//
archives

assembleia da república

This category contains 54 posts

Secretas. Referências a “conluios de poder” e “maçonaria” desaparecem do relatório preliminar


O PSD retirou do relatório preliminar sobre audições relativas aos serviços secretos as referências que denunciavam ligações de chefes e directores desses serviços à maçonaria, avança a edição de hoje do Público.

A primeira versão do relatório, assinada no final de Outubro de 2011, pela deputada social-democrata Teresa Leal Coelho, indicava a existência de suspeitas do envolvimento de Jorge Silva Carvalho, ex-director dos serviços secretos, com “grupos de pressão pretensamente instalados na sociedade portuguesa, nomeadamente a ramos da maçonaria”.

A deputada e vice-presidente da bancada do PSD referia ainda, nas conclusões dessa primeira versão do relatório, que as suspeitas de “relações privilegiadas” entre “dirigentes” dos serviços e empresas privadas e os indícios de “ligações do ex-director do SIED a ‘conluios de poder’ afectam a credibilidade e prestígio dos Serviço de Informação”.

No entanto, o relatório preliminar enviado agora à Primeira Comissão já não inclui essas referências, apresentando menos páginas e, diz o Público, contendo apenas a menção genérica de que se deve “garantir que os Serviços de Informações, através de titulares de cargos de direcção ou de operacionais, não sejam passíveis de instrumentalização por entidades públicas ou privadas”.

In Jornal i online
Por Ana Tomás, publicado em 3 Jan 2012 – 10:19

PCP: “Aumentos constituem roubo ao povo”


Jerónimo de Sousa promete “vigorosas lutas” para 2012

Jerónimo de Sousa diz que Cavaco está identificado com plano da troika

O secretário-geral do PCP, Jerónimo de Sousa, considerou esta segunda-feira que não pode existir compreensão ou aceitação dos aumentos dos preços dos bens e serviços essenciais, admitindo ponderar acompanhar um pedido de fiscalização sucessiva da constitucionalidade do Orçamento do Estado.

“Não pode haver nem compreensão, nem aceitação destes aumentos. Eles constituem um roubo ao povo. São parte de um processo de empobrecimento do país”, afirmou o secretário-geral comunista, Jerónimo de Sousa, em conferência de imprensa na sede do partido.

Condenando de forma veemente “o brutal agravamento dos preços dos bens e serviços essenciais” que “empurrará milhões de portugueses para níveis de dificuldade, pobreza e privação que há muito não eram conhecidos”, Jerónimo de Sousa admitiu ponderar acompanhar um pedido de fiscalização sucessiva da constitucionalidade do Orçamento do Estado para 2012.”Se avançarem, na altura ponderaremos”, disse.

Questionado sobre a mensagem de Ano Novo do Presidente da República, o secretário-geral do PCP recordou a “grande identificação” de Cavaco Silva com o acordo assinado com a troika, considerando que o chefe de Estado tem de resolver a “contradição” em que caiu.

“Todas as declarações bem intencionadas valem o que valem, o grande problema é que o actual Presidente da República tem uma grande identificação com esse pacto de agressão de onde emanam as políticas e as medidas”, referiu.

Por isso, acrescentou, Cavaco Silva “tem de resolver a contradição” em que caiu, pois “não pode estar bem com o pacto de agressão e mal com as injustiças que ele provoca”.

O secretário-geral do PCP prometeu ainda “vigorosas e poderosas lutas” para o ano de 2012, sublinhando que a única certeza do partido é que os portugueses não se irão submeter a um processo de “destruição do país”.

“Aos que têm a consciência que 2012 será um ano necessariamente pior, daqui reafirmamos que a única certeza que temos é a de que os trabalhadores e o povo português não se irão submeter a este processo de destruição do país, de liquidação das suas condições de vida e agravamento da exploração”, salientou.

Por isso, continuou o secretário-geral comunista, 2012 será “um ano de vigorosas e poderosas lutas contra a exploração e o empobrecimento, contra a política de desastre nacional, por um Portugal com futuro”.

In Correio da Manhã online
02/01/2012 | 18h51

“Estávamos a precisar de descansar um pouco”


Assembleia da República de férias até 3 de Janeiro

Assunção Esteves

“Compensar o tempo que não teve no Verão”. É assim que a presidente da Assembleia da República, Assunção Esteves, explica as férias dos deputados entre 23 de Dezembro e 3 de Janeiro. E acrescenta: “Foi só por isso que o Parlamento parou: todos estávamos a precisar de descansar um pouco.”

Em declarações à RR, Assunção Esteves desmente que os deputados estejam a trabalhar nos círculos eleitorais para os quais foram eleitos, a razão avançada pelos grupos parlamentares na sexta-feira passada, na sequência de uma reportagem do CM na Assembleia da República.

Agora, a presidente do Parlamento declara que “este tempo de descanso, somado ao escasso tempo de descanso que os deputados tiveram no Verão, ainda não perfaz um tempo anual normal de descanso.” E conclui: “Não vamos estar com demagogias e dizer que fomos fazer outras coisas.”

»»»» comentários do online:

– Realmente, que politica a vossa, então vocês precisa de descansar, visto estarem cansados de nos lixarem, se vocês fossem descansar para um local em bilhete de retorno, o povo português agradecia. vocês ainda gozam connosco

– Coitada da Senhora Presidente da AR e dos Senhores Deputados, estão cansadinhos. Por acaso terão a noção que são os representantes dos Portugueses desempregados e dos que trabalham que nem tolerância de ponto tiveram (?)

– Esta senhora sedo se reformou o que ela precisava na verdade ela e essa escumalha era mesmo trabalhar não era estar as nos roubar, essa escumalha imagino o que eles fazem por la. malandros há muitos e na A. REPUBLICA????

– QUE GRANDE EXEMPLO. já os TRABALHADORES precisam de menos direitos (Saúde,Habitação,Educação,Trabalho,Reformas,férias,Feriados), e mais obrigações(MAIS DIAS,HORAS,IMPOSTOS)DESGRAÇADA PÁTRIA QUE TAIS POLÍTICOS TEM

– Descansar de não fazerem nada. Malandros … Devemos ter pena desta canalha.

– realmente trabalhar com este governo é cansativo,aos roubos que fazem também cansam

– Tadinhos! Para onde vão? Caraíbas?

– A Senhora está fora do nosso tempo político ! Os nossos políticos são “Aldrabões” por natureza e se alguém é sério deixa de o ser quando se mete na “Politica”!A Senhora está a mais,tem começar a imitar o P.R. e P.M !

– Está correto,para quem está reformada desde os 42 anos,vidê vários OCS, VªEXª deve estar a precisar de descansar,V.Exª e os outros 230 “marmanjos”, que “de manhã ñ fazem nada e de tarde, vão ver o que fizeram de manhã”??

– Esta é a anedota do dia.Já sei porque cheira mal na AR,deve ser por causa do cheiro a suor.

– E os Portugueses, que trabalham o ano inteiro para pagar os (desvios €€ do PSD, CDS,PS) Não necessitam de descansar?estes hipócritas mais valia ficarem calados.

– Eu quando preciso de descansar tenho q meter dias de férias …. que não são eternos está claro. Em acabando os dias, cansado ou não, tenho que regressar. Esses dias foram descontados em dias de ferias?? Ou foram somados

– Nós também precisávamos de descansar um pouco de vocês todos. Mas, infelizmente, a nossa classe política não nos dá descanso. Aliás, coloca-nos a trabalhar nos dias de descanso, ainda por cima reduzindo vencimentos…

– Foi por isso que o Parlamento parou ? Foi mas e pelo descaramento e desrespeito que a ma formação moral vos da. Tanta gente que trabalha realmente no duro ha tantos anos sem ferias e que vocês resolveram achincalhar.

– São uns trabalhadores incansáveis…por isso reformam-se ao 40

– ESTÁ CANSADA DE FAZER TÃO MAL AOS POBRES E AOS TRABALHADORES PORTUGUESES ! NÃO SE CANSE MAIS ? SAIA !…QUE NÓS OS POBRES, AGRADECEMOS.

In Correio da Manhã online
31/12/2011 | 01h00
Por:P.P.M.

