//
archives

jornal diário de notícias

This category contains 156 posts

Novas regras de isenção das taxas moderadoras “injustas”


Utentes Saúde

Fotografia © Global Imagens

O Movimento de Utentes dos Serviços de Saúde e a Associação de Famílias Numerosas consideram “injustas” as novas regras de isenção das taxas moderadoras de saúde por “ignorarem” o número de filhos.

A partir de domingo entram em vigor as novas normas que definem que a isenção das taxas moderadoras se aplica quando a média mensal do rendimento do agregado familiar é inferior a 628,83 euros.

Ao contrário do que acontecia até agora, o rendimento médio mensal do agregado familiar passa a ser apurado “mediante a consideração do conjunto dos rendimentos das pessoas que o constituem em função da capitação correspondente ao número de sujeitos passivos, a quem incumbe a direcção do agregado familiar”, define a portaria nº 311-D/2011 publicada em Diário da República.

Para o presidente da Associação Portuguesa das Famílias Numerosas (APFN), Fernando Ribeiro e Castro, o diploma, que “ignora a existência de crianças no cálculo do rendimento médio mensal”, é mais um caso de uma política que tem vindo a “agravar de forma duríssima a vida das famílias”.

Para a associação, o diploma “viola a Constituição, porque no cálculo da taxa ignora a dimensão do agregado familiar”, situação que leva Fernando Ribeiro e Castro a defender que “o Governo tem de entrar em linha de conta com o rendimento ‘per capita'”.

“O Governo está a ignorar as despesas com as crianças e com os jovens, porque vê os filhos como um luxo a abater”, criticou a presidente da APFN, recordando que neste momento já existem “imensas famílias em situação aflitiva”.

Também o Movimento de Utentes dos Serviços de Saúde se diz chocado com a medida: “Este é um critério muito redutor e deixa de fora muitas famílias por pormenores que deviam ter sido ponderados de outra forma”, criticou Manuel Vilas Boas, acrescentando que a associação “não compreende e não pode aceitar” as mudanças.

Perante o novo diploma, o representante da APFN recordou o anúncio da criação do “visto familiar”, uma espécie de autorização previa que todos os diplomas deveriam ter antes de serem aprovados.

“Esta medida é contra o próprio programa eleitoral. O senhor primeiro-ministro fez um grande foguetório que ia criar um visto familiar, mas onde é que ele está? Está na clandestinidade, porque eu não acredito que qualquer pessoa com bom senso fosse carimbar com o visto familiar esta medida”, criticou Fernando Ribeiro e Castro.

De acordo com o diploma, “até 29 de Fevereiro de 2012, todos os utentes que se encontrem registados como isentos no Registo Nacional de Utentes (RNU) a 31 de Dezembro de 2011 serão notificados pelos serviços do Ministério da Saúde, da manutenção ou caducidade dos termos do respectivo registo”.

Entretanto, “até 15 de Abril de 2012, presumem-se isentos do pagamento de taxas moderadoras os utentes que se encontrem registados como isentos no Registo Nacional de Utentes (RNU) a 31 de Dezembro de 2011 e que apresentem requerimento de 29 de Fevereiro a 31 de Março de 2012 para reconhecimento de situação de insuficiência económica”.

In Diário de Notícias online
por Lusa
29/12/2011

[aviso] – O Hitler criou campos de extermínio para dizimar os judeus e todos aqueles que não pertenciam à “raça pura ariana”; estes, querem exterminar TODOS os pobres que ganham uns fabulosos salários/pensões/reformas abaixo dos 1.000 euros, sendo que só o arrendamento de um barraco não custa menos de 500 euros hoje em dia! E o resto? Quem paga…? [/aviso]

 

Então macacada...???

Anúncios

Rendas: As 10 principais mudanças aprovadas hoje


Rendas: As 10 principais novidades

Assunção Cristas

A revisão da lei do arrendamento, tantas vezes prometida e outras tantas adiada, vai mesmo avançar e prevê mudanças consideráveis ao actual regime.

Com o mercado imobiliário a sofrer de forma clara os efeitos da crise económica, e com a agravante de os bancos terem fechado a torneira do crédito, esta nova legislação, aprovada hoje no Conselho de Ministros, é vista como uma oportunidade de agilizar e promover o arrendamento, em detrimento da compra individual de habitação. O que muda:

1. A nova lei do arrendamento prevê uma actualização das rendas congeladas, num espaço de cinco anos. Os que beneficiem de rendas antigas e não provarem a sua incapacidade financeira, vão ter em breve a sua renda actualizada.

2. Este mecanismo de negociação vai implicar que o senhorio proponha ao inquilino o valor que considera ajustado. O inquilino pode, depois, sugerir um novo valor.

3. Se o inquilino ou senhorio não chegarem a acordo, é acertado um valor médio entre as duas propostas. Esse valor médio, multiplicado por 60 (cinco anos) será o valor da renda se o senhorio quiser que o inquilino abandone o imóvel

4. A prevista actualização das rendas antigas vai ter em conta os recursos económicos dos inquilinos e será gradual. Quem tiver + 65 anos, invalidez acima de 60% ou não tiver condições económicas terá salvaguardas. Haverá um período de cinco anos de transição para estes casos. No final deste período, a renda é actualizada e o Estado pode subsidiar a diferença, garantiu hoje a ministra.

5. Nesse período de cinco anos de transição, o ajustamento anual nunca poderá ser superior a 25% do rendimento dos inquilinos. Para quem ganha até 500 euros mensais, a taxa de esforço fica limitada a 10%.

6. Os inquilinos que falharem o pagamento de duas rendas seguidas. O Ministério ainda não definiu o critério para as rendas que não forem pagas intervaladas (com meses pagos pelo meio).

7. Será criado um balcão de arrendamento, onde os senhorios se podem dirigir quando considerarem que têm razões para terminar o contrato com o inquilino. Será esse balcão que informará o inquilino, que pode recusar sair. Nesse caso, o processo é resolvido em tribunal

8. A lei, apesar de facilitar os despejos, continua a dificultar a resolução do conflitos, permitindo que a solução para os conflitos se arrastem em tribunal. A ministra da Justiça, Paula Teixeira da Cruz, bateu o pé e não quis que os despejos ficassem de fora dos tribunais, contrariando assim a celeridade desejada pela troika.

9. Os princípios gerais do novo diploma de arrendamento deverão ser aprovados nos próximos 90 dias. A actualização das rendas está presa por outro processo que corre em paralelo: a actualização do valor patrimonial dos imóveis antigos para efeitos de IMI.

10. O Governo quer aproximar o regime fiscal dos rendimentos prediais aos impostos cobrados ao capital. Na prática, isto pode implicar uma taxa liberatória mais baixa para quem arrende caixas. “Queremos incentivar que mais pessoas coloquem as suas casas no mercado”, garantiu a ministra.

In Dinheiro Vivo online
por Lucília Tiago
29/12/2011 | 15:20

[aviso] – Quem tiver mais de 65 anos, 60% de incapacidade, etc., etc., passados 5 anos já poderá ver agravada a sua situação? Sinceramente, se calhar nessa altura já voltou a ser jovem, perdeu a incapacidade, isto é, ressuscitou…!!! Haja paciência para aturar esta canalha! [/aviso]

E os burros somos nós!!!???

Fisco altera declarações de IRS. Saiba o que muda em 2012


A profissão passa a constar das declarações de IRS. Entrega começa já no próximo mês de Março.

O ministro das Finanças, Vítor Gaspar # imgem: Paulo Spranger

O Ministério das Finanças já divulgou os impressos para a entrega das declarações de IRS, que arranca em Março. As diferenças em relação aos modelos em vigor este ano são pequenas, mas começam logo na “folha de rosto” (ou seja o Anexo A do Modelo 3), onde os contribuintes que deduzem seguros de profissões de desgaste rápido passam ter de indicar expressamente a profissão.

No Anexo B (para trabalho independente) o fisco acrescentou mais um tipo de rendimento aos que já tinham de ser declarados. Assim à venda de mercadorias ou prestação de serviços passam a ser declarados de forma autónoma os rendimentos provenientes de microprodução de electricidade.

Descarregue aqui a declaração do próximo ano

Além disto, os afilhados civis surgem pela primeira vez nos impressos, permitindo às famílias que optam por este regime de “apadrinhamento” de crianças institucionalizadas deduzir os gastos com a sua educação.

O apadrinhamento civil está previsto no Código do IRS desde 2009, permitindo os menores tenham o mesmo tratamento fiscal que os dependentes, nomeadamente para efeitos da dedução específica Mas apenas este ano surgem especificamente referidos no Anexo destinado às deduções à colecta.

No apadrinhamento civil é a solução encontrada para crianças ou jovens em risco em caso de ausência de uma família biológica ou adoptiva. Ainda assim, caso os pais biológicos assim o desejem, neste regime é possível manter o contacto com as crianças.

In Dinheiro Vivo online
28/12/2011 | 18:08

Passos em volta da exaustão


O primeiro-ministro foi às televisões, admitindo-se, com modesta expectativa, que iria sossegar a nação. Não sossegou ninguém. Surgiu um homem alquebrado, de rosto fechado e descaído, exausto e confuso, conferindo ao discurso uma futilidade patética. Entre o apelo à confiança e a surpreendente declaração sobre a necessidade de se “democratizar a economia”, com o concurso do povo, nada do que disse produziu o mínimo estremecimento de emoção. O dr. Passos não motiva, não congrega, não aquece nem arrefece. E é cada vez mais visível o esforço que faz para convencer aqueles dos outros e os próprios que o cercam.

Os áulicos do costume aplaudiram, com fervor inconsistente; e o CDS-PP, muito calado nos últimos tempos, mandou um moço grave e soturno, cujo nome não fixei, proferir umas irrelevâncias apropriadas. As televisões, preguiçosas e desprovidas de critério, têm dado espaço e tempo a pessoas que o são sem ser coisíssima nenhuma. E que os partidos recorrem ao rebotalho dos aparatchiks por inexistência de figuras de proa. Diz-se, também, que a coligação não afina com muitos diapasões, e que a ausência do dr. Portas nos “eventos” mais chamativos se deve a um certo mal-estar.

A verdade é que o presidente do CDS possui grande presciência política e as suas faltas em actos públicos talvez sejam um sinal de prudência e de distanciação de muitos actos do Governo. Enquanto o dr. Passos fala, fala e não diz nada, e dá entrevistas umas atrás das outras, numa fastidiosa rotina de vacuidades, o seu parceiro de aliança afasta-se, com um recato que lhe não é próprio, ele, tão dado à fotografia, à imagem, à primeira fila.

A sociedade portuguesa está gravemente enferma e o Executivo não consegue dar conta do recado. Embrulha-se em quezílias pessoais (caso da ministra da Justiça e do bastonário da Ordem dos Advogados); em afirmações desprovidas de sentido e logo apressadamente desmentidas (Álvaro Santos Pereira); ou em embaraçosas declarações de princípio (Miguel Relvas), reveladoras de impreparações políticas fulcrais. O que deveria ser dito pelo Governo é comentado pela Igreja, com argumentação sólida. O cardeal-patriarca de Lisboa, cuja independência de espírito já o opôs, por exemplo, ao Vaticano (celibato dos padres e ordenação das mulheres, verbi gratia), anunciou que as desigualdades sociais só seriam vencidas se a ordem económica sob a qual vivemos fosse rapidamente substituída. E a Conferência Episcopal, insistindo em que não há social sem cidadania, favorece, no resguardo peculiar à instituição, a necessidade do compromisso com o protesto e com a resistência às iniquidades.

Meu Dilecto: estamos no fecho de um ano desgraçado e nocturno. Que Hermes, o deus do bom caminho, ilumine o que aí vem, e não nos deixe enveredar por veredas e azinhagas.

In Diário de Notícias online
28/12/2011
por BAPTISTA-BASTOS

Pensões acumuladas em risco


Quem só vive de pensões e recebe várias terá novos limites, como já acontece na acumulação com salários.

O Governo vai aplicar as fórmulas de cálculo de actualização das reformas e dos cortes nos subsídios de Natal e de férias sobre o total de rendimento que cada pessoa recebe a título de pensões e similares, e não sobre o valor de cada uma das prestações em separado, como se previa até agora. A medida vem juntar-se à que já impede a acumulação de pensões com salários públicos.

Quer dizer que, por exemplo, alguém que acumule uma pensão de sobrevivência (viuvez) com outra prestação (mesmo de valor mínimo) arrisca a ter ambas as pensões congeladas em 2012. Basta que receba mais de 246 euros mensais do Estado e/ou da Segurança Social. Se o valor acumulado superar os 600 euros, o pensionista será penalizado pela medida que elimina gradualmente os 13.º e 14.º mês.

