidade processadora.

Art. 9.º Os herdeiros dos funcionários e agentes falecidos antes da data do pagamento do subsídio poderão a ele habilitar-se nos termos em que o fazem para o subsídio por morte, sendo o seu montante determinado de acordo com o critério estabelecido no artigo 7.º

CAPÍTULO III
Subsídio de férias

Art. 10.º Ao pessoal na efectividade de serviço será atribuído, em cada ano civil, um subsídio de férias pagável por inteiro no mês de Junho.

Art. 11.º – 1 – O subsídio de férias será de montante igual à remuneração correspondente aos dias de férias que os funcionários e agentes tenham direito a gozar em cada ano civil.
2 – No cálculo do subsídio abrange-se apenas o vencimento da letra correspondente e as diuturnidades a que os funcionários e agentes tenham direito na data em que iniciam o gozo das férias.
3 – Aplica-se ao subsídio de férias em regime de tempo parcial o disposto nos n.os 3 e 4 do artigo 2.º

Art. 12.º Os funcionários e agentes que exerçam cumulativamente outros cargos ou funções, quer de natureza pública, quer privada, apenas têm direito ao subsídio de férias relativo ao cargo ou função a que corresponda a remuneração mais elevada.

Art. 13.º Se os funcionários e agentes chamados a prestar serviço militar obrigatório não tiverem exercido o direito a férias no ano da incorporação, ser-lhes-á atribuído pelos serviços de origem o correspondente subsídio de férias calculado nos termos do n.º 2 do artigo 1.º com base no vencimento do mês anterior ao da incorporação, durante o qual lhes será abonado.

Art. 14.º – 1 – A suspensão de funções com perda de vencimento não prejudica a atribuição do subsídio, que, se nesse ano não forem gozadas as férias, será pago com o vencimento do mês anterior àquele em que ocorrer a suspensão ou, em caso de impossibilidade, nos sessenta dias subsequentes.
2 – No ano do regresso à efectividade de serviço, o montante do subsídio será o que resultar da aplicação do n.º 1 do artigo 11.º

Art. 15.º A disciplina prevista no artigo anterior é aplicável aos funcionários e agentes que, em comissão de serviço ou requisição, forem chamados a exercer funções em entidades sujeitas a regime diferente do vigente na função pública e não tenham optado pelo estatuto remuneratório do lugar de origem.

Art. 16.º – 1 – Os funcionários e agentes que cessem definitivamente funções terão direito a receber com o seu último vencimento:

a) O subsídio de férias correspondente ao período de férias vencido nesse ano, se ainda o não tiverem recebido;
b) O subsídio de férias correspondente aos meses de serviço completos prestados no ano da cessação, de montante equivalente a dois dias e meio de remuneração por cada mês de serviço.

2 – No cálculo do subsídio de férias do pessoal referido no n.º 2 do artigo 1.º que não se encontre vinculado, por qualquer título, à função pública, quando lhe não seja aplicável o regime dos n.os 3 e 4 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 719/74, de 18 de Dezembro, na redacção do Decreto-Lei n.º 669/75, de 25 de Novembro, é aplicável o disposto na alínea b) do número anterior.

CAPÍTULO IV
Disposições finais

Art. 17.º Os subsídios de Natal e de férias são inalienáveis e impenhoráveis.

Art. 18.º – 1 – Para efeitos deste diploma, entende-se que o funcionário ou agente se encontra em serviço efectivo em todas as situações em que lhe é abonado o vencimento de categoria, salário ou gratificação.
2 – Para os mesmos efeitos, considerar-se-á como mês completo o período de duração superior a quinze dias que restar no cômputo, em meses, do tempo de serviço, salvo nos casos de cessação definitiva de funções por motivo de demissão e de aposentação compulsiva.

Art. 19.º O pessoal referido na alínea b) do n.º 1 do artigo 1.º tem direito a quinze dias de férias após cada seis meses completos de serviço quando, nos termos da lei geral do funcionalismo público, não tenha, nesse ano, direito a férias.

Art. 20.º As dúvidas resultantes da aplicação do presente diploma serão resolvidas por despacho do membro do Governo responsável pela função pública, que será conjunto com o do Ministro das Finanças e do Plano em matérias de competência deste.

Art. 21.º – 1 – Sem prejuízo do disposto no n.º 2, o presente diploma entra em vigor no dia 1 do mês seguinte ao da sua publicação.
2 – O disposto nos artigos 7.º, 8.º e 16.º é aplicável aos casos de cessação definitiva de funções verificadas desde 1 de Janeiro do ano em curso.

Visto e aprovado em Conselho de Ministros de 30 de Julho de 1980. – Francisco Sá Carneiro.
Promulgado em 10 de Outubro de 1980.
Publique-se.
O Presidente da República, ANTÓNIO RAMALHO EANES.

[aviso] – Isto que está aí em cima, é para todos os FDP que andam pelos online fabricando uma guerra entre funcionários públicos e privados. Para todos os FDP fascistas que culpam a “esquerdalha” de terem a culpa de Portugal chegar ao estado a que chegou! Até parece que TODOS os (des)governos desde Mário Soares a este Pinóquio II de última escolha pertencem à esquerda… PS de esquerda? O PS passou para a direita logo o Mário Soares meteu o seu “socialismo” na gaveta e mandou à merda Marx e Engels, os ideólogos do partido em 74! Esta escumalha precisava de ser varrida do País! [/aviso]

Freitas critica “ditadura” franco-alemã de “Mercozy”


Crise/Zona Euro

Há "um conjunto de países democráticos governados por uma ditadura de cima para baixo", diz Freitas do Amaral # Fotografia © Arlindo Camacho / Global Imagens

O ex-ministro dos Negócios Estrangeiros Diogo Freitas do Amaral considerou hoje que a União Europeia vive sob uma “ditadura” franco-alemã e que estes dois países lideram contra princípios democráticos e em “pura ilegalidade”.