E onde pára o papel higiénico?

Subvenções vitalícias a ex-Deputados


O ministro das Finanças, Vítor Gaspar, admite cortar as subvenções em 14 por cento

São mais de quatrocentos os antigos políticos agora gestores de grandes empresas que recebem subvenções vitalícias pelo seu desempenho de funções no Estado. Só no próximo ano, os custos com estes pagamentos pesam cerca de oito milhões de euros aos cofres do Estado. O Governo de José Sócrates revogou esta lei, mas sem efeitos retroactivos a 2009. Agora, o ministro das Finanças admite cortar 14 por cento deste rendimento mensal.

Carlos Melancia é o ex-político que mais recebe de subvenção vitalícia: 9150 euros por mês. Hoje empresário hoteleiro, recebe assim uma espécie de prémio por uma carreira pública iniciada em 1978 como ministro da Industria de Mário Soares até 1990, ano em que um escândalo de corrupção o forçou a deixar o cargo de governador de Macau.

Mais de 400 antigos políticos recebem estes rendimentos especiais, apenas válidos se não ocuparem cargos públicos. Ferreira do Amaral, antigo ministro de Cavaco Silva e hoje na administração da Lusoponte, recebe 3000 euros, o mesmo valor que a ex-deputada do PCP e depois do PSD Zita Seabra, agora administradora da Alêtheia Editores.

Jorge Coelho, antigo ministro de Guterres e hoje presidente da construtora Mota Engil, arrecada 2400 euros. Do mesmo executivo fez parte António Vitorino como ministro da Defesa, hoje advogado com uma pensão de 2000 euros, tal como Armando Vara, presidente da Camargo Corrêa. Duarte Lima, antigo líder parlamentar do PSD, hoje advogado na área de negócios e suspeito no caso Feteira, aufere 2200 euros. Dias Loureiro, envolvido no escândalo BPN, recebe 1700 euros. José Sócrates e Passos Coelho teriam por lei direito à subvenção, mas prescindiram

Cavaco Silva vai ser o primeiro Presidente pós-25 de Abril a não a receber

Os documentos a que o Diário de Notícias teve acesso deixam em aberto a actualização dos valores pagos, um rendimento só revogado no primeiro Governo de José Sócrates, o que quer dizer que até 2009 todos aqueles que ocuparam cargos públicos após o 25 de Abril durante 12 anos têm direito a 12 meses de pagamento.

À excepção do Bloco de Esquerda, criado apenas em 1998, há assim beneficiários de todos os quadrantes políticos: Bagão Félix, do CDS, recebe 1000 euros; os ex-líderes partidários Carlos Carvalhas (PCP) 2800 euros e Manuela Ferreira Leite (PSD) 2700.

A despesa acumulada com estas subvenções chega aos 90 milhões de euros em 2012, ano em que o Orçamento do Estado prevê verbas de quase oito milhões para estes pagamentos.

Esta semana o ministro das Finanças admitiu cortes nas subvenções de cerca de 14 por cento, semelhante ao corte dos subsídios de férias e de natal na função pública.

Fonte: RTP
Out/2011

A responsabilidade será nossa

Falta rigor nas contas públicas


Tribunal de Contas entrega parecer

Guilherme d'Oliveira Martins, presidente do Tribunal de Contas

O juízes do Tribunal de Contas que elaboraram o Parecer sobre a Conta Geral do Estado de 2010, entregue esta tarde na Assembleia da República, alertam para a falta de rigor e transparência das contas públicas.

“Não foi possível confirmar os valores globais da receita e da despesa inscritos na CGE devido ao desrespeito de princípios orçamentais, ao incumprimento de disposições legais que regulam a execução e a contabilização das receitas e das despesas e às deficiências que subsistem nos procedimentos aplicados”, lê-se no documento.

Pela primeira vez, o documento tem uma versão em inglês.

In Correio da Manhã online
20/12/2011 | 16h58
Por:Raquel Oliveira

[aviso] – Descobriram a pólvora…!!! [/aviso]

 

E os burros somos nós!!!???

Meia hora de trabalho a mais só se aplica a trabalhadores do privado


O aumento do período normal de trabalho em mais meia hora por dia só vai abranger os trabalhadores do sector privado, deixando de fora os funcionários do Estado, que enfrentam o corte nos subsídios de férias e Natal.

No entanto, e apesar de os patrões poderem aumentar os horários diários em meia hora, de acordo com a proposta do Governo entregue na quarta-feira no Parlamento, não são abrangidos menores, grávidas, trabalhadores com capacidade de trabalho reduzida, deficiência ou doença crónica e estudantes.

À luz da proposta do Executivo, que vigorará durante o período de assistência financeira e já foi contestada pelas centrais sindicais e até pelas confederações patronais, o horário pode aumentar 30 minutos por dia e duas horas e meia por semana (até oito horas e meia por dia e 42 horas e meia por semana), mas este acréscimo incide «sobre o período normal acordado».

Ficam também assegurados os limites de tempo de trabalho da lei laboral, refere o documento, segundo o qual «apenas por acordo entre patrão e trabalhador, quando seja favorável ao interesse deste ou se justifique pelas condições particulares de trabalho», a meia hora pode acumular durante quatro semanas e ser usada na semana seguinte, fora do dia de descanso obrigatório.

De salientar que quem trabalha em regime de banco de horas ou de adaptabilidade também é abrangido pelo aumento do horário, mas os limites legais não podem ser ultrapassados. No caso da isenção de horário, fica de fora apenas quem não está sujeito a limites máximos de tempo de trabalho.

A proposta refere também que os regimes legais que já prevêem um horário inferior não poderão aumentar ao ponto de ultrapassar esse limite, isto é, a meia hora só pode aplicar-se, nestes casos, a pessoas que trabalhem abaixo do limite especial (e sem o ultrapassar).

O aumento da meia hora só pode ser usado em empresas sem destruição líquida de emprego, estando estas obrigadas a respeitar o que a lei já prevê em matéria de alteração de horários.

Esta matéria deveria ter sido discutida no dia 22 de Dezembro, em sede de concertação social, mas o Governo decidiu aprovar a proposta em Conselho de ministros e enviá-la ao Parlamento na quarta-feira.

Patrões e sindicatos insurgiram-se e acusam o Governo de fugir ao diálogo e de não dar margem para negociação.

A UGT e CGTP acusaram o Executivo de «impor o trabalho forçado» e reiteraram a recusa a qualquer acordo tripartido relativamente a esta matéria.

Contudo, a proposta do Executivo tem levantado dúvidas devido à possibilidade de as empresas contratarem trabalhadores a prazo depois de tomarem medidas de despedimento colectivo ou de extinção do posto de trabalho.

Na quinta-feira, o secretário de Estado da Presidência do Conselho de Ministros afirmou que o Governo está disponível para «melhorar a redacção» da norma «anti-abuso» para evitar que o aumento do horário de trabalho leve as empresas a fazer despedimentos.

Em conferência de imprensa, no final do Conselho de Ministros, Marques Guedes reiterou que a proposta de lei que permite o aumento do horário de trabalho em meia hora diária inclui uma norma «anti-abuso», que impede as empresas de aproveitarem esta medida para fazerem «destruição líquida de emprego», mas ressalvou que isso não significa suspender «a vida normal das relações laborais».

A norma «anti-abuso» não se aplica, por isso, à redução do número de postos de trabalho decorrente de rescisões por mútuo acordo, da aposentação ou morte dos trabalhadores e do despedimento por justa causa, que «é sindicável pelos tribunais» acrescentou Marques Guedes.

«Não é uma cláusula anti-despedimento, é uma cláusula anti-abuso», salientou.

«Por se tratar de uma cláusula anti-abuso, existe, obviamente toda a abertura da parte do Governo em, se for caso disso, melhorar a redacção dessa norma, exactamente para ela poder preencher os objectivos a que se propõe. E, de resto, isso mesmo será obviamente, não tenho dúvidas, referido pelo senhor ministro da Economia e do Emprego quando fizer a respectiva apresentação e debate do diploma na Assembleia», adiantou o secretário de Estado.