»»»» comentários do online:

– SEM COMENTÁRIOS………………………………….Votem neles.

– Estes é que vos vão ao cuzinho, votem neles ou no PS nas próximas eleições.

– Força Otelo. Tens razão. Estes tipos querem destruir o zé pequeno. Deixa-te de ser cobarde e faz das palavras acção.Não tenhas medo que agora já não há pides para te prenderem.

– mas de que estamos á espera para varrer com estes filhos da*….?

– FILHOS DA ***!FILHOS DA ***!FILHOS DA ***!FILHOS DA ***!FILHOS DA ***!FILHOS DA ***!FILHOS DA ***!FILHOS DA ***!FILHOS DA ***!VÃO P´RA CÔNA DA VOSSA MÃE!VAI *** A PRETA FILHO DA ***!

– O GRANDE PROBLEMA DESTE PAÍS ESTÁ NA ECONOMIS SUBETERRANIA QUE DIZEM ANDAR À VOLTA DE 60% E O QUE O GOVERNO ATRAVÉS DAS FINANÇAS FAZ? EU DIGO QUASI NADA! NO RESTAURANTE ONDE VOU AO DOMINGO, EXITEM 4 MÁQUINAS A FACTURAR E NO TALÃO DE PAGAMENTO VEM SEMPRE A PALAVRA “NÃO SERVE DE FACTURA” É APENAS PARA CONTRLOE DE MESA! SERÁ QUE NESTE LINDO PAÍS NÃO HÁ NINGUÉM DAS FINANÇAS OU DO GOVERNO A PASSAR POR LÁ PARA ALMOÇAR OU JANTAR? SE EXISTE ECONOMIA SUBETERRANIA É PORQUE O GOVERNO QUER! NO CAFÉ HÁ DIAS OUVIA EU, O MEU PATRÃO DESDE O ULTIMO MES, NO RECIBO INDICA O ORDENADO MINIMO E DESCONTA SOBRE ELE E EU TAMBÉM E O RESTO VEM POR FORA, LOGO ATÉ RECEBI MAIS ESTE MES E ASSIM GANHA O PATRÃO E O EMPREGADO, ABRAM OS OLHOS SE FAZEM FAVOR, TÁ BEM?

– Pois. Mas quando as políticas fiscais activamente incentivam à fuga fiscal, as situações que descreve não me surpreendem. Com o IVA, IRS e IRC a atingir valores absurdos (excepto para o sector bancário), juntamente com uma justiça tipo melaço, a razão benefício/risco de fugir aos impostos torna-se tão grande que um agente económico racional não pode ignorar. Este tipo de cultura foi sido incentivado ao longo de décadas e não é de um dia para o outro que isso vai mudar (principalmente a aumentarem ainda mais o IVA e afins).

– Desviando-me do assunto em causa, que mais não é do que habilidade costumeira deste governo de direita, liberal e tecnocrata, no site da Caixa Geral de Aposentações, sobre o calendário do pagamento das pensões para o próximo ano (2012) vários são os meses em que o pagamento é feito ao fim de semana ! São os casos dos meses de Março (17, sábado), Maio (19, sábado), Junho (17, domingo), Agosto (18, sábado), Novembro (17, sábado).Será que nesses fins de semana as pensões estão devidamente creditados ? Ou será mais uma habilidade do jovem da trotinete ? Com estes “cavalheiros” tudo é possível, todos os esquemas são viáveis, nada será de admirar. São dignos de todo o respeito e admiração e, sobretudo, de confiança…

– portugal , um paìs de ***# !!!!!

– Valha-me me Deus, ao estado a que isto está a chegar nem ao Diabo lembra. Estão rapar e a peneirar os rendimentos dos mais pobres, os poderos e ricos, esses que fiquem como estão! Os comerciantes e muitos industriais que continuem na economia subterranea, pois facturas cafés, pastelarias, intermediários imobiliários, vendedores nas feira e ambulantes não se usa!

– Para não haver economia subterranea, toca de pedir facturas de tudo, que compramos. Há muita gente, que para contrariar o Governo, não quer pedir facturas.

– Destas bestas que nos governam tudo se pode esperar. Quem rouba(sim, rouba, rouba e rouba) dois ordenados aos pensionistas que descontaram uma vida para a Segurança Social, tem “licença” para roubar aquilo que lhe dê na gana!

– 13:20————-Dr. Piintelho Catroga foi o Pai das PPPs e o fugitivo de Cabo Verde & Cª desfalcaram 8 mil milhões do BPN que agora estamos a pagar com o roubo das nossas reformas e pensões

– JÁ SABEM… DOIS ERRADOS FAZEM UM CERTO! Dado que o PSD está cheio de ladrões, automaticamente o PS é um partido de pessoas honestas e competentes. FLAWLESS LOGIC.

– Como são parvos os argumentos aqui apresentados para nos subtrair as nossas parcas pensões de reforma para qual contribuímos ao longo da nossa vida contribuitiva.Aprovo um teto máximo de reforma que esteja idexado ao salário mínimo nacional.É imoral nesta época a acumulação de reformas como se vê nas grandes figuras do Estado Português a começar pelo Presidente da República.

– ANTES DE MAIS: é preciso fazer a distinção entre dois tipos de caso muito diferentes. É preciso distinguir CLARAMENTE pensões, reformas e subsídios de desemprego que resultam dos descontos para a Seg. Social (ou fundos de pensão privados), em que não faz QUALQUER sentido cortar (visto que o pagamento dessas pensões se trata apenas de DEVOLVER o dinheiro contribuido), de outras subvenções e subsídios atribuídos pelo Estado a indivíduos que não descontaram para o efeito (tipo o RSI, as subvenções e subsídios especiais reservados à classe político-administrativa) e que, portanto, faz mais sentido cortar. MISTURAR COISAS INCOMPARÁVEIS NÃO AJUDA!

– EM SEGUIDA: é preciso distinguir alguém que acumula 2 reformas que totalizam 600 euros de alguém que acumula 2 (ou mais) reformas que totalizam milhares de euros por mês. Não me parece justo que sejam os primeiros a levar cortes em detrimento dos segundos.

– O Tuga ficou sem um pé granguenado, que depois a “cura” obrigou a cortar a perna, a coxa esquerda, agora já vai no corte da perna direita… no final de 2012, a troika médica e o dr. Gaspar dizem que então o Tuga já pode então andar…

– Querem as vossas pensões? Peçam-no ao fugitivo de Paris, que usou as vossas reformas para financiar a dívida de SCUTs e PPPs.

– 15:19——————- Antes de mais, acho que me confundiu com um balde de merdddddda: se alguma vez me vir a defender merd0sos do “meu partido” (LOL!), como aqueles que mencionou, por favor dê-me um tiro nos cornos, porque é um sinal claro de patologia mental grave. Não se esqueça é também de mencionar Mário Soares (e melancias afins), Ricardo “Farfalha” Rodrigues (e pedrosos afins), António Guterres, José Sócrates, Jorge Coelho, Vítor Constâncio e outros artistas do seu partido. Repito o que disse: acha que o facto de haver incompetentes e ladrões no PSD faz com que os incompetentes e ladrões do PS sejam menos incompetentes e ladrões? Não foi o governo Sócrates que levou a cabo os acordos DANOSOS das SCUT? Bem me parecia…

– 14:37————- ahahahahahah, quer que eu lhe dê exemplos de politicos “incompetentes”, no seu partido não faltam, Dias Loureiro, Isaltino, Oliveira e Costa, Cavaco Silva, Ferreira Leite, Duarte Lima e por aí fora ….isso que você diz são argumentos do ladrão que fica à porta e moral sem dono…! Infelizmente alguns destes que eu citei não mataram golfinhos, alguns mataram mesmo seres humanos, uns fisicamente, outros materialmente, roubando-os vilmente

– 14:25—————– Achar que os roubos e as incompetências de uns desculpam ou justificam os roubos e as incompetências de outros é a coisa mais imbecil que já li hoje. Mas acho que o senhor deve estar mais preocupado com ideologias de algibeira e/ou a roubar o dinheiro dos outros do que com o futuro do seu País, por isso até entendo o seu comentário… mas lembre-se: CADA VEZ QUE DEFENDE UM POLÍTICO CORRUPTO E/OU INCOMPETENTE, MORRE UM GOLFINHO!

– Que é laranjinha, topa-se bem. Mas, por acaso, disse alguma mentira? É que, se achas que disse… também te descoses todo e ficamos a saber que és rosinha 😉 Dica: tenta não defender o indefensável…

– O José Trocas abriu a cova, este vão fazer o enterro. Portugal, foi vendido a retalho e a saldo, em primeiro há Europa agora há China, logo um país a extinguir.

– «A lei alemã restringe o direito de políticos ganharem dinheiro paralelamente à sua actividade parlamentar». Após os primeiros escândalos, o diário Die Welt divulgou que 370 dos 603 parlamentares alemães têm rendas privadas além dos vencimentos pagos pelo Estado, cujo valor bruto soma 7009 euros por mês. Em conseqüência das revelações dos últimos dois meses, políticos do governo sugeriram que as rendas paralelas dos deputados sejam descontadas do que ganham do Estado.

– Srs. comentadores, os senhores, na grande maioria, mostram ser apologistas do ACUMULAR DE REFORMAS, ou seja, do Cavaco receber 3 por inteiro, o Alegre receber 3 por inteiro e mais centenas e centenas de políticos, gestores de empresas públicas, juízes, médicos, tropas, etc, tudo À NOSSA CUSTA E À CUSTA DOS NOSSOS FILHOS QUE VÃO PASSAR AS SUAS VIDAS A PAGAR O QUE PEDIMOS EMPRESTADO PARA PAGAR A ESSES PARASITAS! Ou serão os senhores comentadores também beneficiários deste sistema injusto e imoral, ou seja, DESTE ROUBO POR PARTE DOS “REFORMADOS”?

– muita , para não dizer a maioria, desta gente que anda aqui a insultar o Governo atual e os passados, mas ficaram no SOFÁ no dia das Eleições, pelo menos 45 % ficaram! AGORA refilam de quê? É BEM FEITO e na próxima tirem o *** da cadeira e vão votar…

– O imbecil das 13:33 acha que “não votar” é “apresentar indignação”. LOL! COME E CALA. É por causa de merd0sos como tu, que vamos revezando no poder imbecis, incompetentes e ladrões desde o 25 de Abril. RESUME-TE À TUA INSIGNIFICÂNCIA. És tão merd0so como os merd0sos que são pagos pelo erário público para fazerem decisões (i.e. para votarem) e abstêm-se. Metes-me nojo, ser rastejante. Pensamento do dia: QUEM CALA, CONSENTE.

– Como é que é possivél aparecer comentários deste género, quando UMA BANCADA INTEIRA usou o “voto de abstenção” na votação do OE para 2012, e inclusivé, em situações mais antigas desta mesma Assembleia, durante os debates das especialidades referentes a esse mesmo documento, vários elementos-chave, nomeadamente os ministros referentes às mesmas especialidades nem sequer estiveram presentes nos debates? Eles mantém o direito de virar o País a torto e a direito e os eleitores não têm o “direito” de apresentar a sua indignação? Só mesmo visto isto.

– Insulto o governo actual e o anterior (e todos os que me apetecerem). Mas concordo consigo: quem não vota, não tem direito de reclamar. Come e cala.

– A palhaçada continua. Agora até os nossos pais que tem estado a receber pensões de miséria e se não forem os filhos que estejam empregados, morrem à fome. Esta gente só olha para os umbigos deles, os outros são lixo

– TENHO ÓDIO POR VÓS TODOS!DESEJEVO-VOS A MORTE!NÃO HÁ NENHUM MALUCO EM PORTUGAL QUE DÊ UM TIRO NA CAÇA DE UM POLÍTICO?!.FILHOS DA ***!

– anonimo das 12,36 porque não começas a inaugurar o marcador, ou imaginas-te assim tão esperto? Vá, dá o 1º tiro pode ser que alguém se entusias-me… esperto, é sempre a mesma coisa, mandamos os outros para a cabeça da manada e nós tão santinhos!!

– Calhando votaste neles e agora refilas. Tem juizo!!! É sempre a mesma treta, NINGUÉM vota “neles”…mas “eles” estão no poleiro por obra e graça do espirito santo!!!! Por estas e por outras deveria de ser OBRIGATÓRIO a ida às urnas, porque 45% de coirões agora refilam, mas ficaram no sofá a ver as novelas, no dia das eleições!!!!!!