Numa conferência sobre os 25 anos da adesão de Portugal à União Europeia, o antigo governante e fundador do CDS teceu críticas aos dirigentes europeus e à sua actuação face à crise, mas foi especialmente duro relativamente à chanceler alemã, Angela Merkel, e ao presidente francês, Nicolas Sarkozy.

Freitas do Amaral condenou as “intervenções de Bruxelas” e de “um ser híbrido a que chamam ‘Merkozy'” nos orçamentos e na condução das políticas nacionais, afirmando que isso “não é federalismo, nem democrático”.

“Isso é uma pura ilegalidade geral na União Europeia, não se respeitam as competências nem do Conselho, nem da Comissão, nem do Parlamento Europeu”, disse.

Na opinião de Freitas, hoje há “um conjunto de países democráticos governados por uma ditadura de cima para baixo”.

“É capaz de ser imperialismo, hegemonia, colonialismo, protectorado, mas o que temos é uma ditadura de dois chefes de estado ou de governo a mandar em dezenas de países”, reforçou.

“Tudo bem se estiver nos tratados e se as autoridades que nos fazem essas imposições tiverem sido eleitas democraticamente. Desculpem-me esta nota de pessimismo, mas isto é o contrário do sonho, é o pesadelo”, rematou.

Na sua intervenção, o catedrático da Universidade de Direito disse ter sido sempre um defensor do federalismo europeu e revelou ter sonhado com uma Europa “grande”, que pudesse “dialogar quase de igual para igual com os Estados Unidos e a Rússia”.

Freitas considerou ainda que a União Europeia não soube evoluir a nível político como evoluiu ao nível do Direito e judicial.

O antigo governante defendeu um “federalismo democrático”, onde, por “sufrágio directo e universal”, os cidadãos pudessem eleger um primeiro-ministro a nível comunitário, e também um reforço da Comissão face ao Conselho Europeu.

“Sei que já não vai ser na minha vida”, concluiu.

In Diário de Notícias online
por Lusa
28/11/2011

[nota] – Nunca, mas nunca um dia pensei em concordar com este personagem! Faço-o hoje, pela primeira vez depois de 37 anos… [/nota]

Capital financeiro vai provocar ‘revolução dos escravos’


Vasco Lourenço

Vasco Lourenço espera grandes convulsões sociais # Fotografia © João Girão / Global Imagens

O capital financeiro está “cego” e numa “insaciável corrida para o precipício” que vai provocar convulsões muito fortes na sociedade e a “revolta dos escravos”, afirmou hoje o presidente da Associação 25 de Abril, Vasco Lourenço.

Em declarações à Lusa em Madrid, Vasco Lourenço considerou que a cidadania está “extraordinariamente descontente e descrente em relação aos dirigentes” políticos, que “perderam prestigio”.

“Mais grave do que a crise económica e financeira é a crise dos valores, do descrédito dos dirigentes políticos. E isso tem-se vindo a acentuar ainda mais”, afirmou.

Uma situação, considerou, que se agravou, desde que, nas celebrações do 25 de Abril, afirmou que “os dirigentes políticos se vendiam ou deixavam comprar pelo poder capitalista e financeiro”.

“Neste momento o capital financeiro já nem precisa de comprar os políticos, substitui-os por funcionários seus, foi o que aconteceu na Grécia e na Itália. Esperemos que não se passe em Portugal ou em Espanha”, disse.

Considerando que o capital financeiro “está insaciável, numa corrida para o precipício”, Lourenço considera que essa tendência “vai provocar convulsões muito fortes nas sociedade”.

Uma “revolta dos escravos” por parte de uma sociedade para quem “é impensável que a situação possa continuar como está”.

“O capital financeiro está cego, quer mais poder e está a destruir tudo aquilo que ao longo de anos, e foram mais de 100 anos, se construiu para equilibrar o capital e o trabalho. Estão a destruir tudo”, disse.

“A minha convicção é de que vai haver uma grande convulsão e uma revolução qualquer. Não falo em termos portugueses, mas internacionais, nomeadamente no mundo internacional.

Apesar da sua preocupação, Vasco Lourenço rejeita a ideia de um qualquer levantamento militar, considerando “descontextualizados” comentários sobre essa possibilidade.

“Fazem-se afirmações que não são bem compreensíveis e que levam até ao desvio das atenções. Há que ter cuidado com isso. Há que estar atento, e os militares têm que estar atentos, como ultima salvaguarda do Estado e da democracia. Mas espero que não se deixem embarcar em aventuras complicadas”, disse.

“Tem que ser a cidadania civil a reagir. Quando são os militares a reagir fazem-no em situações extremas e essas há que as tentar evitar.

Vasco Lourenço falou à Lusa à margem do encontro “Memória militar e valores constitucionais na Península Ibérica”, promovido pela Associação 25 de Abril e pelo Fórum Milícia e Democracia (espanhol) e que decorre no Centro de Estudos Políticos e Constitucionais em Madrid.

Para Vasco Lourenço, o 25 de Abril teve um papel vital no processo de transição de Espanha e o poder “recordar a memória” ibérica destes momentos é importante, especialmente dadas as situações atuais.