In Jornal SOL online
Lusa/SOL
17 de Dezembro, 2011

Valor das reformas vai cair 50%


PEDRO PASSOS COELHO

Fotografia © Pedro Rocha / Global Imagens

O primeiro-ministro estima que quando atingir a idade da reforma o valor da sua pensão seja “sensivelmente metade” do que seria sem as alterações introduzidas pelo anterior Governo socialista no sistema de Segurança Social.

A estimativa de Pedro Passos Coelho consta de uma entrevista que será publicada este domingo pelo jornal Correio da Manhã.

Na entrevista, o primeiro-ministro, actualmente com 47 anos, foi questionado sobre que pensão espera receber quando chegar à idade de se aposentar e respondeu: “Sensivelmente metade daquela que existia antes de 2007. Talvez um pouco mais para todos aqueles que entraram na vida activa nos últimos dez anos, o que não é o meu caso, que entrei há bastante mais”.

Sobre o futuro do sistema de Segurança Social, Pedro Passos Coelho defendeu que o caminho passa pela introdução de “um pilar privado para efeitos de financiamento das reformas”, tendo como base a aplicação de um ‘plafond’ mais baixo às pensões a serem pagas pelo sistema público.

“Isso está inscrito no programa eleitoral do PSD” e “esse deve ser o caminho para o futuro. Isso acontece em outros países e acontece aqui ao lado em Espanha”, declarou na mesma entrevista.

Com esse novo sistema, de acordo com o líder do executivo, “qualquer que tenha sido a carreira contributiva, os pensionistas sabem que não obterão da Segurança Social uma pensão superior a um determinado valor e que, portanto, devem fazer aplicações (geridas ou não pelo Estado), de forma a terem uma pensão mais generosa do que está estabelecida”.

Pedro Passos Coelho admitiu que essa mudança no sistema de Segurança Social poderá vir a ser introduzida em Portugal, embora não a curto prazo. “Isso pode vir a acontecer, mas não está nas nossas intenções do curto prazo mexer nessa matéria”, advertiu.

Questionado se admite um aumento da reforma para os 67 anos, tal como acontece já actualmente em Espanha, o primeiro-ministro também a afastou esse cenário a curto prazo.

Pedro Passos Coelho apontou que a tendência europeia é a de aumentar o limite da idade da reforma, mas salientou que uma medida nesse sentido não está prevista no programa de assistência financeira a Portugal, que vigorará até 2013.

Interrogado se coloca a possibilidade de aumentar a idade da reforma depois de 2013, o primeiro-ministro respondeu: “Ninguém está em condições de falar no que vai acontecer daqui a três, quatro ou cinco anos”.

In Diário de Notícias online
17/12/2011
por Lusa

[aviso] – A mania destes gajos é continuarem a ir buscar exemplos ao estrangeiro, sempre que lhes interessa, menos para os exemplos dos ORDENADOS que se ganham nesses mesmos países! Quero lá saber do sistema de reformas que existem em Espanha, em França, na Alemanha ou em outros países europeus, se em Portugal o salário mínimo nacional e os salários médios dos trabalhadores são miseravelmente inferiores quando comparados com os desses países? BARDAMERDA! [/aviso]

E os burros somos nós!!!???

PS disponível para “rever” travão constitucional


Défice

Fotografia © Pedro Rocha

O primeiro-ministro revelou hoje, no último debate quinzenal do ano no Parlamento, que o PS se lhe mostrou disponível para “rever” a sua oposição à inscrição na Constituição de uma norma travão do défice.

O PS “transmitiu ao Governo” a posição de que “não havia razões” para inscrever na Constituição o dito défice mas, segundo Passos Coelho, acrescentou estar “disponível” para “rever argumentos” caso se “justificasse”. O primeiro-ministro adiantou ainda que se tivesse recebido do secretário-geral do PS, antes do último Conselho Europeu, um claro não, o teria comunicado aos parceiros europeus, impedindo-se assim que alinhar no acordo intergovernamental que resultou da reunião.

“Se de forma alguma tivesse dito que não estava disponível, teria dito em Bruxelas que o PS não aceitaria – e que nem [de forma] constitucional nem [de forma] para-constitucional”, acrescentou o primeiro-ministro.

Passos insistiu com Seguro para que este revelasse a posição do PS sobre esta matéria. Mas o líder socialista recusou-se a fazê-lo, dizendo apenas a Passos que este a conhecia, tendo-lhe sido comunicada em Setembro e, mais recentemente, na audiência que o PS manteve com o primeiro-ministro na véspera do último Conselho Europeu.

In Diário de Notícias online
por João Pedro Henriques
16/12/2011

[aviso]

– PS + PPD/PSD + CDS/PP = UMA GRANDE MERDA! Mas BE + PCP + VERDES não lhes ficam atrás…

[/aviso]

 

E os burros somos nós!!!???

Comportamento do Governo visa humilhar trabalhadores


CGTP e UGT

Fotografia © Lionel Balteiro / Global Imagens

A CGTP e UGT acusaram hoje o Governo de ter um comportamento “ignóbil” por ter enviado ao Parlamento a proposta de lei sobre o aumento da meia hora de trabalho diário, sem comunicar às confederações sindicais e patronais.

Esta tarde, numa reunião conjunta das duas centrais sindicais, na sede da CGTP, em Lisboa, esteve em discussão “aquilo que se consubstancia na proposta de lei que o Governo apresentou à Assembleia da República e cuja discussão pública, de uma forma provocatória e sendo uma tentativa clara de dar sinais de humilhação dos trabalhadores, vai estar em discussão pública no período de Natal e Ano Novo, até 19 de Janeiro”, afirmou Carvalho da Silva. Em conferência de imprensa, o secretário-geral da Intersindical considerou que “esta é uma posição inaceitável e ignóbil, que tenta humilhar quem trabalha, é uma ausência total de sensibilidade e de sentido de responsabilidade do Governo, mas acima de tudo o problema são os conteúdos concretos da proposta”.

Carvalho da Silva reforçou que se trata de “uma proposta de imposição de trabalho forçado, que parte de argumentos mentirosos no que diz respeito aos objectivos e impactos que isto tem sobre o emprego”. Referiu ainda que a proposta do aumento do tempo de trabalho “se sustenta numa falácia absoluta no que diz respeito aos argumentos económicos”. O secretário-geral da UGT, João Proença, afirmou, por seu turno, que a posição da central está em linha com a defendida pela Intersindical e enfatizou: “A proposta está de tal modo mal elaborada que tem de ser alterada na Assembleia da República”. João Proença condenou ainda o Executivo pelo facto de, “sem dar conhecimento aos parceiros sociais, avançar unilateralmente com a aprovação de uma proposta de lei que nunca foi discutida com os parceiros sociais e está totalmente fora do quadro da concertação social”.

A proposta de lei que “estabelece um aumento excepcional e temporário dos períodos normais de trabalho de trinta minutos ou de duas horas e trinta minutos por semana” foi aprovada a 07 de Dezembro em Conselho de Ministros, uma medida que o Governo afirma ser aplicável durante a vigência do Programa de Assistência Económica e Financeira a Portugal. Uma semana depois, ou seja, na quarta-feira, a proposta deu entrada no Parlamento, antes da discussão previamente agendada com os parceiros sociais para 22 de dezembro, em sede de concertação social. De acordo com a proposta do Governo, o horário de trabalho será aumentado em meia hora por dia e em duas horas e meia por semana “sem acréscimo de retribuição”. A medida aplica-se a todos os trabalhadores do setor privando e deixa de fora os trabalhadores de empresas públicas, bem como aos que são afetados pelos cortes salariais do Estado.

In Diário de Notícias online
16/12/2011
por Lusa

[aviso]  – O que ainda me admira, é que estes gajos ainda não se convenceram que estamos piores que no tempo do Estado Novo e da União Nacional… [/aviso]

Passos: “Como dívidas são para pagar, acordos são para se cumprir”


Debate quinzenal

O primeiro-ministro afirmou esta sexta-feira que, “tal como as dívidas são para se pagar, os acordos são para se cumprir”, defendendo a inscrição no “direito primário” português da “regra de ouro” sobre o défice acordada no Conselho Europeu.