– Já cá faltava este fi9lho da mãe do gajo da motas que afinal asndas de carro de luxo.A fobia que esta gentinha tem com os pensionistas é obra…Eles que vão à A.R. e a outros lugasres onde podem encontrar muita gent a receber várias pensões e de montantes elevados.Agora vir aos pobres espoliá-los de meia dúzxia de cêntimos…Já não há decência …esta trupe tomou o poder, dizendo um rol de mentiras e ajudados por uma comunicação social paga a peso de ouro…

– A todos os membros do Governo desejo um 2012 danado, cheio de doenças e mortes nas famílias. Que o cancro entre nas vidas de todos estes governantes e só os largue na hora da morte.

– Simplesmente FILHOS DE UMA GRANDE ***!

– Medidas cobardes visto que a maioria dos reformados já não tem hipótese de voltar a trabalhar para compensar o roubo que lhes estão a fazer. Faço votos para que cheguem a velhos e à reforma e que governem outros que lhes façam a mesma coisa.

– Palhaço és tu cobardolas de *erda. Se nasceste a mim e a outros como eu o deves, o abono de família fui eu que o paguei, os tratamentos que recebeste nos Centros de Saúde e hospitais idem, as vacinas a mesma coisa, só não te paguei a vacina contra a estupidez. Palerma, deves ter nascido debaixo de uma pedra de tão inteligente que és!

– Que foi? Já não compras o Ipad para o neto? Cala a boca, palhaço. 90% dos pensionistas não sofrem corte nenhum, e os restantes são funcionários públicos que encheram a pança nestes 37 anos às nossas custas. Mais: são hoje pagos por gente que desconta AGORA para receber o salário mínimo quando chegar a sua vez, porque tem que sustentar pançudos parasitas e choramingas como tu.

– Façamos votos é para que morram sem se reformarem 😉

– Sr. Ministro: O Sr. José era um pobre ignorante, que julgava ser suficiente ter cartão do partido e falar bem ao jantar para saber tomar boas decisões (para o país, porque para o bolso dele já sabia toma-las..como quem come robalos). Agora os Srs, que estão a fazer um trabalho técnico e dedicado, com algum rigor esforço pessoal e planeamento, como podem justificar termos o número de deputados e técnicos parlamentares, francamente excessivo e desnecessário, superfluo como todos nós podemos ver sem sombra de dúvida, e não fazer nada? Muitos de nós que votaram em vós continuam sem compreender (ou sem querer acreditar) que foi apenas uma promessa eleitoral estilo socrática. A maioria dos portugueses a fazer o esforço que está não percebe!!!

– Aqui se vê um cidadão como deve ser. Votante, pragmático e observador. Para quem Portugal é mais importante do que partidos políticos e ideologias. Um bem haja.

– Ó cara der asno, que não passas disso, deixa de dar pensões milionárias que o problema está resolvido.

– Eu acho piada a certos comentários,Será que o povo deste país ainda não viu bem que o nosso mal não é de agora, mas sim destes srs.. do Gonçalves o tal Comunista,Mário Soares, Cavaco Silva,Alberto j.jardim, Eduardo Barroso, Santa Lopes, Sócrates, Passos Coelho e também o Paulino das Feiras esta desgraça já vem dos anos 80 só que o Zé e Maria davam-lhe um rebuçado uma jantarada á borla nos comissios e lá iam votar nestes srs.é pena eu e outras pessoas como eu, estar a levar no corpo, por causa dessa gente estúpida, que lá ia dar o seu voto. As mulheres já se esqueçeram que foi o sr.Cavaco, quando era ministro aumentou a idade da sua reforma de 62 anos para 65 repito isto não é de agora os Partidos todos, mas todos ,foram os culpados disto

– Completamente de acordo com o seu comentário. A nossa desgraça começou no reinado do acabado silva e da sua famosa equipa. Os milhões que vieram nessa altura foram para o cimento e para os projetos falsos de estufas, compras de jipes e satisação de interesses pessoais. Nada foi feito a pensar no futuro e o resultado está aí….Daí para cá a porca da classe politica não fez mais que alimentar esta corrente e ir adiando o que era inevitável. Mas nestes anos todos a portuguesada teve muito tempo para ver quem punha no poder, mas nem por isso teve coragem para dizer basta. No fundo somos todos uns cordeirinhos mansos. Mas atenção, o facto de nos esfolarem vivos não é sinonimo de solução para os nossos problemas. Escrevam isto……..

– Com a receita desta medida, este chico esperto ainda vai comprar uma frota de “vespas”, daquelas que custam 86.000€, para a equipa dos chulos do famoso ministerio da solidariedade……ahahahahahahahahahahahahaahahah. Tristes portugas que estais tão bem entregues……

– Atento não. Cretino. Tu és dos que ficas à janela para te evadires do teu vazio, olhas o vizinho que vai de queixos ao chão e divertes-te com issso. É só do que precisas….

– Afinal o que somos?O que queremos ser? O que somos NÃO sei, só sei que NÃO somos DEMOCRATAS e nem REPUBLICANOS. Na 1ª não se cumprem os DIREITOS DO HOMEM e na 2ª o pilar da república -LIBERDADE-IGUALDADE- FRATERNIDADE. Estas Leis da dignidade e cidadania quando não aplicadas, pela falta de JUSTIÇA, viram uma tirania, uma DITADURA. O QUE ESTE PAÍS QUER E PRECISA É DE JUSTIÇA. Joguem no LIXO a cartilha constitucional, não é uma constituição, se fosse não estabelecia privilégios e cidadãos diferenciados!

– Medidas necessarias para mais justica social e tambem melhorar a situacao dos milhares de reformados com 200 ou 300 euros mensais. Ajuste social e acabar com pensoes de mendigo para quem trabalhou 30 ou 40 anos!!

– Haja bom dia por aqui.O que se està a passar em Portugal,(como em outros Paises Europeus),é simplesmente o “fruto” das politicas levadas a cabo nos ultimos vinte e cinco ,trinta anos.Especificamente em Portugal,foram sobretudo as Governanças dos Governos de CAVACO SILVA,quando era era que Governava,e que Portugal recebia a FUNDO PERDIDO,da CEE,somas astronomicas para desenvolver o Tecido Industrial PORTUGUÊS,esse Senhor que hoje vos PRESIDE,preferiu investir dinheiro em Auto Estradas,Universidades,como se Portugal (Pais Pequeno ) e com uma Populaçao envelhecida,nao tivesse outras PRIORIDADES;pois é como eu muitas vezes aqui o escrevi e persisto no que escrevo,os ERROS do PASSADO pagam-se muito caros;mas sobretudo pelo simples cidadao.

– E depois diziam que “queriam MENOS Estado”!!!!!!!!!Querem regenerar as pessoas…querem reformar tudo….. mas estes incompetentes cairão de podres !Histericos ultraliberais incompetentes e experimentalistas, estão a destruir Portugal!

– Acho que demência é mesmo defender o indefensável. Isso e achar que só o Sócrates (por muito desonesto e incompetente que tenha sido) é que tem culpas no cartório pelo estado actual das coisas. É assim um misto de demência, imbecilidade, cegueira e ignorância.

– Cala a boca, demente. Portugal foi destruído nestes 6 anos graças ao voto de imbecis como tu. Fizeste a cama, agora deita-te nela.

– Este “Xico Fininho” é capaz de ir buscar dinheiro à cabeça de um tinhoso.

– AH;AH;AH;AH;AH….e a culpa é do Socas……….triste povo.

– Não se preocupe comigo. O senhor assume demasiadas coisas: antes de mais, assume que eu vivo ou dependo de Portugal. Em seguida, assume que estou a ralhar, quando apenas estou a constatar o óbvio (mas que, aparentemente, ultrapassa muita gente): a governação do sr. Sócrates não pode ser vista como tendo sido positiva mas, apesar disso, também é miopia achar que os problemas todos do país têm como única origem a governação do sr. Sócrates. Mas parece que toquei em algum nervo… se calhar discorda do que eu disse, e por isso é que se sentiu ofendido. Temos pena. Fico à espera que demonstre o quanto eu estou errado com argumentos válidos e objectivos, mas fico à espera sentado.

– Você insulta tudo e todos, mas está ferrado como qualquer comum dos mortais portugueses. O problema aqui começa exactamente quando não há pão em casa todos ralham e ninguém, tem razão. Não rima, mas infelizmetne é verdade. O como o “papel” aguenta com tudo o que se lá lhe escrever, o que quiser dizer esteja à vontade. Sr. Imbecil que não pertence a nenhuma das facções.

– Há duas classes de imbecis em Portugal: aqueles que acham que o Sócrates foi competente e honesto durante a sua governação e aqueles que acham que todos os problemas de Portugal começam e acabam no Sócrates. Não sei qual dos dois são mais imbecis, mas digo-te amanhã…

– A Estónia tem uma dívida pública de 6%. Há mais 200 países no mundo que não estão na bancarrota nem pediram ajuda ao FMI. A culpa também é de Sócrates.

– Claro que é. E nos próximos 25 anos a culpa também vai ser do Sócrates. E as crises da Grécia, Irlanda, Itália e Espanha também são do Sócrates, pois foi ele que os governou. E o Pai Natal não me ter dado a prenda que eu queria, a culpa também é do Sócrates.

– Acho muito bem até porque, como dizia há alguns meses o mais Alto Magistrado da Nação, Sua Alteza Boçal, Cavacão I, Chefe do Estado e Comandante Supremo das Forças Armadas na sua infinita sabedoria apenas comparável à de um líder norte-coreano, “não é possivel pedir mais sacrificios aos portugueses”… ehheheheheheheheheheheheeh

– “Deputados italianos deixarão de receber pensão vitalícia. Objetivo é dar o exemplo para a população. Governo de Mario Monti promoverá reformas econômicas.” http://g1.globo.com/mundo/noticia/2011/11/deputados-italianos-deixarao-de-receber-pensao-vitalicia.html

– E o Passos Coelho vai mudar essa situação em Portugal ou vai deixar tudo na mesma? É que, de xuxialistas a xuxiais-democratas, às vezes vai uma distância mais curta do que se pensa. Políticos: todos diferentes, todos iguais (ladrões e incompetentes).

– “Reformas na Suíça com tecto máximo de 1700 euros”http://***.youtube.com/watch?v=-me8oHReQbM&feature=related

– “Sócrates usou reformas para financiar a sua estratégia suicida”, diz Carlos Moedas” http://aeiou.expresso.pt/socrates-usou-reformas-para-financiar-a-sua-estrategia-suicida-diz-carlos-moedas=f645551

– Viva o Estado Xuxial!

– “Sócrates usou reformas para financiar a sua estratégia suicida”, diz Carlos Moedas” http://aeiou.expresso.pt/socrates-usou-reformas-para-financiar-a-sua-estrategia-suicida-diz-carlos-moedas=f645551

– “Reformas: dinheiro acaba em 2040” agenciafinanceira.iol.pt/economia/reformas-pensoes-oe2012-orcamento-agencia-financeira/1292141-1730.html

– “Pensões vitalícias de políticos passam ao lado da austeridade” http://***.rtp.pt/noticias/?t=Pensoes-vitalicias-de-politicos-passam-ao-lado-da-austeridade.rtp&article=489817&visual=3&layout=10&tm=6

– “Pensões dos magistrados isentas de ‘contribuições extraordinárias’ O Parlamento aprovou hoje por unanimidade uma proposta do PCP que elimina a possibilidade das pensões dos magistrados jubilados serem alvo de contribuições extraordinárias, como as incluídas no orçamento.” http://sol.sapo.pt/inicio/Sociedade/Interior.aspx?content_id=34773

– Pois é …mais uma vez se vai previlegiar, os solteiros sem filhos.Vejamos:1 casal com dois filhos que ganhem 1900€ fica sem subsidios e o solteirinho e bom rapaz que ganhe 800 vai receber tudo.Que politica é esta que não tem em conta o agregado per capita e beneficia a baixa natalidade.Está dificil ter filhos…para a nossa economia não conta nada…já não recebem abono…nada. Mas são estes que um dia lhes vão ajudar a pagar as suas chorudas pensões…

– E os subsídios por morte para pessoas que têm na família ( domicilio fiscal) uma boa casa, quatro carros, pensão de filho por morrer um dos pais, pensão própria do conjuje sobrevivo? tudo somado dá mais de duzentos mil euros. E um deles ainda aufere subsídio de desemprego poe três anos e esses anos a contarem para a reforma. Vale a pena trabalhar?