“Sem memória, sem a memória do passado bem presente é difícil conquistar o futuro”, disse.

“Principalmente numa altura em que se questiona a constituição, quem a queira meter entre parênteses, é bom relembrar os valores constitucionais e a importância que devem ter num qualquer estado”, considerou.

O encontro conta, entre outros, com a participação do ex-presidente da República, Mário Soares e do fundador do Partido Comunista Espanhol, Santiago Carrillo.

In Diário de Notícias online
por Lusa
28/11/2011

[aviso] – O que isto está a pedir é uma Revolução mas a sério, sem cravos nos canos das G3, pá! Esta cambada de gatunos aproveitou-se do 25’Abr’74 para encherem a pança deles, dos familiares, dos amigos e compadres e escravizarem o Povo! Andavam de mão atrás e outra à frente, aterraram na política, é vê-los pançudos, salários e mordomias de milhares e milhares de euros, contas em off-shores… Ainda falta muito ó Vasco Lourenço? [/aviso]

O Audi A7 de Mota Soares está dentro dos limites previstos pela lei?


O ministro da Segurança Social # fotografia: Gustavo Bom

Quanto é que pode custar o carro de um ministro ao Estado? Ou do presidente da República. O valor máximo para a aquisição de viaturas do Estado é de 100 mil euros e destina-se a carros familiares destinados à função de representação. Este valor está inscrito na tabela de critérios financeiros que determinam as regras para a aquisição de carros destinados ao Parque de Veículos do Estado (PEV).

A compra de carros para funções de representação, como os que estão atribuídos aos ministros, são regra geral de carros familiares, cujos preços estão balizados entre 37 mil e os 100 mil euros. A rendas máximas a pagar pelo Estado para estas viaturas, designadamente em contratos de leasing, são entre 600 (para os mais baratos) e 1500 euros por mês (para os mais caros). Para os carros afectos aos serviços gerais do Estado, os preços de aquisição vão dos 22 mil euros (derivados de turismo) até aos 75 mil euros (todo-o-terreno). Classificações

Os veículos do Estado são classificados, mediante a sua utilização, como carros de representação, destinados à execução de serviços cuja solenidade justifique o seu uso, bem como ao transporte das seguintes entidades:
– Presidente da República
– Presidente da Assembleia da República
– Primeiro –Ministro

Outros membros do Governo ou entidades que por lei lhes sejam equiparáveis;

– Presidentes do Supremo Tribunal de Justiça, do Tribunal Constitucional, do Supremo Tribunal Administrativo do Tribunal de Contas
– Procurador -Geral da República;
– Provedor de Justiça
– Representantes da República para as Regiões Autónomas dos Açores e da Madeira
– Presidentes dos Tribunais da Relação e dos tribunais equiparados
– Governadores civis

Mota Soares chegou de Vespa à cerimónia de tomada de posse # Fotografia © Steven Governo / Global Imagens

In Dinheiro Vivo online
28/11/2011 | 15:31

[aviso] – Estava a ver que este nunca mais se descosia com a “humildade” em andar de Vespa… Outro que foi contagiado pelos parceiros do (des)governo… Um ministro andar de Vespa? Foda-se! Que mau exemplo quando todos andam de BMW, Audi, Mercedes, etc. … Este devia ser considerado a ovelha ranhosa lá do molhe… [/aviso]

Aprovados cortes nos subsídios a partir de 1100 euros


Orçamento

Reflexão foi feita este fim-de-semana e levou o PSD a reunir de emergência esta manhã

A proposta de alteração da maioria parlamentar PSD/CDS para aplicar o corte dois subsídios, férias e Natal, a partir de rendimentos de 1100 euros, na Função Pública e para pensionistas, foi esta segunda-feira aprovada no Parlamento. O PS votou contra neste ponto e absteve-se no aumento do tecto a partir do qual se aplica a suspensão parcial do corte nos subsídios.

A alteração surgiu esta manhã, com o PSD e CDS a avançarem também que o corte de um dos subsídios só se aplicará entre acima dos 600 euros e os 1100 euros mensais. Inicialmente, o tecto para os cortes aplicava-se a partir dos 485 euros.

Na prática, 1, 9 milhões de pensionistas passam à margem dos cortes.

No PS, a deputada Isabel Moreira votou contra.

A reflexão foi feita este fim-de-semana e levou o PSD a reunir de emergência esta manhã.

Em causa estão menos 130 milhões de euros que entram nos cofres do Estado. Para compensar esta perda, a maioria propôs o aumento das taxas sobre as mais valias. Actualmente é de 21,5% e passará para 25%. Também esta proposta já foi aprovada.

In Correio da Manhã online
28/11/2011 | 12h33
Por:Cristina Rita

Jornalista da TVI insultado por Pinto da Costa e agredido


No Estádio do Dragão

O episódio ocorreu numa zona do Estádio do Dragão vedada ao público

Um jornalista da TVI foi agredido no Estádio do Dragão por um elemento do staff do FC Porto, já depois de ter sido insultado por Pinto da Costa, A situação, que aconteceu após o final do jogo entre a equipa azul e branca e o Sp. Braga (3-2), foi revelada domingo à noite no programa ‘Maisfutebol Jornada’, da TVI.

Segundo o relato a TVI, tudo sucedeu numa zona do Estádio do Dragão vedada ao público. De acordo com testemunhas, o jornalista Valdemar Duarte, que narrou a partida em directo, foi abordado por Pinto da Costa depois de descer da tribuna de imprensa. Então, terá sido insultado pelo presidente do FC Porto e agredido por um dos elementos do staff do clube que acompanhava o líder dos dragões.