“Não podemos continuar de cimeira em cimeira anunciando compromissos que acabam por não ser cumpridos. Os acordos são para ser cumpridos e respeitados”, afirmou Pedro Passos Coelho, durante o debate quinzenal no Parlamento.

“Tal como as dívidas são para se pagar, os acordos são para se cumprir”, reforçou o primeiro-ministro, recebendo palmas das bancadas da maioria PSD/CDS-PP.

Passos Coelho argumentou que “a inscrição de uma regra de ouro a nível do tratado e do direito primário nacional corresponde ao reforço da credibilização dos compromissos assumidos nos pactos de estabilidade e crescimento, comprometendo grandes e pequenos países”.

Em seguida, Passos Coelho referiu que as negociações “para uma nova união orçamental de estabilidade “terão início “a muito breve trecho”, considerando que vão ser “complexas e difíceis”. Quanto à atitude do Governo nessas negociações, o primeiro-ministro acrescentou: “Não favoreço, em negociações desta natureza, uma diplomacia de megafone. Um decisor político não se deve comportar como um comentador. Como tenho afirmado, a Europa não precisa de cacofonia”.

In Correio da Manhã online
16/12/2011 | 11h08

[aviso]  – Pois é, ó aldrabão, realmente as dívidas são para pagar, os acordos para se cumprir… e as tuas promessas antes de ires ao pote? Tens cá uma lata pá! Consegues ainda ser pior que o que agora estás a acusar com as tuas demagogias de merda! Vai-te catar, sem vergonha! Já sinto NOJO só de olhar para a figura deste fedelho…[/aviso]

 

Então macacada...???

Assunção Esteves optou por reforma de 7 mil euros


A presidente da Assembleia da República, Assunção Esteves, recebe 7.255 euros de pensão por dez anos de trabalho como juíza do Tribunal Constitucional.

Por não poder acumular esse valor com o ordenado de presidente do Parlamento, Assunção Esteves abdicou de receber pelo exercício do actual cargo, cujo salário é de 5.219,15 euros. Mantém, no entanto, o direito a ajudas de custo no valor de 2.133 euros.

Assunção Esteves pôde reformar-se muito cedo, aos 42 anos, porque a lei de então contemplava um regime muito favorável para todos os juízes do Tribunal Constitucional.

Podiam aposentar-se com 12 anos de serviço, independentemente da idade, ou com 40 anos de idade e dez anos de serviço.

No Parlamento, mais 11 deputados e ex-deputados pediram uma subvenção vitalícia por terem exercido funções durante mais de 12 anos.

As subvenções vitalícias dos deputados acabaram em 2005, mas o regime transitório faz com que ainda haja deputados mais antigos com esse direito.

In Jornal SOL online
20 de Novembro, 2011
por Helena Pereira
helena.pereira@sol.pt

[aviso] – Por 10 anos de trabalho, leva uma reforma de 7.255 euros! Outros políticos, saltam de empresa em empresa e levam mais uns quantos milhares à pala do desgraçado do contribuinte que tem de andar a sustentar esta gajada! Isto é justo meus senhores? Gente sem espinha dorsal, sem verticalidade, sem honestidade, sem honra! Há reformados com 40 e 50 anos de descontos que ainda levam cortes nas miseráveis reformas! Para encher o cú a esta gente! Até quando Povo? [/aviso]

Défice fica abaixo dos 4,5 por cento


Finanças

O acordo de nacionalização dos fundos de pensões da Banca será explicado esta semana por Vítor Gaspar.

Primeiro-ministro revela em primeira mão ao CM os números do défice. Fundo de pensões da Banca determinantes para o bom desempenho das contas públicas.

http://rd3.videos.sapo.pt/play?file=http://rd3.videos.sapo.pt/N4o7cuedPAMHYIK4U7qM/mov/1&color=0x000000&frame=ROUND

»»»» alguns dos comentários do jornal online:

– E se cortassem muitas das mordomias que principalmente os politicos e ex-politicos têm, ainda reduziria muito mais. Tou apaixonado por este governo que faz milagres, e não tirou nada, só deu.Suaram para tomar as medidas

– E QUANDO GASTAREM TODO O FUNDO!!, ONDE VÃO BUSCAR DINHEIRO PARA PAGAR AS REFORMAS???, SERÁ QUE VAMOS TER PETRÓLEO!

– GRAÇAS AO ROUBO E FALTA DE RESPEITO AOS REFORMADOS CONSEGUEM TER O DELES GARANTIDO VÂO TODOS PARA A P.Q.V.P.

– Subsidios off scuts off taxas moderadoras off ensino off leis laborais off contestação zero se não conseguir um bom resultado é o pior governante de sempre em Portugal têm tido tudo tudo a favor dele até o factor troika.

– Parabéns senhor 1º ministro nunca tive duvidas das suas reias capacidades…….podem contar comigo era o seu slogan de campanha

– AFINAL OS MALABARISMOS CONTINUAM…..ESTAMOS TRAMADOS!!!

– Então não há qualquer melhoria nas contas públicas! O deficit é superior a 8%. Há apenas uma habilidade contabilística, como outros governos anteriores já fizeram, que no futuro representa um encargo suplementar.

– a única coisa que fez o défice baixar foi o fundo de pensões… a montanha pariu um rato… tivessem ainda lá os outros e o resultado seria idêntico

– qual o esforço dos politicos, pois foram eles e continuarão a ser para a redução do défice? Quantas verdades disse este durante a campanha eleitoral? quantas subvenções vitalícias foram cortadas? acabo por flta de espaço

– Oh sr.PM, não nos venha atirar areia para os olhos! Toda a gente sabe q 4,5% do défice se deve à engenharia financeira da utilização do Fundo de Reforma dos Bancários. O regabofe das PPP’s está vergonhosamente intocável.

– Anónimo das 08:48 – Assim não é difícil ! Á custa do Zé, em vez de ser á custa de quem tem dinheiro. E depois como já alguém do PSD disse em tempos de governo PS. Há mais vida para além do défice.

– Quando reavermos os fundos que o Zezito e famelga desviaram e que tem espalhados pelos offshores dos amigos ainda vamos ficar um pouco melhor.

– Há quem não queira rigor e disciplina, conforme é patente em alguns comentários. O País foi destruído pelo Sr. Socrates e ao que parece ainda tem apaniguados.O Governo tem de acabar com o oportunistas e corruptos.

– assim e que é o povo paga para os meninos viverem a grande com o nosso dinheiro, retirem reformas que os velhos nao precisao, paguem mal aos jovens pk tem tempo para trabalhar, e aumentem as taxas moderadoras etc….

– Sr. Jorge Towers Lx, permita-me que acrecente um “F”… FOME… Pois é…. Já a há e vai haver muito mais…

– Boas noticias?? Bem.., só mesmo um lorpa é capaz de acreditar em tal estado…, afinal Portugal está pior do que mal, e que eu tivesse visto, ainda não percebi quaisquer medidas concretas, benéficas, justas.

– Onde está a proeza de baixar o défice se foi graças às pensões da Banca? Quase que se pode considerar como uma “vitória” de Pirro ! Há pessoas que se embriagam com água gaseificada.

– Sr. Coelho governar da forma que está a fazer, a maioria de nós também faria. Empobrecendo os portugueses e sugando-lhes os pequenos ordenados com o agravamento de todo o tipo de impostos, poupando os que mais têm.

– Até aqui muito bem, mas agora vêm o orçamento 2012, e nem é preciso ter muita clarividência e conhecimento da economia real para saber que vamos a afundar a nossa economia, parabéns ao povo que suporta os sacríficios…
Bravo! Até que enfim boas noticias da economia Portuguesa. Parabens a todos os responsaveis que tiveram de tomar medidas impopulares e duras para por as contas em ordem.

– À custa dos impostos e das mentiras aos eleitores que foram enganados por ele. Não sei porque há-de estar satisfeito, só se for por ter pacóvios que ainda acreditam no Pai Natal!!!

– Quem é k acredita?!?!São sempre nº.trabalhados à maneira deles!!Ou então,foi por o Fado ser Património Mundial e os Portugas agora só comerem Fado e tristezas!!Voltamos ao País dos 3Fs!Fado,Futebol e Fátima!!ATÉ QUANDO??