– E as Reformas Douradas que tantos politicos e gestores do Estado recebem por terem estado a falir e destruir o país? E as reformas dourados dos deputados.

– Quando será que o PS e Seguro têm o mínimo de dignidade e assumem de vez a responsabilidade da tragédia que impuseram a Portugal?Quando será que vão deixar de se divertir com a desgraça que impuseram ao povo?Quando será que vão deixar de fazer intriga política e tentar pôr portugueses contra portugueses, tirando partido da tragédia que os próprios fizeram ao País?

– Há um dito português que diz “ O que nasce torto tarde ou nunca se endireita” . Esta Constituição nasceu torta. Por isso já foram feitas várias revisões e está sempre torta.Tenha-se coragem : FAÇA-SE UMA NOVA CONSTITUIÇÃO. Sem carga ideológica. A constituição tem de ser para todos os portugueses e não só para os velhos XOXALISTAS.Os políticos que se opõem a que fique na Constituição um limite do défice e um limite da carga fiscal em relação ao PIB são ladrões e querem continuar a contrair dívidas para nós pagarmos por um lado e por outro querem continuar a espoliar as famílias portuguesas sem se preocuparem com o crescimento da economia. Estes dois limites são imprescindíveis para o contribuinte português não ser espoliado.

– É uma injustiça! Mais uma vez este Governo quer nivelar por baixo! Sem ter em conta o Princípio da Salvaguarda dos Direitos Adquiridos! Não é justo que se corte a um ex Presidente da República a sua reformita de quando foi deputado que acumulava com a outra de quando foi ministro, com aquela que juntava à de primeiro ministro! Isto sem ter em linha de conta a reformita que também auferia por ter passado uns tempos no Banco de Portugal, e, ainda, a de professor no ensino público! Uma personalidade deste quilate tem grandes dificuldades em arranjar meios de subsistência, daí ter de lançar mão às esmolas que lhe são dadas pelas instituições do Estado pelas suas constantes presenças em eventos propositadamente ocasionados para o efeito!

– Abraço, amigo Mário! E continuação de um Bom Natal!

– Alegrem-se que em 2012 estes carrascos vão levar um pontapé no cuu, e vão berrar que nem cabritos desmamados. Esperança? Sim! Quando estes chulos forem corridos, nem que seja á pedrada.

– É por isso que o Cavaco diverge do Governo, pobre homem está em causa as suas acumulações de reformitas. É dificil ser-se GOVERNO HONESTO em Portugal. Com Sócrates, Cavaco nunca mostrou divergência quando este andava a hipotecar Portugal. Podera mantinha as acumulações das reformitas…. O país e os portugueses que se lixassem….

– Muitos dos que choram agora andaram a bater palmas ao Sócrates quando ele andava a endividar o país. Os credores fecharam a torneira, chegou a hora de pagar. O perdermos a soberania para funcionários de 3ª categoria da troika foi o melhor que se pode arranjar …….Agradeçam ao PS por esta situação.

– Não vi ninguém (incluindo Cavaco) dos que criticam este governo dizer uma só palavra quando o Sócrates estava a endividar Portugal em nosso nome para nós pagarmos. Agora é tarde de mais. Vamos ter de pagar as dividas que os XOXALISTAS fizeram em nosso nome e não no deles. Chorar sobre o leite derramado nada serve. Infelizmente todos pagamos embora só quem votou nos XOXALISTAS deviam pagar, porque esses é que lhe passaram a procuração em branco.

– Merkel defende mais os nossos interesses do que o PS, PCP, BE e muitos do CDS e do PSD. Os políticos só querem dividir os portugueses explorando as invejas para pôr uns contra os outros para poderem continuar a roubar todos. Merkel quer que eles gastem menos dinheiro dos nossos impostos, quer que não contraiam dividas para nós pagarmos. Será que isto é mau para o povo? É mau é para os políticos deixarem de gastar dinheiro sem controlo, roubar para depositarem em offshores, terem reformas acumuladas e milionárias sem terem carreira contributiva como é obrigatório para o povo. Será que isto é mau para o povo? É mau é para os gastadores dos políticos! Para o povo é bom de mais. A Merkel tem que nos vir governar antes que nos matem de fome.

– Merkel além de exigir um limite para o défice, tem de exigir também ao Estado português um limite da carga fiscal numa percentagem do PIB. Se o Estado quiser mais impostos que faça crescer a economia. As empresas também se quiserem facturar mais têm de produzir e vender mais. O limite da carga fiscal deve estar na Constituição para defesa dos portugueses. O Estado se quiser dinheiro que governe bem, que seja competente e não explorador, faça crescer a economia e deixe de espoliar a sociedade portuguesa.

– As reformas dos políticos são um exemplo de crime de peculato, porque foram feitas em bebeficio dos próprios sem terem uma carreira contributiva como é exigida ao cidadão comum. Este crime tem de acabar já. Caso contrário não há legitimidade para pedir sacrificios aos portugueses. … Muito menos subir a carga fiscal… ou mesmo mantê-la desta forma elevadíssima para a nossa economia. Esta carga fiscal é um crime contra a economia nacional.

– Este governo deveria estar a exercer funcoes desde o ano de 1997. Mais vale tarde do que nunca e esperemos que ainda va a tempo de evitar um Portugal terceiro mundista

– Portugal já é terceiro mundo

– Deviam acabar também as pensões de sobrevivência para todos os que tem uma pensão superior a 750 euros que tem uma pensão desse valor não tem nada de estar a receber outra pensão do conjugue entretanto falecido.

– Votaram em partidos,(todos) de políticos mediocres e rascas,que esperam agora?Uma sociedade inculta,não pode “parir” sapiências!!!!!!!.

– Vendo a Lei da Limitação dos Vencimentos dos Gestores Publicos, não temos qualquer duvida que esta Lei vai ser um sucesso. Mas talvez lá para 2078. Ou 3012. Acredite nestes palhaços quem quiser!

– Meus caros não acredito que algum governo deste regime acabe com os crimes de peculato dos politicos. Essas subvenções e reformas foram feitas por eles em beneficio próprio. Enquanto esta podridão tiver acesso ao Estado temos que os sustentar com dinheiro que nos faz muita falta para dar de comer aos nossos filhos.

– E os MILHÕES que o Estado dá livre de impostos às fundações tipo Mário Soares? Estes roubos aos contribuintes tem de acabar já.

– As pensões dos políticos ou politicas sem existir uma carreira contributiva tem de acabar sejam acumuladas ou não. São milionárias é um insulto para os portugueses que são obrigados a trabalhar até velhos para terem direito à reforma. A lei tem de ser igual para todos. Os EX de tachos políticos não podem continuar a beneficiar de leis feitas com peculato. Todos têm de receber pensões nas mesmas condições contributivas. Seja Assunção Esteves ou Manuel Alegre, Mário Soares etc…. Fim aos USURÁRIOS da politica.

– concordo plenamente, ja chega de uns quantos andarem a xular os restantes, os tais de chico espertos, tipo M Alegre so para dar um exemplo conhecido.

– Estes são peritos em cortes nos rendimentos dos cidadãos. Não sabem fazer mais nada. É apenas cortar. Produzir riqueza é coisa que estes governantes não sabem fazer. Já está mais do que provado. Mediocridade.

– Não há nenhuma razão para os subsídios de Natal e férias dos pensionistas serem mantidos. Em primeiro lugar, tiveram fórmulas de cálculo altamente favoráveis, usando os últimos anos contributivos, em vez da vida inteira. Depois, consideraram uma esperança de vida muito menor que a actual. Terceiro, descontaram muito menos do que nós descontamos agora. Quarto, a Segurança Social está falida. Só um mentecapto pode defender o pagamento do 13º e 14º mês hoje para daqui a 5 anos não poder pagar pensões a ninguém.

– Caro anónimo, se você sugerisse que se atacassem as reformas dos indivíduos que trabalharam(?) meia dúzia de meses aqui e ali e recebem pensões altíssimas, ainda vá, agora invejar aquilo que muitos acumularam durante 40 anos e mais… chiça! O direito a receber o subsídio de Natal e férias FOI PAGO!!! Porque não condena o facto de os boys e fêmeas que o governo chama a si com idades entre 24 e 30 anos – especialistas… – vão ganhar ordenados de 3.000€? Claro que o dinheiro não chega para tudo! Só um MENTECAPTO NÃO VÊ!

In Diário de Notícias online
26/12/2011

[aviso] – Só peço a Deus que nenhum FDP destes se atravesse à minha frente…!!! [/aviso]

E os burros somos nós!!!???

A mala de cartão de Passos Coelho


Naquela sua mistura de ingenuidade e impreparação explosiva, Passos Coelho aconselhou os professores desempregados que querem continuar a ser professores a emigrar para os PALOP. Interessante este primeiro-ministro: não disse ter assinado um acordo diplomático, político ou empresarial – o que ele quisesse – para reforçar o ensino de português em Angola, no Brasil ou na China. Numa frase leviana e sem o contexto adequado, indicou a porta de saída do País a milhares de pessoas que, presumo, não lhe merecem muito mais esforço intelectual.

É verdade que muitos destes professores não são na realidade professores – são licenciados em História, Jornalismo, Direito, Sociologia, Antropologia, etc., que, não tendo encontrado trabalho na sua área de especialização, a certa altura da vida acabaram por dar aulas para se sustentarem com alguma dignidade. O excesso de oferta desta mão-de-obra (qualificada mas indiferenciada) não é, por isso, de agora – é um problema antigo do País que todos os governos alimentaram -, e talvez tivesse feito sentido o primeiro-ministro explicar, com cuidado, como esta desadequação ao mercado de trabalho reflecte a encruzilhada económica portuguesa e como ele, Passos Coelho, se propõe mudar este terrível estado das coisas.

Não foi isso, no entanto, que o primeiro-ministro fez. Como sempre acontece nestes casos, a asneira deu lugar a uma sucessão de disparates para tentar desculpar a inacreditável superficialidade da abordagem. Primeiro, o sempre galvanizante Paulo Rangel lembrou-se de criar uma Agência da Emigração, o que me abstenho sequer de comentar tendo em conta a natureza lunática do empreendimento. Depois, lá veio Miguel Relvas – o limpa-neves do Governo – elogiar o esforço dos quadros portugueses (é sempre oportuno falar ao coração) na reconstrução de Moçambique, como se fosse isso que estivesse em causa.

Não é, evidentemente, o que está em causa; mas a intenção do ministro adjunto não era esclarecer ou iniciar um debate que até poderia ser útil – apenas baralhar os factos para enterrar o mais depressa possível a polémica. Voltemos, então, ao essencial. Portugal tem feito um enorme esforço de qualificação. Melhorou muito, mas ainda tem muitíssimo a fazer, e isso passa por reformas na educação, na organização do Estado e até na lei laboral. Não há soluções imediatas para um problema tão vasto; mas ao meu primeiro-ministro eu peço que me indique um caminho político e não que, em desespero, nos faça regressar aos tempos da mala de cartão.

In Diário de Notícias online
22/12/2011
por ANDRÉ MACEDO
DIRECTOR DO DINHEIRO VIVO

Um apocalipse em câmara lenta


A boa distância

Antes das perspectivas para 2012, impõe-se um balanço de 2011. Que foi, no plano internacional, um ano de repetidos impasses. E, no plano nacional, um ano de contínua desorientação.

Internacionalmente, o constante agravamento da crise europeia foi, sem qualquer dúvida, o principal traço de 2011. Num mundo que vive a maior transformação das relações económicas, culturais e políticas dos últimos 70 anos (e mesmo, em diversos aspectos, do último século e meio), a Europa não consegue – apesar de ser a zona mais rica e mais qualificada do mundo – encontrar uma saída para a crise, nem definir uma estratégia para se reposicionar face aos desafios globais que vão ditar o nosso destino no século XXI.

A crise europeia tem, contudo, a mesma matriz do abalo que percorre todo o Ocidente sem excepção, e nomeadamente os EUA. Abalo que decorre de um incontornável esgotamento do paradigma do ilimitado à sombra do qual nos habituámos a viver, como se os recursos energéticos, o consumo e o crédito fossem infinitos.

O que a Europa acrescenta de verdadeiramente específico a esta crise cujas consequências nenhum poder, em nenhum país, conseguiu até hoje assumir, é uma aberrante paralisia política, que mais não tem feito do que agravá-la constante e perigosamente.