Mais à frente, junto à entrada da sala de imprensa, seguranças ameaçaram fisicamente o jornalista, pressionando-o para que abandonasse de imediato o recinto. As ocorrências foram comunicadas a elementos da Polícia de Segurança Pública em serviço no Estádio.

In Correio da Manhã online
28/11/2011 | 12h20

[aviso]  – Esses palhaços de merda, morcões do karalho, quando dão os jogos do Benfica pela SportTV, são uma autêntica vergonha os comentários dos porcos ao serviço do clube corrupto do porto e agora, como putas ofendidas vêm armados em paladinos da verdade! Este Porco da Bosta está tão bem protegido como estão bem protegidos todos os corruptos da política. É tudo a mesma bosta, putrefacta que ninguém tem colhões no sítio para os por na sanita e puxar o autoclismo! [/aviso]

Adeptos do Sporting detidos são membros de grupo neonazi


LUZ/VIOLÊNCIA

Cerca de 20 elementos da claque do Sporting 1143 recusaram-se a entrar na caixa de segurança. Dois vão hoje a tribunal.

O polémico grupo sportinguista 1143, conhecido pela sua conotação neonazi e por ter sido dirigida pelo skinhead Mário Machado, actualmente detido por vários crimes violentos, voltou a criar problemas no sábado, antes do Benfica-Sporting, da 11.ª jornada da Liga e que terminou com a vitória dos encarnados, por 1-0.

Cerca de 20 elementos recusaram-se, ostensiva e agressivamente, a integrar a “caixa de segurança” – estrutura que o clube da Luz estreou e que tem por objectivo isolar os adeptos do clube visitante – e a PSP encaminhou-os para os “calabouços” policiais que existem no estádio, onde ficaram até ao final do jogo. Dois dos membros do 1143 foram alvo de processo-crime por danos no acrílico da bancada e vão hoje a tribunal.

In Diário de Notícias online
27/11/2011

Ministro da Administração Interna lamenta incidentes


Benfica-Sporting

O Ministro da Administração interna lamentou hoje os incidentes registados no sábado no jogo de futebol entre Benfica e Sporting, disputado no estádio da Luz, em Lisboa.

A PSP efectuou três detenções e identificou 24 pessoas no âmbito da operação policial para o jogo de futebol entre Benfica e Sporting, e após o jogo, deflagrou um incêndio nas bancadas do estádio do Benfica, que foi dado como extinto cerca das 23:20.

Hoje, em Almeida, à margem da inauguração do novo quartel dos bombeiros locais, o ministro da Administração Interna, Miguel Macedo, lamentou os incidentes.

“É triste e lamentável que assim aconteça, temos trabalhado todos, forças de segurança, Liga de Clubes, os próprios clubes, no sentido de aprimorar as condições de segurança”, disse.

No entanto, Miguel Macedo referiu que a segurança nos estádios de futebol também depende “do comportamento de cada um”. “Infelizmente, há pessoas que ainda não sabem comportar-se no quadro de um espectáculo tão bonito quanto é o futebol”, declarou.

Em relação à actuação das forças de segurança durante o jogo, o governante considerou que “as coisas não correram mal”, não fazendo mais comentários por desconhecer “todos os contornos da situação”.

O Sporting perdeu o jogo por 0-1 no terreno do Benfica, em jogo da 11.ª jornada da Liga de futebol.

Fotografia © Marcos Borga /Reuters

foto Jorge Amaral/Global Imagens

foto Steven Governo/Global Imagens

foto Steven Governo/Global Imagens

foto Marcos Borga/Reuters

foto PATRICIA DE MELO MOREIRA/AFP

foto Álvaro Isidoro/Gobal Imagens

In Diário de Notícias online
por Lusa
27/11/2011
Fotografia © Marcos Borga /Reuters

[aviso] – Os FDP dos viscondes rascas ainda têm a lata de falarem mal do Benfica! O que é isto que se vê mas imagens? Acções perpetradas por autênticos macacóides cujos neurónios desapareceram há muito e que mereciam não a “jaula” que eles chamaram a um espaço existente já em muitos dos maiores estádios da Europa – porque infelizmente macacóides há em todo o lado -, mas serem deportados para a selva africana junto dos seus irmãos macacos… [/aviso]

O sacrifício no recibo


Coisas do Dinheiro

Armando Esteves Pereira

Este mês, milhões de portugueses olham para o recibo de ordenado onde deve constar o subsídio de Natal e descobrem que o Fisco lhes leva a fatia de leão com a nova sobretaxa aplicada por Vítor Gaspar.

Não é preciso ter-se um salário milionário para metade do bolo pago pelo patrão ficar para o Estado (IRS e desconto para Segurança Social). Se ao menos este brutal sacrifício resolvesse os problemas do País, valia a pena pagar o imposto. Mas tragicamente a sobretaxa chega apenas para pagar uma parcela pequena dos juros. Mesmo no próximo ano, com aumento previsto da carga do IRS, os juros da dívida pública levarão mais de 90% da receita deste imposto. E a maioria do dinheiro dos juros vai para o estrangeiro.

A pergunta que o deputado Honório Novo, do PCP, fez ao Governo teve uma resposta que surpreendeu muitos portugueses. Em comissões e juros, a ajuda da troika vai-nos custar 35,1 mil milhões de euros, cerca de 3500 euros por cada cidadão. É uma pesada factura, mas ninguém nos empresta mais barato.