– Os imaturos só vêem o imediato.Veremos,a curto e a médio prazo,os frutos apodrecidos,quando o grosso da coluna dos bancários vier a terreiro reclamar as suas reformas e os desgovernantes lhes disserem:”Olha, acabou…!”

In Correio da Manhã online
13/12/2011 | 01h00
Por:Armando Esteves Pereira / Janete Frazão / Octávio Ribeiro

E os burros somos nós!!!???

Cargos públicos: Centenas de ‘tachos’ para dar


Nomeações

Passos Coelho, Paulo Portas e Miguel Relvas são os principais rostos deste Governo

‘Troika’ exige concursos públicos, mas Governo ignora regra. Saúde e Segurança Social são os que têm mais vagas para oferecer.

A ‘corrida ao pote’ dos valiosos cargos públicos vai já a um ritmo alucinante e polémico, mas a maioria parlamentar “está ainda no início do ciclo”, admite ao CM fonte parlamentar. Os sectores da Saúde e da Segurança Social são aqueles que mais vagas têm para oferecer.

Segundo os partidos de esquerda, há ainda “centenas de lugares” para a maioria composta pelo PSD e CDS distribuírem. Ao CM, o deputado do BE, João Semedo, explicou que o Executivo ainda só indicou a nomeação de cerca de dez administrações hospitares, pelo que falta ainda designar todos os agrupamentos dos centros de saúde. “Faltam distribuir centenas [de lugares]”, avança. Já o deputado socialista António Serrano considera a situação “muito grave”, uma vez que as mudanças não cumprem o acordado com a troika, que exige concursos públicos. António Filipe, do PCP, aponta contradições no discurso do Executivo e quer o concurso “como regra”.

A mais recente polémica da disputa de lugares por nomes ligados à coligação governamental tem como palco o Hospital Infante D. Pedro, em Aveiro. Segundo o BE, “é já pública a disputa dentro dos partidos da maioria pelos lugares para esta administração”. Do lado do CDS, “a escolha recai sobre Capão Filipe”, líder da Assembleia Municipal e nº 4 na lista do CDS às últimas legislativas. O PSD quer Álvaro Castro, proposto pela concelhia de Águeda e, sabe o CM, é apoiado por Marques Mendes e Ribau Esteves. Ambos os ‘candidatos’ já estiveram no conselho de administração do Hospital Infante D. Pedro em 2002, no governo de Barroso.

No sector empresarial público, são também dezenas as empresas que aguardam nova gestão. É, por exempo, o caso dos CTT, ANA, Estradas de Portugal, NAV, Transtejo e Refer. Na Galp, a privatização ditará novo CEO, mas o Executivo terá palavra a dizer.

EM 15 ANOS, JÁ HOUVE ‘JOBS FOR THE BOYS’ AND POTE

Mudam-se os tempos, mas os ciclos repetem-se. Nos últimos 15 anos, as expressões para os típicos ‘tachos’ tornaram-se mais ricas e foram rodando os autores das mesmas. Se em 1995, o socialista António Guterres, a caminho de uma maioria relativa que punha fim a dez anos de cavaquismo, eternizou a célebre frase ‘no jobs for the boys’, o agora primeiro-ministro, Passos Coelho, inovou na gíria. Em entrevista a Judite de Sousa, em Fevereiro, garantiu que “o PSD não está cheio de vontade de ir ao pote”, ainda que as disputas estejam acesas.

ROSTO DO PSD LIDERA O IEFP

A mudança política também chegou ao Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP). A liderar está Octávio Oliveira, ex-vereador do PSD na Câmara de Torres Novas. Félix Isménio está ligado aos TSD e Francisco d’Aguiar ligado ao CDS.

“É UM ATENTADO À MINHA DIGNIDADE”

Está instalada a polémica no PSD da Guarda por causa da nomeação de Ana Manso para presidir à Unidade Local de Saúde (USL). Num primeiro momento o ministro da Saúde convidou para o lugar José Biscaia, antigo gestor público e ex-presidente da Câmara de Manteigas, que aceitou, mas quem acabou por ser nomeada foi Ana Manso, ex–deputada, que assim regressa à função 12 anos depois.

José Biscaia explicou ontem ao CM que foi convidado para presidir à USL da Guarda por Paulo Macedo, a 21 de Outubro. Posteriormente falou do assunto com o director Regional de Saúde do Centro, a quem disse que já estava aposentado e perguntou “se havia alguma incompatibilidade”. “Ninguém me disse mais nada até saber ontem que foi nomeada outra pessoa”, afirmou o ex-autarca, adiantando: “A forma como foi conduzido o processo é muito desagradável e é um atentado à minha dignidade”. Por isso, José Biscaia vai escrever ao ministro da Saúde para lhe “demonstrar todo o descontentamento”. José Biscaia quer esclarecer o caso e não descarta… (notícia incompleta)

In Correio da Manhã online
08/12/2011 | 01h00
Por:Diana Ramos com C.R./ R.O./ L.O.

[aviso]  – São tachos, tachinhos, é tudo à fartazana para os boys e as girls dos partidos no poder. Falam mal enquanto oposição, deixam de o fazer quando são poder. O grave disto tudo é que são sempre os mesmos a ganharem o pote e ao fim de quase 40 anos desta merda, ainda existe gente que consegue votar nestes cangalhos! [/aviso]

 

Então macacada...???

Teremos nós votado em Merkel?


Vox Pop

‘Castigos para os gastadores. Proposta franco-alemã prevê a introdução de limites na Constituição para os países da Zona Euro’. Está é uma das notícias em destaque na edição desta terça-feira do Correio da Manhã.

Viemos para a rua colocar uma pergunta aos portugueses: Cem anos depois da I Guerra Mundial e setenta anos depois da segunda, em que a Alemanha não conseguiu controlar a Europa à força das armas, será em pleno século XXI que o conseguirá fazer pela força do dinheiro?


In Correio da Manhã online
06/12/2011 | 09h33

[aviso]  – Realmente a situação actual é idêntica à da II Grande Guerra Mundial, quando Hitler queria conquistar a Europa pela força das armas. Agora, as armas destes novos Hitler’s, são o dinheiro. Pena que existam COBARDES que beijem a mão destes novos ditadores, submetendo Portugal a uma colónia e os Portugueses a um Povo colonizado. Se foi para cairmos nesta situação merdosa de subserviência e de povo colonizado, preferia o 24’Abr’74…[/aviso]

Orçamento de Estado foi aprovado com a abstenção do PS


Parlamento

As bancadas da maioria aprovaram o Orçamento do Estado para 2012, com os cinco deputados da Madeira a alinhar no voto favorável, mas entregando declarações de voto (quatro do PSD, um do CDS).

No PS ninguém se levantou para declarar a intenção de entregar declarações de voto, à excepção de Carlos Zorrinho, líder parlamentar, que anunciou uma da bancada (a oficial). Deve ainda haver pelo menos mais uma de José Lello, que já o confirmou esta manhã à TSF.

O Parlamento repetiu a votação do Orçamento para as Grandes Opções do Plano (GOP) e o texto final da comissão de Orçamento e Finanças relativo à lei de enquadramento orçamental.

O diploma segue agora para Belém e, segundo a Constituição, após a sua receção o Presidente da República tem 20 dias para decidir sobre a sua promulgação.

Ainda de acordo com a Constituição, a apreciação preventiva da constitucionalidade pode ser requerida pelo chefe de Estado ao Tribunal Constitucional no prazo de oito dias.

In Diário de Notícias online
por David Dinis / Lusa
30/11/2011

Maioria aprova subida do IVA para 23% nos restaurantes


E chumba todas as propostas da Oposição

Maioria chumbou uma proposta do PCP neste sentido, e as restantes acabaram por ficar prejudicadas, não chegando assim sequer a ser votadas

A maioria parlamentar aprovou, esta terça-feira, o aumento do IVA na restauração, entre muitos outros produtos, que deixa de estar sujeito a uma taxa de 13 por cento, passando para 23 por cento, com votos contra de toda a oposição.