O último Conselho Europeu, de 8 e 9 deste mês, veio confirmar algo que se foi tornando claro para todos ao longo dos últimos dois anos: que a União Europeia não só errou no diagnóstico inicial da crise grega mas que, na patética sucessão de cimeiras da “última oportunidade” que se lhe seguiram, não conseguiu nunca corrigir esse tremendo erro inicial de diagnóstico.

Pior: que o foi reforçando tão sistemática como estupidamente, insistindo em ver na origem de todos os males os défices orçamentais, mesmo quando eles não existiam, e em ignorar factores tão decisivos como os desequilíbrios da balança de pagamentos, mesmo quando eles se revelavam uma constante dos países com mais dificuldades.

É por isso difícil antecipar o que vai acontecer em 2012. Será que se vão concretizar as ameaças de um federalismo orçamental sem qualquer legitimidade democrática? Será que vai continuar aquilo que M.Wolf, nas páginas do Finantial Times, chamou a “orgia de austeridade” a caminho do desastre? Será que se vai manter a marginalização do papel da Comissão Europeia em proveito de um Conselho Europeu que é 95% alemão e 5% francês, com os restantes 25 Estados membros remetidos a um papel de figurantes? Será que vai persistir-se nos erros de diagnóstico com uma contumácia tal que acabará por ter consagração constitucional sob a forma de uma “regra de ouro” sem sentido económico nem eficácia política?

Tudo isto é possível. Mas também é possível que outras vias se abram, devido à forte colisão do fanatismo austeritário com a realidade. Ou devido a eventos de momento imprevisíveis, que são frequentemente os que melhor respondem à perda de legitimidade dos dirigentes incapazes. Sem esquecer que, no próximo ano, vai ter lugar um acontecimento para que a partir de agora se vai olhar cada vez mais intensamente: as eleições presidenciais francesas.

A escolha entre N. Sarkozy e F. Hollande pode, com efeito, decidir muito do rumo que vai tomar a história da Europa, sobretudo porque o candidato socialista já se distanciou do pífio acordo do último Conselho Europeu, contestando o diagnóstico que está na sua origem e assumindo inequivocamente uma aposta não só no imperativo do crescimento, mas também no reforço da legitimação democrática das opções da União Europeia.

Por cá, internamente, muita coisa se alterou em 2011, mas na verdade pouco se entendeu do que tem mesmo de mudar.O País segue, mas não sei se percebe, a passagem de um keynesianismo bacoco que nem sabia o que era o endividamento, para um ultralibera- lismo fanático que ignora o que são as condições elementares de qualquer crescimento.

Como escreveu Pedro Santos Guerreiro, num inspirado editorial do Jornal de Negócios de segunda-feira passada, “o País está a ser esfalfado, mas não está a ser mudado. (…) E aquilo que nos trouxe até esta ruptura está a permanecer. Estamos a remediar esta crise, mas não estamos a prevenir a próxima. O mesmo tipo de pessoas está a tomar o mesmo tipo de decisões, o que só pode levar ao mesmo tipo de resultados”.

Contrariando as suas promessas mais emblemáticas, Passos Coelho rapidamente reduziu o seu programa político ao imprudente entusiasmo de ir “além da troika”. Revelou assim uma impreparação e uma inconsistência políticas que lhe podem vir a ser fatais, aparecendo cada vez mais como o profeta de um futuro que se confunde com um apocalipse em câmara lenta, e como o mistagogo de uma austeridade perpétua, que os portugueses começam a perceber que – estranha, mas visivelmente – parece excitá-lo.

É pelo menos essa a impressão que fica quando o vemos discorrer sobre a inevitável lógica do empobrecimento nacional. Ou quando fala dos cálculos excedentários com que se esconde a miséria orçamental. Ou quando expõe com indiferença – e muita imprecisão – o futuro de reformas reduzidas a metade. Ou quando convida com frieza um País ainda tão desqualificado (vejam-se os dados do Censo deste ano) a exportar os seus professores. Ou quando reduz a posição de Portugal na Europa a um lugar ao colo da chanceler Merkel.

Entretanto, ninguém lhe ouviu uma palavra, uma reflexão ou uma exortação ligada aos valores que nos fizerem nação durante séculos, ou sobre a cultura e a língua que constituem e balizam a nossa identidade, ou sobre os territórios em que mergulham as nossas raízes. Parece que Pedro Passos Coelho veio para falar apenas de números e de mercados, que a sua “visão” política se limita a esta gramática, possivelmente convencido de que Portugal precisava de um gestor de falências. Talvez falte, como P. S. Guerreiro assinala, “espessura intelectual ao Governo”. Talvez… mas, entretanto, o equívoco corre o risco de se tornar colossal, e difícil de corrigir. Seja como for, é sem dúvida disto que vai depender uma boa parte da nossa agenda de 2012.

In Diário de Notícias online
22/12/2011
por MANUEL MARIA CARRILHO

A mentira e o desprezo


Parece que há excesso de portugueses em Portugal. Para remediar tão desgraçada contrariedade, o Governo decidiu minguar-nos tomando decisões definitivas. Há semanas, um secretário de Estado estimulou a emigração de estudantes. Há dias, o primeiro-ministro alvitrou que os professores desempregados ou com dificuldade em empregar-se deviam encaminhar-se para os países lusófonos, nos quais encontrariam a felicidade que lhes era negada na pátria. O dr. Telmo Correia, sempre inteligente e talentoso, elogiou, na SIC-Notícias, a sabedoria cristã de tão arguta ideia.

Acontece um porém: e os velhos? Que fazer dos velhos que enchem os jardins e a paciência de quem governa? Os velhos não servem para nada, nem sequer para mandar embora, não produzem a não ser chatices, e apenas valem para compor o poema do O’Neill, e só no poema do O’Neill eles saltam para o colo das pessoas. Os velhos arrastam-se pelas ruas, melancólicos, incómodos e inúteis, sentam–se a apanhar o sol; que fazer deles?

Talvez não fosse má ideia o Governo, este Governo embaraçado com a existência de tantos portugueses, e estorvado com a persistência dos velhos em continuar vivos, resolver oferecer-lhes uns comprimidos infalíveis, exactos e letais. Nada que a História não tivesse já feito. Os celtas atiravam os velhos dos penhascos e seguiam em frente, sem remorsos nem pesares.

Mas há outro problema. A fome. A fome que alastra como endemia, toca a quase todos, abate-se nos velhos e, agora, nos miúdos. Os miúdos das escolas chegam às aulas com as barrigas vazias: pais desempregados, famílias desgarradas, “a infância, ah!, a infância é um lugar de sofrimento, o mais secreto sítio para a solidão”, disse-o Ruy Belo; e as escolas já não têm o que lhes dar. As cantinas reabrem, mesmo durante as férias, e sempre se arranja uma carcaça, um leite morno, nada mais, oferecidos por quem dá o pouco que não tem.

Vêm aí mais fome, mais miséria, mais desespero, mais assaltos, mais violência, mais velhos desamparados, mais miúdos espantados com tudo o que lhes acontece e não devia acontecer. Mais desemprego, num movimento cumulativo, mecânico a automático, como nos querem fazer crer. Diz o Governo. Como se esta realidade fosse natural; como se a semântica moderna da sociedade explicasse a amoralidade da eliminação da justiça e a inevitabilidade do que sucede.

Para que serve este Governo?, a quem favorece, a quem brinda, a quem satisfaz? Podem, em consciência, os seus panegiristas passar ao lado das infâmias a que assistimos, e continuar omissos ou desbragadamente cortesãos? Podem. É ao que temos vindo a assistir. O Governo administra o ódio e o desprezo com a indiferença gélida de quem não é por nós. Diz-se que o anterior Executivo vivia da e na mentira. Este subsiste de quê?

In Diário de Notícias online
21/12/2011
por BAPTISTA-BASTOS

Passos Coelho vai ser hoje desafiado a emigrar


Protesto

Passos Coelho, primeiro-ministro # Fotografia © Leonardo Negrão - Global Imagens

O Grupo de Protesto dos Professores Contratados e Desempregados vai hoje desafiar o primeiro-ministro a emigrar depois de Pedro Passos Coelho ter aconselhado os professores portugueses a olharem para o “mercado da língua portuguesa” como uma alternativa ao desemprego.

Em declarações à Lusa, um dos membros do Grupo de Protesto dos Professores Contratados e Desempregados (GPPCD) explicou que o protesto de hoje à porta da residência oficial do primeiro-ministro foi convocado através da rede social ‘facebook’ pelo grupo “Indignados nas Escolas” e ao qual se associaram “imediatamente”.

“É um protesto de resposta àquilo que são declarações inaceitáveis por parte do primeiro-ministro, que nós consideramos totalmente inaceitáveis e vergonhosas porque num país que tem a taxa de analfabetismo que tem, que tem os problemas de insucesso escolar que tem, que decidiu prolongar a escolaridade obrigatória até ao 12º ano, estar a mandar professores embora é de uma enorme irresponsabilidade”, defendeu Miguel Reis.

As declarações a que Miguel Reis se refere fazem parte de uma entrevista dada por Pedro Passos Coelho ao jornal Correio da Manhã, onde o primeiro-ministro sugere aos professores portugueses que olhem para “o mercado de língua portuguesa” como uma alternativa ao desemprego que afecta a classe em Portugal.

“Em Angola e não só, o Brasil também tem uma grande necessidade, ao nível do ensino básico e secundário, de mão de obra qualificada”, respondeu o primeiro-ministro quando questionado se aconselharia os professores excedentários em Portugal a abandonar a sua zona de conforto e procurar emprego noutro sítio.

O primeiro-ministro disse ter conhecimento de muitos professores que em Portugal não conseguem obter colocação, nem mesmo no sistema privado de ensino, e defendeu que nos próximos anos haverá muita gente que ou fará formação noutra área ou, querendo manter-se como professor, terá de encontrar uma alternativa nos países de língua portuguesa.

“Vamos estar amanhã [hoje] em frente à residência oficial do primeiro-ministro para o desafiar a ser ele então a emigrar”, revelou Miguel Reis.

De acordo com este professor, os membros do GPPCD sentiram-se ofendidos com as declarações de Passos Coelho e decidiram, paralelamente, lançar uma declaração de repúdio que está disponível na internet (http://www.change.org/petitions/declarao-de-repdio-pelas-declaraes-de-pedro-passos-coelho) e pode ser assinada por qualquer pessoa.

“Provavelmente quando ela tiver muitas assinaturas, vamos entregá-la directamente ao primeiro-ministro”, adiantou.

Para além da acção de protesto marcada para hoje, o GPPCD está empenhado em levar a cabo outras acções de luta e Miguel Reis adiantou que em Janeiro planeiam “andar atrás” do ministro da Educação, Nuno Crato, nas iniciativas oficiais e públicas onde esteja presente e protestar junto da Segurança Social.

O protesto junto da Segurança Social tem a ver com o facto de, segundo o membro do GPPCD, terem-lhes chegado muitos casos de professores que já pediram o subsídio de desemprego ou o subsídio social de desemprego em Setembro ou Outubro e ainda não receberam nenhuma prestação.

In Diário de Notícias online
21/12/2011
por Lusa

[aviso]  – Não é só esse fedelho que deve emigrar mas TODOS os da trupe dele… E de caminho também os traidores do CDS/PP que não fazem cá falta nenhuma! Toda essa canalha daqui para fora porque Portugal não precisa de TRAIDORES! [/aviso]

 

Então macacada...???

Rangel: Agência nacional para ajudar quem queira emigrar


Eurodeputado sugere

(ACTUALIZADA) O eurodeputado do PSD Paulo Rangel sugeriu na terça-feira a criação de uma agência nacional para ajudar os portugueses que queiram emigrar, considerando que essa pode ser uma “segunda solução” para quem não encontra trabalho em Portugal.

O eurodeputado social-democrata Paulo Rangel # Fotografia © Gustavo Bom / Global Imagens

“Às tantas, nós até devemos pensar, se houver essas oportunidades, em, de alguma maneira, gerirmos esse processo. Talvez fosse uma forma de controlar os danos. Era ter, no fundo, uma agência nacional que pudesse eventualmente identificar necessidades e procurar ajustar as pessoas que tivessem vontade – não é forçar ninguém a emigrar, não se trata disso – e canalizar isso”, afirmou Paulo Rangel.

Questionado pelos jornalistas, à entrada para uma reunião do Conselho Nacional do PSD, num hotel de Lisboa, Paulo Rangel disse não ver “motivo para escândalo” nas declarações do primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, sobre a emigração dos professores que não conseguem colocação nas escolas portuguesas.