Há muitos patrões e poucos empresários no País a quem a empresa paga tudo: desde ferraris a casamentos dos filhos e jóias da amante. Carlos Costa arrasou este tipo de gestão.

In Correio da Manhã online
27/11/2011 | 01h00
Por:Armando Esteves Pereira, Director-Adjunto

S.L. Benfica 1 – Sporting C.P. 0


http://rd3.videos.sapo.pt/play?file=http://rd3.videos.sapo.pt/VZgsFC87zS3S5qMBw6Zq/mov/1&color=0x000000&frame=ROUND

PGR devia abrir inquérito à actuação “desproporcionada” da polícia


PSP/agressões

Um responsável da Plataforma 15 de Outubro, que integra o movimento dos indignados, defendeu hoje que o Procurador-geral da República (PGR) devia abrir um inquérito na sequência do vídeo relativo às agressões “desproporcionadas” da PSP a um jovem alemão.

Em declarações à agência Lusa, Renato Guedes, da Plataforma 15 de Outubro, considera que as imagens, que percorrem a Internet e as redes sociais, são elucidativas da “actuação vergonhosa” de vários agentes policiais contra um jovem alemão de 21 anos, no seguimento da manifestação realizada junto do Parlamento no dia da greve geral.

O membro da Plataforma 15 de Outubro defende ainda que o inquérito da Procuradoria-Geral da República (PGR), enquanto garante da legalidade democrática, devia estender-se à actuação da PSP logo no início do dia da greve, ao impor aos piquetes de greve o que “podiam ou não podiam fazer”.

“Há uma subversão do Estado de Direito democrático”, argumentou Renato Guedes, lembrando que também na anterior manifestação do Rossio houve erros na actuação policial, que terminaram com a absolvição de dois jovens detidos na ocasião por alegados insultos à autoridade.

Quanto às informações policiais, veiculadas pela imprensa, de que o jovem alemão está referenciado pela polícia dos dois países e que é uma pessoa perigosa, o membro da Plataforma 15 de Outubro respondeu que “até agora o que existe são boatos” que servem de “cortina de fumo” para tapar a actuação “vergonhosa” da polícia, de que as imagens em vídeo não permitem desmentir.

Renato Guedes diz desconhecer que factos concretos são imputados ao jovem alemão, cujo julgamento por alegada agressão à autoridade, resistência e desobediência foi adiado para 06 de Dezembro, uma data bem distante dos acontecimentos.

Alem do cidadão alemão, na quarta-feira foram também detidas mais seis pessoas, uma das quais uma francesa de 16 anos.

Aquele membro da Plataforma 15 de Outubro referiu que a “polícia tem o monopólio da violência” e que a sua utilização tem sempre que ser “justificada”, o que no caso do jovem alemão não aconteceu, pois foi “desproporcionada”, independentemente da campanha mediática em contrário desenvolvida pela PSP.

Entretanto, a PSP já anunciou a abertura de um inquérito interno de averiguações sobre o caso.

A Plataforma 15 de Outubro, formada na sequência do protesto realizado nessa data nas escadarias da AR, reúne-se domingo à tarde, estando em discussão a análise deste e de outros acontecimentos e a realização de ações futuras.

A Lusa tentou obter um comentário da PSP, mas até ao momento tal não foi possível.

In Destak online
26 | 11 | 2011 13.29H
Destak/Lusa | destak@destak.pt

[aviso] – Desconheço se esse jovem alemão é anarca, se tem registo criminal na Alemanha por distúrbios, bla, bla, bla, mas o facto é que aqui, neste quintal plantado à beira mar, é UM FACTO indesmentível que a Polícia de Choque, à boa maneira dos velhos tempos do Estado Novo salazarista, CARREGA À BASTONADA sobre manifestantes INDEFESOS que apenas pretendem mostrar a sua indignação perante o rumo que o País está a levar! E isso ninguém pode desmentir porque as cargas policiais estão bem documentadas. Se até a própria polícia usou canhões de água contra a “outra” polícia na manif dos Secos e Molhados de triste recordação… o que mais há para acrescentar?[/aviso]

Novembro 2011
S T Q Q S S D
« Out   Dez »
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
282930  

Sondagem

REVISÃO DE TEXTOS



Todos os textos aqui inseridos, são corrigidos para a Língua Portuguesa de antes do acordo ortográfico.

Mentiroso…!!!

visitas

Map

visitas desde 17/08/2011

artigos interessantes…

... não só pelos conteúdos, como pelos comentários que demonstram o que esta canalha política no poder (e não só) merece da maioria dos portugueses...

- Diário de Notícias: Cavaco sublinha importância da coesão nacional

- Diário de Notícias: Electricidade da Madeira desmente novo 'buraco'

- Expresso: Jardim diz que não se arrepende do endividamento

Os responsáveis pela derrocada de Portugal

Mário Soares - 9 de Junho de 1983 - 6 de Novembro de 1985

Cavaco Silva - 6 de Novembro de 1985 - 28 de Outubro de 1995

António Guterres - 28 de Outubro de 1995 - 6 de Abril de 2002

Durão Barroso - 6 de Abril de 2002 - 17 de Julho de 2004

Santana Lopes - 17 de Julho de 2004 - 12 de Março de 2005

José Sócrates - 12 de Março de 2005 - 21 de Junho de 2011

Passos Coelho - desde 21 de Junho de 2011

promessas do passado…

C E N S U R A

A partir desta data e tal como já foi exercido com outro online, este Blogue deixará de inserir notícias publicadas no Correio da Manhã online, dado que ontem foram deixados 3 comentários naquele online que não foram publicados e que se encontravam completamente dentro das regras exigidas pelo jornal nesta matéria.