A votação que decorreu esta terça-feira no Parlamento concretiza assim o aumento da taxa de IVA na restauração para os 23 por centro, mas também de muitos outros produtos, como as bebidas e as sobremesas lácteas, a batata fresca descascada, os refrigerantes, ou as manifestações desportivas (caso dos bilhetes para os jogos de futebol), entre outros, que passam de 6 para 23 por cento.

Com as normas aprovadas passam ainda de 13 para 23 por cento, as conservas de frutas, frutos e produtos hortícolas, óleos e margarinas alimentares, o café, pizzas e as refeições prontas a consumir, seja em regime de pronto a comer ou de entrega ao domicílio.

As águas de nascente ou águas minerais passam da taxa reduzida de 6 por cento para a intermédia de 13 por cento.

O ponto mais polémico foi mesmo o do aumento do IVA na restauração, que os partidos da oposição, em especial o PS, apresentaram diversas propostas para que este não subisse.

No entanto, a maioria chumbou uma proposta do PCP neste sentido, e as restantes acabaram por ficar prejudicadas, não chegando assim sequer a ser votadas.

O único ponto onde a maioria cedeu em matérias de produtos que sofrem aumento de IVA foi no IVA a que ficam sujeitas as actividades culturais, que em vez de subirem de 6 para 23 por cento, ficando-se pela subida para 13 por cento.

In Correio da Manhã online
29/11/2011 | 12h40

[aviso]  – Esta cambada de gatunos vai por o povo a pão e água! Salazar, o fascista, como é chamado pelos “democratas” da MERDA, era um anjinho ao pé desta escumalha! [/aviso]

Aprovados cortes nos subsídios a partir de 1100 euros


Orçamento

Reflexão foi feita este fim-de-semana e levou o PSD a reunir de emergência esta manhã

A proposta de alteração da maioria parlamentar PSD/CDS para aplicar o corte dois subsídios, férias e Natal, a partir de rendimentos de 1100 euros, na Função Pública e para pensionistas, foi esta segunda-feira aprovada no Parlamento. O PS votou contra neste ponto e absteve-se no aumento do tecto a partir do qual se aplica a suspensão parcial do corte nos subsídios.

A alteração surgiu esta manhã, com o PSD e CDS a avançarem também que o corte de um dos subsídios só se aplicará entre acima dos 600 euros e os 1100 euros mensais. Inicialmente, o tecto para os cortes aplicava-se a partir dos 485 euros.

Na prática, 1, 9 milhões de pensionistas passam à margem dos cortes.

No PS, a deputada Isabel Moreira votou contra.

A reflexão foi feita este fim-de-semana e levou o PSD a reunir de emergência esta manhã.

Em causa estão menos 130 milhões de euros que entram nos cofres do Estado. Para compensar esta perda, a maioria propôs o aumento das taxas sobre as mais valias. Actualmente é de 21,5% e passará para 25%. Também esta proposta já foi aprovada.

In Correio da Manhã online
28/11/2011 | 12h33
Por:Cristina Rita

PGR devia abrir inquérito à actuação “desproporcionada” da polícia


PSP/agressões

Um responsável da Plataforma 15 de Outubro, que integra o movimento dos indignados, defendeu hoje que o Procurador-geral da República (PGR) devia abrir um inquérito na sequência do vídeo relativo às agressões “desproporcionadas” da PSP a um jovem alemão.

Em declarações à agência Lusa, Renato Guedes, da Plataforma 15 de Outubro, considera que as imagens, que percorrem a Internet e as redes sociais, são elucidativas da “actuação vergonhosa” de vários agentes policiais contra um jovem alemão de 21 anos, no seguimento da manifestação realizada junto do Parlamento no dia da greve geral.

O membro da Plataforma 15 de Outubro defende ainda que o inquérito da Procuradoria-Geral da República (PGR), enquanto garante da legalidade democrática, devia estender-se à actuação da PSP logo no início do dia da greve, ao impor aos piquetes de greve o que “podiam ou não podiam fazer”.

“Há uma subversão do Estado de Direito democrático”, argumentou Renato Guedes, lembrando que também na anterior manifestação do Rossio houve erros na actuação policial, que terminaram com a absolvição de dois jovens detidos na ocasião por alegados insultos à autoridade.

Quanto às informações policiais, veiculadas pela imprensa, de que o jovem alemão está referenciado pela polícia dos dois países e que é uma pessoa perigosa, o membro da Plataforma 15 de Outubro respondeu que “até agora o que existe são boatos” que servem de “cortina de fumo” para tapar a actuação “vergonhosa” da polícia, de que as imagens em vídeo não permitem desmentir.

Renato Guedes diz desconhecer que factos concretos são imputados ao jovem alemão, cujo julgamento por alegada agressão à autoridade, resistência e desobediência foi adiado para 06 de Dezembro, uma data bem distante dos acontecimentos.

Alem do cidadão alemão, na quarta-feira foram também detidas mais seis pessoas, uma das quais uma francesa de 16 anos.

Aquele membro da Plataforma 15 de Outubro referiu que a “polícia tem o monopólio da violência” e que a sua utilização tem sempre que ser “justificada”, o que no caso do jovem alemão não aconteceu, pois foi “desproporcionada”, independentemente da campanha mediática em contrário desenvolvida pela PSP.

Entretanto, a PSP já anunciou a abertura de um inquérito interno de averiguações sobre o caso.

A Plataforma 15 de Outubro, formada na sequência do protesto realizado nessa data nas escadarias da AR, reúne-se domingo à tarde, estando em discussão a análise deste e de outros acontecimentos e a realização de ações futuras.

A Lusa tentou obter um comentário da PSP, mas até ao momento tal não foi possível.

In Destak online
26 | 11 | 2011 13.29H
Destak/Lusa | destak@destak.pt

[aviso] – Desconheço se esse jovem alemão é anarca, se tem registo criminal na Alemanha por distúrbios, bla, bla, bla, mas o facto é que aqui, neste quintal plantado à beira mar, é UM FACTO indesmentível que a Polícia de Choque, à boa maneira dos velhos tempos do Estado Novo salazarista, CARREGA À BASTONADA sobre manifestantes INDEFESOS que apenas pretendem mostrar a sua indignação perante o rumo que o País está a levar! E isso ninguém pode desmentir porque as cargas policiais estão bem documentadas. Se até a própria polícia usou canhões de água contra a “outra” polícia na manif dos Secos e Molhados de triste recordação… o que mais há para acrescentar?[/aviso]

Julho 2017
S T Q Q S S D
« Jun    
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31  

Sondagem

REVISÃO DE TEXTOS



Todos os textos aqui inseridos, são corrigidos para a Língua Portuguesa de antes do acordo ortográfico.

Mentiroso…!!!

visitas

Map

visitas desde 17/08/2011

artigos interessantes…

... não só pelos conteúdos, como pelos comentários que demonstram o que esta canalha política no poder (e não só) merece da maioria dos portugueses...

- Diário de Notícias: Cavaco sublinha importância da coesão nacional

- Diário de Notícias: Electricidade da Madeira desmente novo 'buraco'

- Expresso: Jardim diz que não se arrepende do endividamento

Os responsáveis pela derrocada de Portugal

Mário Soares - 9 de Junho de 1983 - 6 de Novembro de 1985

Cavaco Silva - 6 de Novembro de 1985 - 28 de Outubro de 1995

António Guterres - 28 de Outubro de 1995 - 6 de Abril de 2002

Durão Barroso - 6 de Abril de 2002 - 17 de Julho de 2004

Santana Lopes - 17 de Julho de 2004 - 12 de Março de 2005

José Sócrates - 12 de Março de 2005 - 21 de Junho de 2011

Passos Coelho - desde 21 de Junho de 2011

promessas do passado…

C E N S U R A

A partir desta data e tal como já foi exercido com outro online, este Blogue deixará de inserir notícias publicadas no Correio da Manhã online, dado que ontem foram deixados 3 comentários naquele online que não foram publicados e que se encontravam completamente dentro das regras exigidas pelo jornal nesta matéria.