No entender do ex-líder parlamentar do PSD, a posição assumida pelo primeiro-ministro, apontando a emigração como uma opção para essas pessoas, não devia suscitar escândalo: “Pelo contrário, ela devia suscitar um debate sério na sociedade portuguesa, para tentarmos, na medida do possível, acomodar as necessidades do País em termos de mercado de trabalho no exterior”.

Segundo Paulo Rangel, a emigração pode ser, não “uma primeira solução”, mas “uma segunda solução” para “pessoas que têm condições para isso, que ainda não têm a sua vida montada, que são mais jovens, mais ligados à aventura”, porque “pode ser uma forma de as pessoas terem rendimento, de terem uma experiência, de terem uma ligação ao País feita de outra maneira, de servirem também o País”.

Isto não se aplica a “profissionais que já estão na casa dos 40 anos, que já têm as suas famílias formadas, que têm filhos em idade escolar”, ressalvou, insistindo que não se deve “diabolizar a emigração, especialmente de quadros qualificados, como uma saída provisória, como uma má saída, mas uma saída para a crise”.

O eurodeputado do PSD argumentou que “é uma evidência” que “no caso da educação, com a baixa da taxa demográfica, não há lugar para todos os professores” e que é preciso “encontrar saídas para as pessoas” desempregadas.

“Ou os senhores querem que as pessoas fiquem em casa à fome e a viver do fundo de desemprego, é isso que querem?”, questionou, dirigindo-se para os jornalistas.

Paulo Rangel recusou que seja um sinal de derrotismo um primeiro-ministro apontar a emigração como uma opção: “Eu acho que não é. Nós não podemos estar sempre a dizer que queremos que os portugueses estejam em grande cooperação no Brasil, em Angola e Moçambique, que queremos ter pontos de contacto espalhados pelo globo, que os portugueses têm uma diáspora muito activa, e depois achar que isto é uma coisa terrível e tenebrosa”.

»»»» alguns dos comentários do jornal online:

– O país na lama e quem Governa é o gangue do Duarte Lima com promessas patetas. Se D. Afonso Henriques fosse vivo mandava decapitar essa corja instalada toda.

– Ó Rangel, o Povo vai é arranjar uma agência para tratar da emigração forçada de toda a corja política da qual fazes parte… e sem retorno pá! Cambada de aldrabões porcos, sujos e nojentos!

– Se olharmos para a foto do Gordo encontramos porventura uma solução:ATAR-LHE O FOCINHO COM A BANDA QUE SEGURA A CORTINA.CALAVA-SE DE VEZ!Este gajo devia emigrar para um País que não devolvesse sob qualquer pretexto bichos nojentos….

– Porque sera que quando olho para as fotos destes gajos sinto nojo deles? Cambada de mediocres e oportunistas, politicos mentirosos, corruptos, sacanas e invejosos que so chegaram ao poder atraves de cunhas (ou k.u) e da passividade de um povo que ja ha muito deixou de acreditar em si, no seu valor e num futuro melhor. Estes chamados ‘senhores’ tomaram de assalto a casa do povo (Portugal), destruiram-na e agora te^m a coragem de nos convidar a sair. Ao ponto a que isto chegou… Chegou ao que existia antes do 25 de Abril. O pior e’ que agora ja nao temos as colonias para chular nem o Escudo moeda forte, nem os cofres cheios de ouro do “tio Patinhas’ luso’. Vai-se o povo, ficam os abutres a devorar o que resta.

– A greve geral prejudica quem trabalha, é um facto! Mas estes rançosos, gordos, anafados, aldrabões já que querem arrebentar com o Povo, rebenta o Povo com o País e vai tudo p’rá fossa! GREVE GERAL DURANTE UM MÊS SEGUIDO e depois quero vê-los a espernear que nem uns valentes filhos da pppuuutttaaa!

– Só quem for parvo é que ainda não passou o limite do suportável. Rua com este Governo. Eleições já!

– para isso foi o que trouse a republica do galo miseria e ladroes de colorinho branco mudemos de regime de uma vez por todas

– Kim Rangel Un,o lider eterno!Gordo,obeso,untuoso….só lhe faltam uns óculos redondos de massa.Um comboio blindado para se pôr nas puutas! Com muitocognac e algumas puutas bailarinas! A caminho de Angola, aí vai o lider eterno…para não mais voltar.LONGA VIDA AO LIDER!

– Já cá estou e ontem, tal como hoje, o problema é o mesmo.Tambem o era no tempo do Marques de Pombal e nas revoltas e reviravoltas.O problema é sempre o mesmo, a INCOMPETÊNCIA DA ADMINISTRAÇÃO PORTUGUESA EM TODA A LINHA e não hà remédio.Já cá estou hà trinta e três anos. Mas a solução não é a emigração, garantido, nos EUA o desemprego real da população activa, anda pelos 30%.E os outros países como é ?ERROS PROFUNDOS DA ADMINISTRAÇÃO ACTUAL, COM ESTA PROPOSTA INDECENTE.É como o marido pedir á mulher que se prostitua por que a vida está mal e não há para comer. VERGONHA.Emigrar é uma opção muito pessoal e sempre dolorosa.

– Diz o anão anafado.

– Essa de emigre é dar dois tiros em cada perna … Demitam-se cabrões ! Greve Geral até este gangue se demitir ! Chega de roubos ladrões, destruidores da Nação.ESCRAVOCRATAS !

– O eurodeputado Jorge Rangel tem toda a razão nos argumentos que apresenta,em especial,que precisamos de manter a nossa diáspora, sempre muito activa.Se me permitir gostaria de sugerir a sua Ex.cia senhor eurodeputado,que para activar a tal diáspora,começasse por se auto-emigrar,pois vendedores de banha de cobra há já grandes excedentes em Portugal,para além de nas trocas a efectuar com esses tais países lusófonos,tenhamos o bom senso de corresponder à qualidade da maioria dos imigrantes (mafiosos,criminosos de todo o tipo,prostitutas,etc) com consequente qualidade dos nossos emigrantes.Evitaremos assim correr o risco de nos acusarem de neo-colonialistas,não é senhor eurodeputadp Paulo Rangel?

– o primeiro a emigrar foi paulo rangel que esta em bruxelas nao veim

– cada vez fico mais traumatizado por estes inconpetentes que nos estam a gorvernar apedir aos Portuguese com P a sair porque nao saem eles .ficam so os cidadaos se aoto governar eles psd/cds pior que socrates 1milhao de vezes filhos da mae porque pariste um returnado de angola vai embora retornado passos coelho da figa.

– Oh bandalho laranja.Nem sequer sabes escrever?os boys agora são contratados nos meios académicos em que o Coelho tirou o curso aos 37 anos?

– Mais um xuxa parasita do RSI. Analfabeto, como de costume.

– Elegeram a escumalha xuxa que arruinou este país em 13 anos de desgoverno, agora têm o que merecem.

– Só tenho ódio para essa ***@. Matai-vos uns aos outros animais.

– Destruiram Portugal e agora mandam os Portugueses sair do seu proprio País. Ao ponto que os criminosos chegaram. Revoluçao JA’.

– pois emigremos todos os pretos e a ciganada mais a m3rda toda que fique com este esterco e afoguem-se nele politicos incluidos. PQP

– tu és preto tuga escuro, e aciganado.

– Acabem com a parasitagem do RSI e já ninguém tem que emigrar.

– O RSI que é dado aos Parlamentares ,ETC,ETC…concordo porque o resto é um pen.telho DOENTE PARTIDÁRIO.LOL

– bacaro!

– PORTUGAL É UMA COMÉDIA,ATE OS POLITICOS PORTUGUESES QUEREM QUE OS PORTUGUESES EMIGREM LOL.EU NÃO PRECISEI DESTES CONSELHOS,PORQUE FUI MAIS ESPERTO E EMIGREI PARA ALEMANNHA EM 1993

– Tens as mãos boas pera fazeres uma pi-via a um cavalo

– Porque será que os bois negros e as ***s das mulheres com pintelheira preta são anti-comunas?

– “Arranjão”? Porque será que os analfabetos são todos comunas?

– Atenção que o Parasitas esta primeiro para abocanhar-lo, ainda arranjão acidentes . lol

– E que tal implementar uma agência nacional para a criação de emprego dentro do nosso país? Nascemos aqui não? Temos de emigrar como no tempo de Salazar porquê? Estamos a seguir as pesadas desse ditador. Já só falta tirarem-nos a liberdade de expressão, porque o resto já nos tiraram tudo. Se estes políticos da tanga não conseguem criar uma economia que fomente o emprego, então reconheçam a falta de capacidade e emigrem eles de vez e não chateiem mais o povo nem deem opiniões. Triste país aquele que não sabe acolher os seus filhos! Vamos mas é começar por mandar o Passos para Angola, meter o Portas num submarino, o outro a andar de mota, reenviar aquele dos óculos para o Canadá, os restantes a pastar e que venha alguém decente para governar!

– 100% apoiado, devem sim emigrar estes politicos criminosos que levaram este país ha falência.

– Portugal é como uma empresa falida com gente a mais. Se nao ha emprego entao de que vale termos tanta gente a viver de beneficios ? MAIS VALE EMIGRAR !!!!! Ganham experiencia Internacional, é bom para o CV. Melhor do que ficar lá escrito que esteve um ou dois anos SEM FAZER NADA !!!! As empresas nao contratam DESEMPREGADOS DE LONGO TERMO porque sao vistos como pessoas sem ritmo e com dificuldades devido a estarem tanto tempo longe do activo. Tres ou quatro meses de desemprego ainda se aceita, agora um ou dois anos fica marcado para o resto da vida ! ! ! !

– Completamente. Ainda pensei em responder-lhe mas não vale a pena. É um daqueles com palas em que tudo o que vier com carimbo laranja esfrega no r@bo e sorri.

– …e que tu sejas o primeiro a partir…

– Se não ha emprego nem salários é porque criminosos com tu e os teus compradres desgovernantes deslocaluzaram as fabricas para a china e matas-te a agricultura e pescas, para essa gente criminosa e traidora é pendura-los a todos pelo pescoço

– DOENTE PARTIDÁRIO

– Inacreditável! Essa é a solução portuguesa para o desemprego? O exílio?

– ISTO SÓ VAI QUANDO POVO DEIXAR DE VOTAR E ACABAR COM OS PARTIDO POLÍTICOS… E SEUS XULOS!

– Desempregados COmuNAS ! A Coreia do Norte precisa da vossa massa cinzenta. EMIGREM !!!!

– estes fideputas do PSD ainda gozam. Ou o povo sai para a rua ou tem a sorte que merece.

– Isto sim é que é confiança no povo que se governa. Incentivo para emigrar nem os paises africanos o assumem. Inacreditável. Por mim é apedrejamento já. Vão mas é trabalhar. E pensar que estes tipos andaram a dizer que a culpa disto tudo era do Sócrates! Passem por aqui ao pé que eu explico-vos com carinho… BU!

Este labrego, possivelmente já deve ter amigos para colocar na administração da agência e com os respectivos assessores, para que todos os tugas possam emigrar !!! Os parasitas combatem-se com insecticidas !!!

– Já não chega o Passos mandar cavar os portugueses para fora de Portugal: vai ser tudo bem organizadinho!

– Que engordou tanto que tem umas mãozinhas sapudas….Prefiro francamente uns pezinhos de coentrada…

– A grande diferença entre democraçia e ditadura é que na ditadura não podias falar muito pois ias preso , na democracia podes dizer o que quiseres mas ninguem te ouve .

– A pessoa indicada para isso és tú…já tens muita prática alamber o traseiro ao Cagão … p.q.t.p.

– Mãos boas para limpar latrinas são as do deputado Rangelque as tem bem sapudas,gordurosas e com pêlos para chamuscar na próxima matança. A tua empregada devia encharcar-te no focinho a *** que por lá deixas…

– Meus caros emigrantes, tal como ha quase 200 anos atras, marcamos encontro em Londres, onde esperamos-te como voluntario para tomares armas e zarpares rumo a Portugal numa armada aparelhada sob patrocinio de El-rei Dom Pedro IV e para desembarque o quanto antes na Praia da Memoria, seguindo-se uma marcha triunfal sobre o Porto e Lisboa, com o proposito de despejar a corja que tem governado Portugal nas ultimas décadas. Venderam-nos a democracia de Abril como sinonimo de progresso, bem estar social e economico e o resultado é este, um Estado sem eira nem beira, que, ha imagem do Estado Novo, despreza os portugueses e os obriga ao exilio. Abril é isto? Este senhor e todos os outros que promovem abertamente a emigração são traidores.