Notícias Bravas
12.09.2011

salários mínimos na Europa

Bulgária € 123,00
Roménia € 153,00
Polónia € 281,00
PORTUGAL € 525,00
Grécia € 628,00
Espanha € 728,00
Reino Unido € 1.010,00
França € 1.321,00
Bélgica € 1.387,00
Irlanda € 1.462,00
Luxemburgo € 1.642,00

valores calculados sobre 14 meses
(incluem férias e 13º. mês)

E já que falam tanto em colocar Portugal ao mesmo nível dos países da UE, esqueceram-se da igualdade do salário mínimo?

Portugal fora da U.E.

frases ao acaso…

- Impressionante como Portugal não apresenta novos quadros na política e no seu grande empresariado. Onde estão os jovens portugueses? Ouvir um mesmo Cavaco e Silva há mais de três décadas é dose. Um Mário Soares, um Ramalho Eanes (esse ainda está vivo?), é brincadeira. Juventude lusitana assumam logo seu país antes que esses incompetentes o levem à derrocada total. Vejo diariamente a SIC e fico impressionado com o quadro político que se apresenta do continente à Madeira e Açores. Os comentários intermináveis e inócuos no programa "Quadratura do Círculo". O nome diz tudo: Umas bestas quadradas vociferando asneiras em círculo que não levam a lugar algum. Triste ver a nação de Camões, da Escola de Sagres, da Universidade de Coimbra acabar assim.

- Este Governo age como autêntico capataz da Srª. Merkel e Sr. Sarkozy. É o próprio Governo a dizer que os Portugueses têm que fazer sacrifícios, tem que ir para além da troika, para a Srª Merkel e o Sr. Sarkozy ficarem satisfeitos. E para agradar aos olhos daquelas duas personagens, este Governo submete os Portugueses a uma política que não leva a lado nenhum se o objectivo é pagar a dívida. Mas como o que interessa é o sorriso das tais personagens, este Governo optou por medidas de fazer sangue e quando o faz há quem corra para junto de Merkel e de Sarkosy a perguntar se está bem assim ou querem com mais sangue? São pacotes de austeridade atrás de pacotes de austeridade, são impostos directos acompanhados com cortes de vencimentos e como ainda acham,o Governo, que os Portugueses ainda ficam com uns trocos para matar a fome lá vêm com impostos indirectos... O simples cidadão está ensanduichado e sufocado em impostos...
O que este Governo condenou o anterior está a fazer ainda pior e sem se importar com políticas sociais e económicas... O que interessa a este Governo é que Merkel sorria de satisfação, bata palmas a este espectáculo de circo romano onde os Portugueses foram atirados às feras. O Governo fica sempre satisfeito com o seu desempenho quando Merkel bate palmas!!!!
Não temos um Governo inovador para contornar a crise ao serviço dos Portugueses, temos sim um capataz/carrasco ao serviço de quem lhes passa as mãos pelas costas!

- O povo português não é todo estúpido, subserviente e ignorante, temos de calar esta gente sem escrúpulos que manda trabalhar e nada faz pelo país, gente vendida ao capitalismo internacional. A paciência tem limites e o desespero já começa a fazer comichão nas palmas das mãos, prontas para distribuir chapada por esta gentalha miserável e oportunista que reduziu uma nação soberana a uma coutada de meia dúzia de atiradores furtivos que gosta de gozar com a cara de quem ainda acredita no seu país. O melhor é mudarem de discurso senão tudo pode acontecer e os responsáveis por isso terão de fazer as malas e bater com os calcanhares no traseiro.

- Num País de aldrabões e corruptos, nada é demais!!... Vale tudo, até tirar olhos!!! Fazem o que querem e o Povo consente!!! Aqui é que está o mal!!... É o Povo consentir toda esta bagunça e esperar pelo dia D, da sua desgraça!!! Mas, alguma vez existe alguma legislação ou Lei ou seja lá o quê, credível neste País!!! Só nos resta a natureza que essa mão falha!!! Para o ano, serão também taxados os Subsídios de Férias e de Natal, até nos levarem à depressão e ao suicídio!!! Só a INSURREIÇÃO será a solução, nada mais!!! E O POVO PÁ!!!!

- "Portugal é hoje um paraíso criminal onde alguns inocentes imbecis se levantam para ir trabalhar, recebendo por isso dinheiro que depois lhes é roubado pelos criminosos e ajuda a pagar ordenados aos iluminados que bolsam certas leis".

- Farto deste sistema de merda que nos engole
Farto destes políticos a coçar os colhões ao sol
Farto de promessas da treta
Sobem ao poder metem as promessas na gaveta
Farto de ver o país parado como uma lesma
Ver as moscas mudarem e a merda ser a mesma
Farto de miséria, o povo na pobreza
Uns deitam a comida fora, outros não a têm à mesa
Farto de rótulos, estigmas e preconceitos
Abrir os olhos e ver que não temos os mesmos direitos
Farto de mentiras, farto de tentar acreditar
Farto de esperar sem ver nada a melhorar
Farto de ser a carta fora do baralho
Farto destes cabrões neste sistema do caralho
Não te iludas ninguém quer saber de ti
Todos falam da crise mas nem todos a sentem
Muitos com razão, mas muitos deles apenas mentem
Crimes camuflados durante anos a fio
Tavam lá todos eles mas ninguém viu
Não foi ninguém, ninguém fez nada,
E se por acaso perguntarem ninguém diz nada
Farto de ver intocáveis saírem impunes
Dizem que a justiça é para todos mas muitos são imunes
Dois pesos, duas medidas
Fazem o que fazem, seguem com as suas vidas
Para o povo não há facilidades
E os verdadeiros criminosos do lado errado das grades
Boss AC