Notícias Bravas
12.09.2011

salários mínimos na Europa

Bulgária € 123,00
Roménia € 153,00
Polónia € 281,00
PORTUGAL € 525,00
Grécia € 628,00
Espanha € 728,00
Reino Unido € 1.010,00
França € 1.321,00
Bélgica € 1.387,00
Irlanda € 1.462,00
Luxemburgo € 1.642,00

valores calculados sobre 14 meses
(incluem férias e 13º. mês)

E já que falam tanto em colocar Portugal ao mesmo nível dos países da UE, esqueceram-se da igualdade do salário mínimo?

Portugal fora da U.E.

frases ao acaso…

- Impressionante como Portugal não apresenta novos quadros na política e no seu grande empresariado. Onde estão os jovens portugueses? Ouvir um mesmo Cavaco e Silva há mais de três décadas é dose. Um Mário Soares, um Ramalho Eanes (esse ainda está vivo?), é brincadeira. Juventude lusitana assumam logo seu país antes que esses incompetentes o levem à derrocada total. Vejo diariamente a SIC e fico impressionado com o quadro político que se apresenta do continente à Madeira e Açores. Os comentários intermináveis e inócuos no programa "Quadratura do Círculo". O nome diz tudo: Umas bestas quadradas vociferando asneiras em círculo que não levam a lugar algum. Triste ver a nação de Camões, da Escola de Sagres, da Universidade de Coimbra acabar assim.

- Este Governo age como autêntico capataz da Srª. Merkel e Sr. Sarkozy. É o próprio Governo a dizer que os Portugueses têm que fazer sacrifícios, tem que ir para além da troika, para a Srª Merkel e o Sr. Sarkozy ficarem satisfeitos. E para agradar aos olhos daquelas duas personagens, este Governo submete os Portugueses a uma política que não leva a lado nenhum se o objectivo é pagar a dívida. Mas como o que interessa é o sorriso das tais personagens, este Governo optou por medidas de fazer sangue e quando o faz há quem corra para junto de Merkel e de Sarkosy a perguntar se está bem assim ou querem com mais sangue? São pacotes de austeridade atrás de pacotes de austeridade, são impostos directos acompanhados com cortes de vencimentos e como ainda acham,o Governo, que os Portugueses ainda ficam com uns trocos para matar a fome lá vêm com impostos indirectos... O simples cidadão está ensanduichado e sufocado em impostos...
O que este Governo condenou o anterior está a fazer ainda pior e sem se importar com políticas sociais e económicas... O que interessa a este Governo é que Merkel sorria de satisfação, bata palmas a este espectáculo de circo romano onde os Portugueses foram atirados às feras. O Governo fica sempre satisfeito com o seu desempenho quando Merkel bate palmas!!!!
Não temos um Governo inovador para contornar a crise ao serviço dos Portugueses, temos sim um capataz/carrasco ao serviço de quem lhes passa as mãos pelas costas!

- O povo português não é todo estúpido, subserviente e ignorante, temos de calar esta gente sem escrúpulos que manda trabalhar e nada faz pelo país, gente vendida ao capitalismo internacional. A paciência tem limites e o desespero já começa a fazer comichão nas palmas das mãos, prontas para distribuir chapada por esta gentalha miserável e oportunista que reduziu uma nação soberana a uma coutada de meia dúzia de atiradores furtivos que gosta de gozar com a cara de quem ainda acredita no seu país. O melhor é mudarem de discurso senão tudo pode acontecer e os responsáveis por isso terão de fazer as malas e bater com os calcanhares no traseiro.

- Num País de aldrabões e corruptos, nada é demais!!... Vale tudo, até tirar olhos!!! Fazem o que querem e o Povo consente!!! Aqui é que está o mal!!... É o Povo consentir toda esta bagunça e esperar pelo dia D, da sua desgraça!!! Mas, alguma vez existe alguma legislação ou Lei ou seja lá o quê, credível neste País!!! Só nos resta a natureza que essa mão falha!!! Para o ano, serão também taxados os Subsídios de Férias e de Natal, até nos levarem à depressão e ao suicídio!!! Só a INSURREIÇÃO será a solução, nada mais!!! E O POVO PÁ!!!!

- "Portugal é hoje um paraíso criminal onde alguns inocentes imbecis se levantam para ir trabalhar, recebendo por isso dinheiro que depois lhes é roubado pelos criminosos e ajuda a pagar ordenados aos iluminados que bolsam certas leis".

- Farto deste sistema de merda que nos engole
Farto destes políticos a coçar os colhões ao sol
Farto de promessas da treta
Sobem ao poder metem as promessas na gaveta
Farto de ver o país parado como uma lesma
Ver as moscas mudarem e a merda ser a mesma
Farto de miséria, o povo na pobreza
Uns deitam a comida fora, outros não a têm à mesa
Farto de rótulos, estigmas e preconceitos
Abrir os olhos e ver que não temos os mesmos direitos
Farto de mentiras, farto de tentar acreditar
Farto de esperar sem ver nada a melhorar
Farto de ser a carta fora do baralho
Farto destes cabrões neste sistema do caralho
Não te iludas ninguém quer saber de ti
Todos falam da crise mas nem todos a sentem
Muitos com razão, mas muitos deles apenas mentem
Crimes camuflados durante anos a fio
Tavam lá todos eles mas ninguém viu
Não foi ninguém, ninguém fez nada,
E se por acaso perguntarem ninguém diz nada
Farto de ver intocáveis saírem impunes
Dizem que a justiça é para todos mas muitos são imunes
Dois pesos, duas medidas
Fazem o que fazem, seguem com as suas vidas
Para o povo não há facilidades
E os verdadeiros criminosos do lado errado das grades
Boss AC

- O povo português, mesmo com todos os seus defeitos e manias, não merece estar à mercê de uma classe política que só se importa consigo própria.
100editora.net

- Marinho Pinto é tipo ciclone... nunca se sabe que rumo e intensidade toma... Às vezes diz umas verdades...outras burrega em toda a linha. Perdeu na sua defesa do pagamento das defesas oficiosas. Os Advogados metiam "mesmo" a mão na massa, como a ministra já provou, como se verifica pela quantidade de casos descobertos. Agora Marinho ameaça , numa reacção pouco civilizada e imodesta. É o que temos neste país... Marinhos Pintos e João Albertos....

Jardim pede independência da Madeira - Há pouco mais de 5 séculos 2 intrépidos navegadores,João Gonçalves Zarco e Tristão Vaz Teixeira, cobriram de glória o nome de Portugal, abrindo as portas à grande epopeia dos Descobrimentos Portugueses. Contrariamente ao que diz o apátrida Jardim, atraiçoando a memória destes grandes portugueses, a Madeira nunca foi COLONIZADA, por ser um arquipélago sem ocupação humana, à data da descoberta.
Esta última e miserável declaração desta ingrata personagem conduz-nos a uma situação sem retorno e exige a realização de um REFERENDO que nos permita saber se os portugueses da Madeira querem manter a sua condição de PORTUGUESES – com todas as obrigações e direitos –ou se, pelo contrário, querem embarcar num navio à deriva, que rapidamente afundará, conduzido por um rasca aprendiz de marinheiro que condenará a população da Madeira a um futuro pouco risonho.

- No exterior são muitas as vozes - Martin Feldstein, George Soros são dois exemplos - que consideram provável que Portugal acabe por sair do euro pelo seu pé, uma vez que não terá condições de aguentar tanta austeridade ou de crescer com as regras do euro, orientadas para economias fortes. Esta semana, em entrevista à SIC, o economista João Ferreira do Amaral - crítico da entrada de Portugal no euro - apontava que vista de fora, sem o envolvimento com o país, a situação insustentável seria fácil de observar.

- Chamar merceeiros a estes "gestores/economistas" de pacotilha, é ofender seriamente os verdadeiros merceeiros...