– Oh Rangel foi o que tu fizeste, foste para a europa engordar pela agencia, pode ser que chegue o dia de te enfiarem a tripa pela cabeça abaixo e fiques transformado em morcelas de ***..

– Outro iluminado vazio de ideias. Os actuais dirigentes do PSD são deste tipo, iluminados sem ideias. Porque não emigram eles?

– Gostaria de informar o euro deputado Rangel e todos aqueles que acham a ideia interessante que já existiu um organismo estatal, chamado Instituto de Apoio à Emigração e as suas Direcções Regionais de Emigração. Dezenas de milhares portugueses emigraram, tal como eu, através desta Agência. Procuravam candidatos, entregavam os contratos de trabalho, faziam juntas médicas e tudo o mais.A meio dos anos oitenta, o PSD, partido do Rangel, acabou com isto e a palavra emigrante foi cortada do mapa. Estão recordados?Agora, o PSD, volta a propor uma ideia do passado que eles condenaram. Esta gente não sabe o que quer, nem o mal que estão a fazer.

– Para o comentador “Obrigado PS”: A hipocrisia portuguesa da lugar a comentarios de avestruz como este. Tal como aquando do periodo monarquico moribundo, progressistas e renovadores nem progrediam, nem renovavam, hoje, com esta republica moribunda, nem socialistas, nem sociais-democratas aceitam que têm ambos responsabilidades, pois são os dois partidos da rotatividade que, como ha cem anos atras, são os unicos com real responsabilidade governativa. E o senhor também sabe muito bem, mas esconde hipocritamente que os milhões dos pacotes comunitarios de apoio limitaram a emigração nos anos 90, mas não a pararam. O saldo migratorio tornou-se depois positivo, mas isso ja vinha do inicio da década de 80, aquando da segunda crise do petroleo.

– Obrigado PS!

– No tempo de Cavaco, havia IMIGRAÇÃO, ou seja, os estrangeiros vinham para cá. 13 anos de socialismo tormaram-nos no Burkina Faso da Europa. Obrigado PS!

– Políticos tenebrosos são todos da direita à esquerda e da esquerda à direita. Vejam que altos quadros do psd construíram um banco onde desvios de mais de cinco mil milhões de euros, ninguém é responsabilizado e todos os psd e restantes partidos estão todos na paz do Senhor. Políticos sem vergonha que enriquecem a olhos vistos, mas infelizmente não é com o suor do seu trabalho, mas sim da lábia manhosa e traiçoeira para o contribuintes. Esta personagem personifica a miséria de seres humanos que os líderes partidários colocam nas suas listas, mas que o povo não tem possibilidade de escolha, porque os paridos que estão no parlamento estão todos feito e são iguais uns aos outros no que toca ao saque de dinheiros públicos.

– Ora ai está uma maneira bastante interessante de governar aconselhando os cidadãos a emigrarem…trata-se de um sistema bastante inovador…

(até ao momento, são 128 os comentários inseridos sobre esta peça)

In Diário de Notícias online
21/12/2011
por Lusa

Governo prepara 2012 sob críticas cerradas


Conselho de ministros extraordinário

Ministros sem gravata à saída do conselho de ministros "informal"

Seguro reage duramente a entrevista de Passos e diz que só Governo “demissionário” mandaria emigrar; professores não poupam nas críticas e aconselham a ser o primeiro-ministro a deixar o País; distritais do PSD exigem fim da austeridade

Após dez horas a afinar a estratégia das reformas para um “ano difícil”, o conselho de ministros extraordinário de ontem, em Oeiras, acabou sem conclusões, como planeado. E enquanto os ministros se reuniam, na Figueira da Foz o líder da oposição ensaiava a resposta: António José Seguro acusou Passos Coelho de estar “apaixonado pela austeridade”.

Também a afirmação do primeiro-ministro, numa entrevista, de que emigrar é solução para evitar desemprego dos professores não ficou sem resposta, com o líder socialista a acusar Passos Coelho de estar “demissionário”, “passivo” e de “braços caídos”.

E para juntar às pressões sobre o Executivo, as distritais do PSD contestam agravamento da austeridade. Num almoço no Fundão, dirigentes sociais-democratas pediram ao Governo que comece a aplicar resultados dos sacrifícios.

In Diário de Notícias online
19/12/2011

Marcelo critica Passos: “Não pode convidar a emigrar”


Comentário

Marcelo Rebelo de Sousa juntou-se ao coro de críticas a Passos # Fotografia © Pedro Aperta / Global Imagens

O comentador Marcelo Rebelo de Sousa não poupou este domingo à noite o primeiro-ministro por este ter dito que os professores sem trabalho em Portugal devem procurá-lo fora do país. “Passos não pode convidar os portugueses a emigrar”, disse Marcelo, classificando as afirmações do primeiro-ministro como “graves”.

No seu habitual espaço de comentário no Jornal das 8 da TVI, Marcelo Rebelo de Sousa afirmou: “Atenção que ele [Passos] não é um comentador político, é o primeiro-ministro de Portugal”

“Se ele tem dito que há desemprego, mas o Governo está a tratar com as autoridades brasileiras e angolanas, no sentido de encontrar saída profissional, vocacional e pessoal, isso era bem dito. Agora como ele disse… Eu já disse o mesmo em relação a um secretário de Estado, mas é mais grave dito por um primeiro-ministro”, acrescentou.

“Os portugueses querem um primeiro-ministro que lhes diga: ‘Eu vou governar de tal maneira que não será preciso emigrar para o estrangeiro'”, disse ainda Marcelo.

In Diário de Notícias online
19/12/2011

Reformas só para ricos


Vem aí o plafonamento. Promessa do ministro que reconhece a impossibilidade da Segurança Social manter o nível de pagamentos que tem mantido até aqui. Os pensionistas, mesmo os que ganham apenas cerca de mil euros, já sabem que no próximo ano vão ficar sem duas das 14 prestações que lhes estavam prometidas. É só o começo, nunca mais na vida voltarão a receber o que receberam até aqui.

É a falência de um sistema sobre o qual não me canso de chatear os leitores do DN. E não, não é comigo que estou preocupado. Estou suficientemente informado para não acreditar em milagres. Ganho o suficiente para fazer opções. O que me preocupa é a desgovernação a que estão entregues os trabalhadores que confiam os seus descontos ao Estado.

O plafonamento é, aliás, uma coisa que serve os meus interesses particulares. Como o Estado não vai ter condições de me pagar sequer metade do valor para o qual desconto, eu estaria disponível para agradecer o facto de me irem obrigar a descontar apenas no valor do que se dizem disponíveis para me pagar, aumentando portanto o meu ordenado líquido. Mas não agradeço. Não agradeço, porque acredito no valor da solidariedade.

Sim, eu sou favorável a uma redução do tecto máximo para o valor das reformas. Sim, eu sei que não é possível pagar reformas de vários milhares de euros e sei também que nenhum pensionista precisa de reformas milionárias. Mas não, eu não acredito que o plafonamento ajude a resolver o problema da sustentabilidade do sistema de pensões. O tecto para os valores que o Estado deve entregar aos pensionistas deve existir, como já existe, e deve ser reduzido, mas a taxa deve ser aplicada sobre o total dos rendimentos. É que o dever de solidariedade social, que se aplica a todos (cristãos, crentes de outras religiões ou laicos), deve implicar que os mais ricos contribuam com mais para a sustentabilidade do sistema.

É uma falácia argumentar com o aumento da esperança de vida, como se o sistema de Segurança Social tivesse de estar baseado numa solidariedade intergeracional . Isso seria admitir que o nosso sistema de pensões deve funcionar como a Dona Branca, em que só é possível pagar a quem depositou se houver sempre quem deposite mais. À Segurança Social os trabalhadores confiam dinheiro que querem ver devolvido na velhice. Eu não devo precisar que as minhas filhas emprestem à Segurança Social para eu receber o que já emprestei. O Estado não nos faz nenhum favor, cumpre a sua obrigação ao devolver-nos o que lá pusemos. E eu até aceito que fique com uma parte por conta da sustentabilidade do sistema.

O plafonamento só vai garantir que os ricos em idade activa terão uma reforma na velhice, para todos os outros sobrará uma pensão de sobrevivência.

In Diário de Notícias online
18/12/2011
por PAULO BALDAIA

Comandante da polícia deseja “relações sexuais incríveis”


Coimbra

O Comandante da Polícia Municipal de Coimbra quis desejar um bom Natal aos funcionários da autarquia de Coimbra, mas enganou-se no anexo que colocou no mail. O presidente da Câmara já lhe instaurou um processo disciplinar.

A mensagem enviada esta manhã por Euclides Santos, comandante da Polícia Municipal de Coimbra, falava de saúde, paz e amor, como os tradicionais postais de Natal. Só que este, em vez de pinheirinhos ou símbolos natalícios, era ilustrado com imagens de mulheres seminuas. E, a determinada altura, lia-se “O que eu desejo de todo o coração é que tenhas relações sexuais incríveis”.

O e-mail seguiu para milhares de pessoas da autarquia e, claro, deu que falar. O comandante pediu desculpa e justificou a mensagem com um lapso no anexo colocado no e-mail.

Apesar disso, durante o dia chegou a falar-se na possibilidade de demitir o comandante. Esta noite, o presidente da Câmara de Coimbra, João Paulo Barbosa de melo, anunciou que lhe instaurou um processo disciplinar que visa “a defesa do bom nome da Polícia Municipal”.

In Diário de Notícias online
16/12/2011

Valor das reformas vai cair 50%


PEDRO PASSOS COELHO

Fotografia © Pedro Rocha / Global Imagens

O primeiro-ministro estima que quando atingir a idade da reforma o valor da sua pensão seja “sensivelmente metade” do que seria sem as alterações introduzidas pelo anterior Governo socialista no sistema de Segurança Social.

A estimativa de Pedro Passos Coelho consta de uma entrevista que será publicada este domingo pelo jornal Correio da Manhã.

Na entrevista, o primeiro-ministro, actualmente com 47 anos, foi questionado sobre que pensão espera receber quando chegar à idade de se aposentar e respondeu: “Sensivelmente metade daquela que existia antes de 2007. Talvez um pouco mais para todos aqueles que entraram na vida activa nos últimos dez anos, o que não é o meu caso, que entrei há bastante mais”.

Sobre o futuro do sistema de Segurança Social, Pedro Passos Coelho defendeu que o caminho passa pela introdução de “um pilar privado para efeitos de financiamento das reformas”, tendo como base a aplicação de um ‘plafond’ mais baixo às pensões a serem pagas pelo sistema público.

“Isso está inscrito no programa eleitoral do PSD” e “esse deve ser o caminho para o futuro. Isso acontece em outros países e acontece aqui ao lado em Espanha”, declarou na mesma entrevista.

Com esse novo sistema, de acordo com o líder do executivo, “qualquer que tenha sido a carreira contributiva, os pensionistas sabem que não obterão da Segurança Social uma pensão superior a um determinado valor e que, portanto, devem fazer aplicações (geridas ou não pelo Estado), de forma a terem uma pensão mais generosa do que está estabelecida”.

Pedro Passos Coelho admitiu que essa mudança no sistema de Segurança Social poderá vir a ser introduzida em Portugal, embora não a curto prazo. “Isso pode vir a acontecer, mas não está nas nossas intenções do curto prazo mexer nessa matéria”, advertiu.

Questionado se admite um aumento da reforma para os 67 anos, tal como acontece já actualmente em Espanha, o primeiro-ministro também a afastou esse cenário a curto prazo.

Pedro Passos Coelho apontou que a tendência europeia é a de aumentar o limite da idade da reforma, mas salientou que uma medida nesse sentido não está prevista no programa de assistência financeira a Portugal, que vigorará até 2013.

Interrogado se coloca a possibilidade de aumentar a idade da reforma depois de 2013, o primeiro-ministro respondeu: “Ninguém está em condições de falar no que vai acontecer daqui a três, quatro ou cinco anos”.

In Diário de Notícias online
17/12/2011
por Lusa

[aviso] – A mania destes gajos é continuarem a ir buscar exemplos ao estrangeiro, sempre que lhes interessa, menos para os exemplos dos ORDENADOS que se ganham nesses mesmos países! Quero lá saber do sistema de reformas que existem em Espanha, em França, na Alemanha ou em outros países europeus, se em Portugal o salário mínimo nacional e os salários médios dos trabalhadores são miseravelmente inferiores quando comparados com os desses países? BARDAMERDA! [/aviso]

E os burros somos nós!!!???