- O povo português, mesmo com todos os seus defeitos e manias, não merece estar à mercê de uma classe política que só se importa consigo própria.
100editora.net

- Marinho Pinto é tipo ciclone... nunca se sabe que rumo e intensidade toma... Às vezes diz umas verdades...outras burrega em toda a linha. Perdeu na sua defesa do pagamento das defesas oficiosas. Os Advogados metiam "mesmo" a mão na massa, como a ministra já provou, como se verifica pela quantidade de casos descobertos. Agora Marinho ameaça , numa reacção pouco civilizada e imodesta. É o que temos neste país... Marinhos Pintos e João Albertos....

Jardim pede independência da Madeira - Há pouco mais de 5 séculos 2 intrépidos navegadores,João Gonçalves Zarco e Tristão Vaz Teixeira, cobriram de glória o nome de Portugal, abrindo as portas à grande epopeia dos Descobrimentos Portugueses. Contrariamente ao que diz o apátrida Jardim, atraiçoando a memória destes grandes portugueses, a Madeira nunca foi COLONIZADA, por ser um arquipélago sem ocupação humana, à data da descoberta.
Esta última e miserável declaração desta ingrata personagem conduz-nos a uma situação sem retorno e exige a realização de um REFERENDO que nos permita saber se os portugueses da Madeira querem manter a sua condição de PORTUGUESES – com todas as obrigações e direitos –ou se, pelo contrário, querem embarcar num navio à deriva, que rapidamente afundará, conduzido por um rasca aprendiz de marinheiro que condenará a população da Madeira a um futuro pouco risonho.

- No exterior são muitas as vozes - Martin Feldstein, George Soros são dois exemplos - que consideram provável que Portugal acabe por sair do euro pelo seu pé, uma vez que não terá condições de aguentar tanta austeridade ou de crescer com as regras do euro, orientadas para economias fortes. Esta semana, em entrevista à SIC, o economista João Ferreira do Amaral - crítico da entrada de Portugal no euro - apontava que vista de fora, sem o envolvimento com o país, a situação insustentável seria fácil de observar.

- Chamar merceeiros a estes "gestores/economistas" de pacotilha, é ofender seriamente os verdadeiros merceeiros...

- Hoje não há uma notícia que nos deixe reconfortados e o problema é só um: o mundo neoliberal em que nós mergulhámos deixou-nos neste estado de pura desgraça. Cavaco começou esta pouca vergonha em Portugal: ele o timoneiro e os seus comparsas. Gente sem categoria nenhuma pouco cultos sem inteligência que vieram dos montes para singrarem na cidade e na política onde se consegue um bom emprego a não fazer nada e depois conseguir-se um grande lugar numa empresa ou em várias. É uma alegria: pessoas com 5 e 6 reformas. Eu sei. Dinheiro muito dinheiro da CEE mal gerido e desperdiçado nas mãos de gente nada séria.Uma máfia. BPN, BPP, MADEIRA. Os portugueses a pagarem as vigarices do homem que quer passar a imagem de honesto mas que a mim nunca me enganou.

- O 25 de Abril tem sido um paraíso fiscal para estes políticos Gatunos que deixam as famílias portuguesas falidas e eles Milionários...!!!

- Votar, em Portugal, já não é democrático, é consentir que o crime de corrupção prolifere sem limite. Podemos travá-los? Sim...
Sem o teu voto, eles não são nada!

- "O País entrou no bloco operatório para fazer uma lipoaspiração e, devido a um erro clínico, saiu de lá sem um rim e com um braço a menos"

- Paulo Macedo, esse grande herói da Direcção-Geral dos Impostos, com vasto currículo na Saúde, quer, por exemplo, economizar nos transplantes. Muito bem. Toda a gente sabe que essas operações são meros caprichos e que, frequentemente, as listas de cirurgia estão cheias de utentes que querem mudar de fígado só porque o que tinham estava fora de moda.

- O ministro também anunciou que o Estado deixará de comparticipar a pílula, sem dúvida uma excelente maneira de combater o aborto. O mesmo caminho segue a vacina contra o cancro do colo do útero e os medicamentos para asmáticos, esses malandros que querem respirar à borla.

- Com menos portugueses e mais asfixiados, certamente o Estado terá menos despesas. Confirma-se: não há vida além do défice.

Porque é que as dívidas de particulares aumentam?

Existem por aí uns economistas de capoeira, a mandarem bitaites sobre os "calotes" que as famílias pregam à banca e às "sociedades financeiras" que designo de "mercearias de dinheiro fácil" sem terem em linha de conta, na maioria dos casos, do porquê de tal situação.
O Dr. Paulo Morais em meia dúzia de frases, sintetizou os porquês dessa situação e eles são, principalmente:

- Ganância irresponsável de uma Banca usurária.
- Quando se vulgarizaram, o crédito ao consumo e os empréstimos pessoais pareciam uma solução fácil. Um embuste colossal.
- As empresas de crédito ao consumo lançaram milhões num inferno. Prometiam taxas de juro que eram já de si elevadas. Mas a estas acresceram comissões, seguros, impostos e outros assaltos. Obrigam assim os clientes ao pagamento de taxas anuais efectivas de encargos (a famosa TAEG) de quase 30 por cento. Em famílias de escassos recursos, estes empréstimos provocaram a insolvência.
- Ao longo de anos, as autoridades de supervisão bancária nada fizeram. Sucessivos governos deixaram os consumidores de produtos financeiros à mercê das verdadeiras sanguessugas que são as sociedades financeiras de “apoio” (?!) ao consumo e de concessão de crédito pessoal.
- Há que tentar perceber a ausência de intervenção do Banco de Portugal e até a inércia do Ministério Público, incompreensível, uma vez que a usura em Portugal constitui crime. De seguida, baixar compulsivamente as taxas, repondo a equidade.