- Hoje não há uma notícia que nos deixe reconfortados e o problema é só um: o mundo neoliberal em que nós mergulhámos deixou-nos neste estado de pura desgraça. Cavaco começou esta pouca vergonha em Portugal: ele o timoneiro e os seus comparsas. Gente sem categoria nenhuma pouco cultos sem inteligência que vieram dos montes para singrarem na cidade e na política onde se consegue um bom emprego a não fazer nada e depois conseguir-se um grande lugar numa empresa ou em várias. É uma alegria: pessoas com 5 e 6 reformas. Eu sei. Dinheiro muito dinheiro da CEE mal gerido e desperdiçado nas mãos de gente nada séria.Uma máfia. BPN, BPP, MADEIRA. Os portugueses a pagarem as vigarices do homem que quer passar a imagem de honesto mas que a mim nunca me enganou.

- O 25 de Abril tem sido um paraíso fiscal para estes políticos Gatunos que deixam as famílias portuguesas falidas e eles Milionários...!!!

- Votar, em Portugal, já não é democrático, é consentir que o crime de corrupção prolifere sem limite. Podemos travá-los? Sim...
Sem o teu voto, eles não são nada!

- "O País entrou no bloco operatório para fazer uma lipoaspiração e, devido a um erro clínico, saiu de lá sem um rim e com um braço a menos"

- Paulo Macedo, esse grande herói da Direcção-Geral dos Impostos, com vasto currículo na Saúde, quer, por exemplo, economizar nos transplantes. Muito bem. Toda a gente sabe que essas operações são meros caprichos e que, frequentemente, as listas de cirurgia estão cheias de utentes que querem mudar de fígado só porque o que tinham estava fora de moda.

- O ministro também anunciou que o Estado deixará de comparticipar a pílula, sem dúvida uma excelente maneira de combater o aborto. O mesmo caminho segue a vacina contra o cancro do colo do útero e os medicamentos para asmáticos, esses malandros que querem respirar à borla.

- Com menos portugueses e mais asfixiados, certamente o Estado terá menos despesas. Confirma-se: não há vida além do défice.

Porque é que as dívidas de particulares aumentam?

Existem por aí uns economistas de capoeira, a mandarem bitaites sobre os "calotes" que as famílias pregam à banca e às "sociedades financeiras" que designo de "mercearias de dinheiro fácil" sem terem em linha de conta, na maioria dos casos, do porquê de tal situação.
O Dr. Paulo Morais em meia dúzia de frases, sintetizou os porquês dessa situação e eles são, principalmente:

- Ganância irresponsável de uma Banca usurária.
- Quando se vulgarizaram, o crédito ao consumo e os empréstimos pessoais pareciam uma solução fácil. Um embuste colossal.
- As empresas de crédito ao consumo lançaram milhões num inferno. Prometiam taxas de juro que eram já de si elevadas. Mas a estas acresceram comissões, seguros, impostos e outros assaltos. Obrigam assim os clientes ao pagamento de taxas anuais efectivas de encargos (a famosa TAEG) de quase 30 por cento. Em famílias de escassos recursos, estes empréstimos provocaram a insolvência.
- Ao longo de anos, as autoridades de supervisão bancária nada fizeram. Sucessivos governos deixaram os consumidores de produtos financeiros à mercê das verdadeiras sanguessugas que são as sociedades financeiras de “apoio” (?!) ao consumo e de concessão de crédito pessoal.
- Há que tentar perceber a ausência de intervenção do Banco de Portugal e até a inércia do Ministério Público, incompreensível, uma vez que a usura em Portugal constitui crime. De seguida, baixar compulsivamente as taxas, repondo a equidade.

Nem o Banco de Portugal, nem o Ministério Público, nem os (des)governos, todos eles, em conjunto, alguma vez puseram cobro a esta USURA que, como Paulo Morais diz, constitui CRIME em Portugal.

A.C.A.M.

União de Doentes com Cancro em risco de fechar

A União Humanitária dos Doentes com Cancro (UHDC) anunciou hoje que corre o risco de encerrar devido à redução de donativos e apela às dádivas dos portugueses para poder continuar a apoiar estes doentes e os seus familiares.
Em comunicado enviado à agência Lusa, a UHDC refere que, "devido à crise e consequente drástica redução de donativos", está a "passar por graves dificuldades económicas".
Nas contas da UHDC está já com um saldo negativo de 27 mil euros, relativo a 31 de Agosto, valor que a organização precisa reunir até final do ano, "de modo a garantir o pagamento de salários e a prossecução de todas as suas actividades de apoio a doentes com cancro e seus familiares, nomeadamente, a Linha Contra o Cancro e o Núcleo de Apoio ao Doente Oncológico".
A União Humanitária dos Doentes com Cancro apela aos contributos da população (empresas e particulares), disponibilizando a conta da organização no Montepio com o NIB: 0036 0216 99100077363 22.
Esta associação - que tem como primeiro objectivo apoiar os doentes com cancro e seus familiares, mediante a prestação de diversas valências de apoio, inteiramente gratuitas - promove anualmente uma campanha de angariação de fundos, de modo a garantir a sua sustentabilidade, tendo registado este ano uma redução de cerca de 30 mil euros face à campanha do ano passado.
Esta redução de fundos "coloca em causa a sobrevivência da associação", lê-se no comunicado.

inquérito Diário Digital

Inquérito JN 500 euros aos alunos

Inquérito JN sobtre quebra de proditividade

Inquérito JN – Taxa para financiar bombeiros

Inquérito J.N. desvio contas Madeira

aldrabices de algibeira

"Ninguém nos verá no Governo a impor sacrifícios aos que mais precisam apenas para fazer de conta que está tudo bem, se as coisas não estiverem bem, nós teremos de dizer que aqueles que têm mais, têm de ajudar mais os que têm menos em Portugal".
Passos Coelho
In JN de 2011-06-01

"A Grécia pediu ajuda e falhou. E sabem o que é que pode acontecer? Pode não haver mais ajuda externa. Não é a Europa que pode estar em causa com o Euro. São os gregos que podem ficar de fora da Europa e podem sofrer o que não é justo que sofram", disse, num paralelo com o que pode vir a acontecer a Portugal, se não houver um Governo "forte e coeso".
"Nós não podemos ter um Governo que faça de conta, que minta".
"Não percam tempo com quem já sabe que fracassa, dêem força a quem pode ganhar Portugal", pediu, apelando a que, numa "altura histórica" como a que Portugal vive, os portugueses não votem num Governo que "pode deitar tudo a perder".
Para além de ter dito: GOVERNAR PORTUGAL É IR AO POTE!
Passos Coelho
In JN de 2011-05-29

“O líder do PSD, Pedro Passos Coelho, garantiu hoje que, se ganhar as eleições, “não vai mexer nas taxas de IVA” e que pretende recolher mais dinheiro dos impostos “alargando a base”. “Eu já tive ocasião de dizer que o PSD, e eu próprio, não vamos mexer naquilo que são as taxas de IVA que estão previstas, nomeadamente no acordo que foi estabelecido com a União Europeia e o Fundo Monetário Internacional. Nós vamos ter de recolher mais dinheiro dos impostos alargando a base, que não aumentando ou agravando as taxas do imposto”, disse.”<
Passos Coelho falava numa acção de campanha em Valença do Minho, durante a qual ouviu as preocupações dos comerciantes e dos autarcas locais sobre a disparidade já existente entre o IVA em Portugal e em Espanha.”
In LUSA/SOL 30 de Maio de 2011

A 01.Abr.2011, Passos Coelho GARANTIU a uma aluna de uma escola de Vila Franca de Xira que NÃO IRIA MEXER NO SUBSÍDIO DE NATAL 2011...!!!

C A R R I S

15% de aumento nos títulos de transporte resultaram na continuidade dos maus serviços prestados aos utentes!
Equipamentos de ar condicionado, em pleno Agosto, com temperaturas exteriores mais frescas que dentro das viaturas porque o AC está DESLIGADO! 80% dos motoristas devem ser alérgicos ao AC pois pela janelinha do lado deles entra corrente de ar, ao passo que os que pagam o seu título de transporte vão numa de sauna forçada!
E como isto é um País de mansos, onde ninguém protesta, a estória continua diariamente... E não esqueçam, seus pategos, que em Janeiro está previsto novo aumento de tarifário...!

arquivo

Blog Stats

  • 178,589 hits

top de classificação

Indique o seu endereço de email para subscrever este blog e receber notificações de novos artigos por email.

Junte-se a 24 outros seguidores

autores

Flickr Photos