Nem o Banco de Portugal, nem o Ministério Público, nem os (des)governos, todos eles, em conjunto, alguma vez puseram cobro a esta USURA que, como Paulo Morais diz, constitui CRIME em Portugal.

A.C.A.M.

União de Doentes com Cancro em risco de fechar

A União Humanitária dos Doentes com Cancro (UHDC) anunciou hoje que corre o risco de encerrar devido à redução de donativos e apela às dádivas dos portugueses para poder continuar a apoiar estes doentes e os seus familiares.
Em comunicado enviado à agência Lusa, a UHDC refere que, "devido à crise e consequente drástica redução de donativos", está a "passar por graves dificuldades económicas".
Nas contas da UHDC está já com um saldo negativo de 27 mil euros, relativo a 31 de Agosto, valor que a organização precisa reunir até final do ano, "de modo a garantir o pagamento de salários e a prossecução de todas as suas actividades de apoio a doentes com cancro e seus familiares, nomeadamente, a Linha Contra o Cancro e o Núcleo de Apoio ao Doente Oncológico".
A União Humanitária dos Doentes com Cancro apela aos contributos da população (empresas e particulares), disponibilizando a conta da organização no Montepio com o NIB: 0036 0216 99100077363 22.
Esta associação - que tem como primeiro objectivo apoiar os doentes com cancro e seus familiares, mediante a prestação de diversas valências de apoio, inteiramente gratuitas - promove anualmente uma campanha de angariação de fundos, de modo a garantir a sua sustentabilidade, tendo registado este ano uma redução de cerca de 30 mil euros face à campanha do ano passado.
Esta redução de fundos "coloca em causa a sobrevivência da associação", lê-se no comunicado.

inquérito Diário Digital

Inquérito JN 500 euros aos alunos

Inquérito JN sobtre quebra de proditividade

Inquérito JN – Taxa para financiar bombeiros

Inquérito J.N. desvio contas Madeira

aldrabices de algibeira

"Ninguém nos verá no Governo a impor sacrifícios aos que mais precisam apenas para fazer de conta que está tudo bem, se as coisas não estiverem bem, nós teremos de dizer que aqueles que têm mais, têm de ajudar mais os que têm menos em Portugal".
Passos Coelho
In JN de 2011-06-01

"A Grécia pediu ajuda e falhou. E sabem o que é que pode acontecer? Pode não haver mais ajuda externa. Não é a Europa que pode estar em causa com o Euro. São os gregos que podem ficar de fora da Europa e podem sofrer o que não é justo que sofram", disse, num paralelo com o que pode vir a acontecer a Portugal, se não houver um Governo "forte e coeso".
"Nós não podemos ter um Governo que faça de conta, que minta".
"Não percam tempo com quem já sabe que fracassa, dêem força a quem pode ganhar Portugal", pediu, apelando a que, numa "altura histórica" como a que Portugal vive, os portugueses não votem num Governo que "pode deitar tudo a perder".
Para além de ter dito: GOVERNAR PORTUGAL É IR AO POTE!
Passos Coelho
In JN de 2011-05-29

“O líder do PSD, Pedro Passos Coelho, garantiu hoje que, se ganhar as eleições, “não vai mexer nas taxas de IVA” e que pretende recolher mais dinheiro dos impostos “alargando a base”. “Eu já tive ocasião de dizer que o PSD, e eu próprio, não vamos mexer naquilo que são as taxas de IVA que estão previstas, nomeadamente no acordo que foi estabelecido com a União Europeia e o Fundo Monetário Internacional. Nós vamos ter de recolher mais dinheiro dos impostos alargando a base, que não aumentando ou agravando as taxas do imposto”, disse.”<
Passos Coelho falava numa acção de campanha em Valença do Minho, durante a qual ouviu as preocupações dos comerciantes e dos autarcas locais sobre a disparidade já existente entre o IVA em Portugal e em Espanha.”
In LUSA/SOL 30 de Maio de 2011

A 01.Abr.2011, Passos Coelho GARANTIU a uma aluna de uma escola de Vila Franca de Xira que NÃO IRIA MEXER NO SUBSÍDIO DE NATAL 2011...!!!

C A R R I S

15% de aumento nos títulos de transporte resultaram na continuidade dos maus serviços prestados aos utentes!
Equipamentos de ar condicionado, em pleno Agosto, com temperaturas exteriores mais frescas que dentro das viaturas porque o AC está DESLIGADO! 80% dos motoristas devem ser alérgicos ao AC pois pela janelinha do lado deles entra corrente de ar, ao passo que os que pagam o seu título de transporte vão numa de sauna forçada!
E como isto é um País de mansos, onde ninguém protesta, a estória continua diariamente... E não esqueçam, seus pategos, que em Janeiro está previsto novo aumento de tarifário...!

arquivo

Blog Stats

  • 182,881 hits

top de classificação

Indique o seu endereço de email para subscrever este blog e receber notificações de novos artigos por email.

Junte-se a 28 outros seguidores

autores

Flickr Photos