PS disponível para “rever” travão constitucional


Défice

Fotografia © Pedro Rocha

O primeiro-ministro revelou hoje, no último debate quinzenal do ano no Parlamento, que o PS se lhe mostrou disponível para “rever” a sua oposição à inscrição na Constituição de uma norma travão do défice.

O PS “transmitiu ao Governo” a posição de que “não havia razões” para inscrever na Constituição o dito défice mas, segundo Passos Coelho, acrescentou estar “disponível” para “rever argumentos” caso se “justificasse”. O primeiro-ministro adiantou ainda que se tivesse recebido do secretário-geral do PS, antes do último Conselho Europeu, um claro não, o teria comunicado aos parceiros europeus, impedindo-se assim que alinhar no acordo intergovernamental que resultou da reunião.

“Se de forma alguma tivesse dito que não estava disponível, teria dito em Bruxelas que o PS não aceitaria – e que nem [de forma] constitucional nem [de forma] para-constitucional”, acrescentou o primeiro-ministro.

Passos insistiu com Seguro para que este revelasse a posição do PS sobre esta matéria. Mas o líder socialista recusou-se a fazê-lo, dizendo apenas a Passos que este a conhecia, tendo-lhe sido comunicada em Setembro e, mais recentemente, na audiência que o PS manteve com o primeiro-ministro na véspera do último Conselho Europeu.

In Diário de Notícias online
por João Pedro Henriques
16/12/2011

[aviso]

– PS + PPD/PSD + CDS/PP = UMA GRANDE MERDA! Mas BE + PCP + VERDES não lhes ficam atrás…

[/aviso]

 

E os burros somos nós!!!???

Comportamento do Governo visa humilhar trabalhadores


CGTP e UGT

Fotografia © Lionel Balteiro / Global Imagens

A CGTP e UGT acusaram hoje o Governo de ter um comportamento “ignóbil” por ter enviado ao Parlamento a proposta de lei sobre o aumento da meia hora de trabalho diário, sem comunicar às confederações sindicais e patronais.

Esta tarde, numa reunião conjunta das duas centrais sindicais, na sede da CGTP, em Lisboa, esteve em discussão “aquilo que se consubstancia na proposta de lei que o Governo apresentou à Assembleia da República e cuja discussão pública, de uma forma provocatória e sendo uma tentativa clara de dar sinais de humilhação dos trabalhadores, vai estar em discussão pública no período de Natal e Ano Novo, até 19 de Janeiro”, afirmou Carvalho da Silva. Em conferência de imprensa, o secretário-geral da Intersindical considerou que “esta é uma posição inaceitável e ignóbil, que tenta humilhar quem trabalha, é uma ausência total de sensibilidade e de sentido de responsabilidade do Governo, mas acima de tudo o problema são os conteúdos concretos da proposta”.

Carvalho da Silva reforçou que se trata de “uma proposta de imposição de trabalho forçado, que parte de argumentos mentirosos no que diz respeito aos objectivos e impactos que isto tem sobre o emprego”. Referiu ainda que a proposta do aumento do tempo de trabalho “se sustenta numa falácia absoluta no que diz respeito aos argumentos económicos”. O secretário-geral da UGT, João Proença, afirmou, por seu turno, que a posição da central está em linha com a defendida pela Intersindical e enfatizou: “A proposta está de tal modo mal elaborada que tem de ser alterada na Assembleia da República”. João Proença condenou ainda o Executivo pelo facto de, “sem dar conhecimento aos parceiros sociais, avançar unilateralmente com a aprovação de uma proposta de lei que nunca foi discutida com os parceiros sociais e está totalmente fora do quadro da concertação social”.

A proposta de lei que “estabelece um aumento excepcional e temporário dos períodos normais de trabalho de trinta minutos ou de duas horas e trinta minutos por semana” foi aprovada a 07 de Dezembro em Conselho de Ministros, uma medida que o Governo afirma ser aplicável durante a vigência do Programa de Assistência Económica e Financeira a Portugal. Uma semana depois, ou seja, na quarta-feira, a proposta deu entrada no Parlamento, antes da discussão previamente agendada com os parceiros sociais para 22 de dezembro, em sede de concertação social. De acordo com a proposta do Governo, o horário de trabalho será aumentado em meia hora por dia e em duas horas e meia por semana “sem acréscimo de retribuição”. A medida aplica-se a todos os trabalhadores do setor privando e deixa de fora os trabalhadores de empresas públicas, bem como aos que são afetados pelos cortes salariais do Estado.

In Diário de Notícias online
16/12/2011
por Lusa

[aviso]  – O que ainda me admira, é que estes gajos ainda não se convenceram que estamos piores que no tempo do Estado Novo e da União Nacional… [/aviso]

Imposto sobre subsídio de Natal foi contrapartida


Paulo Portas

Fotografia © João Girão/Global Imagens

O ministro dos Negócios Estrangeiros, Paulo Portas, justificou hoje a sobretaxa sobre o subsídio de Natal como uma condição para a ‘troika’ aceitar a receita extraordinária da transferência dos fundos de pensões da banca.

“Foi necessário recorrer à sobretaxa sobre o subsídio de Natal deste ano para que o país desse um sinal claro de que pretende emendar as suas contas públicas e só nessa circunstância é que o triunvirato – o FMI e a União Europeia – aceitaram a receita extraordinária dos fundos de pensões”, afirmou Paulo Portas.

O ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros, que é presidente do CDS-PP, falava durante uma entrevista concedida à RTP em que reiterou que o Executivo deparou-se com um desvio nas contas depois de tomar posse.

“O Governo quando verifica as contas percebe que tem no primeiro semestre deste ano um desvio bastante significativo, à volta dos três mil milhões de euros. Significava que nós íamos direitinhos contra a parede, nós enquanto país”, disse.

Questionado se pode garantir que não haverá novos aumentos de impostos no próximo ano – além dos previstos no Orçamento – , Paulo Portas nunca respondeu directamente, salientando que o Governo terá de fazer “tudo o que estiver ao seu alcance para que a execução orçamental corra bem”.

Portas quis ser poupado em críticas ao líder do maior partido da oposição, o PS, argumentando que o “sentido de Nação” deve estar acima das “diferenças partidárias”.

“Nós temos que agir como uma só Nação e sem sentido de facção”, afirmou, sem nunca qualificar a postura de António José Seguro enquanto secretário-geral do PS.

Na entrevista, o ministro de Estado e líder do CDS-PP defendeu a actuação do ministro da Economia, Álvaro Santos Pereira, considerando que o presidente do conselho nacional do CDS, António Pires de Lima, não foi “razoável” nas críticas que dirigiu ao titular da pasta da Economia.

“É natural que os empresários, os gestores, que façam o seu papel e peçam mais medidas, mais actividade, mais políticas do ponto de vista da geração de crescimento económico”, afirmou.

Sobre o Presidente da República, Portas disse que as críticas de Cavaco Silva à falta de equidade fiscal das medidas do Orçamento baseiam-se num pensamento do Chefe de Estado que “não é uma novidade”.

“O Presidente da República tem a sua função, o Governo tem a sua função, não são o mesmo órgão de soberania, e para mim não é novidade esse pensamento, honra seja feita ao Presidente da República”, declarou.

O ministro dos Negócios Estrangeiros lembrou repetidamente que o momento que o país atravessa pede uma atitude de patriotismo e união.

“Nós vamos sair juntos, os mais velhos e os mais novos, as pessoas mais à direita e mais à esquerda, as pessoas mais do Norte e as pessoas mais do Sul, os portugueses que estão cá e os portugueses que estão fora”, afirmou.

In Diário de Notícias online
15/12/2011
por Lusa

[aviso] – ALDRABÃO, PARASITA, TRAFULHA, BASTARDO, OPORTUNISTA! [/aviso]

Novembro 2017
S T Q Q S S D
« Jun    
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
27282930  

Sondagem

REVISÃO DE TEXTOS



Todos os textos aqui inseridos, são corrigidos para a Língua Portuguesa de antes do acordo ortográfico.

Mentiroso…!!!

visitas

Map

visitas desde 17/08/2011

artigos interessantes…

... não só pelos conteúdos, como pelos comentários que demonstram o que esta canalha política no poder (e não só) merece da maioria dos portugueses...

- Diário de Notícias: Cavaco sublinha importância da coesão nacional

- Diário de Notícias: Electricidade da Madeira desmente novo 'buraco'

- Expresso: Jardim diz que não se arrepende do endividamento

Os responsáveis pela derrocada de Portugal

Mário Soares - 9 de Junho de 1983 - 6 de Novembro de 1985

Cavaco Silva - 6 de Novembro de 1985 - 28 de Outubro de 1995

António Guterres - 28 de Outubro de 1995 - 6 de Abril de 2002

Durão Barroso - 6 de Abril de 2002 - 17 de Julho de 2004

Santana Lopes - 17 de Julho de 2004 - 12 de Março de 2005

José Sócrates - 12 de Março de 2005 - 21 de Junho de 2011

Passos Coelho - desde 21 de Junho de 2011

promessas do passado…

C E N S U R A

A partir desta data e tal como já foi exercido com outro online, este Blogue deixará de inserir notícias publicadas no Correio da Manhã online, dado que ontem foram deixados 3 comentários naquele online que não foram publicados e que se encontravam completamente dentro das regras exigidas pelo jornal nesta matéria.

Notícias Bravas
12.09.2011

salários mínimos na Europa

Bulgária € 123,00
Roménia € 153,00
Polónia € 281,00
PORTUGAL € 525,00
Grécia € 628,00
Espanha € 728,00
Reino Unido € 1.010,00
França € 1.321,00
Bélgica € 1.387,00
Irlanda € 1.462,00
Luxemburgo € 1.642,00

valores calculados sobre 14 meses
(incluem férias e 13º. mês)

E já que falam tanto em colocar Portugal ao mesmo nível dos países da UE, esqueceram-se da igualdade do salário mínimo?

Portugal fora da U.E.

frases ao acaso…

- Impressionante como Portugal não apresenta novos quadros na política e no seu grande empresariado. Onde estão os jovens portugueses? Ouvir um mesmo Cavaco e Silva há mais de três décadas é dose. Um Mário Soares, um Ramalho Eanes (esse ainda está vivo?), é brincadeira. Juventude lusitana assumam logo seu país antes que esses incompetentes o levem à derrocada total. Vejo diariamente a SIC e fico impressionado com o quadro político que se apresenta do continente à Madeira e Açores. Os comentários intermináveis e inócuos no programa "Quadratura do Círculo". O nome diz tudo: Umas bestas quadradas vociferando asneiras em círculo que não levam a lugar algum. Triste ver a nação de Camões, da Escola de Sagres, da Universidade de Coimbra acabar assim.

- Este Governo age como autêntico capataz da Srª. Merkel e Sr. Sarkozy. É o próprio Governo a dizer que os Portugueses têm que fazer sacrifícios, tem que ir para além da troika, para a Srª Merkel e o Sr. Sarkozy ficarem satisfeitos. E para agradar aos olhos daquelas duas personagens, este Governo submete os Portugueses a uma política que não leva a lado nenhum se o objectivo é pagar a dívida. Mas como o que interessa é o sorriso das tais personagens, este Governo optou por medidas de fazer sangue e quando o faz há quem corra para junto de Merkel e de Sarkosy a perguntar se está bem assim ou querem com mais sangue? São pacotes de austeridade atrás de pacotes de austeridade, são impostos directos acompanhados com cortes de vencimentos e como ainda acham,o Governo, que os Portugueses ainda ficam com uns trocos para matar a fome lá vêm com impostos indirectos... O simples cidadão está ensanduichado e sufocado em impostos...
O que este Governo condenou o anterior está a fazer ainda pior e sem se importar com políticas sociais e económicas... O que interessa a este Governo é que Merkel sorria de satisfação, bata palmas a este espectáculo de circo romano onde os Portugueses foram atirados às feras. O Governo fica sempre satisfeito com o seu desempenho quando Merkel bate palmas!!!!
Não temos um Governo inovador para contornar a crise ao serviço dos Portugueses, temos sim um capataz/carrasco ao serviço de quem lhes passa as mãos pelas costas!

- O povo português não é todo estúpido, subserviente e ignorante, temos de calar esta gente sem escrúpulos que manda trabalhar e nada faz pelo país, gente vendida ao capitalismo internacional. A paciência tem limites e o desespero já começa a fazer comichão nas palmas das mãos, prontas para distribuir chapada por esta gentalha miserável e oportunista que reduziu uma nação soberana a uma coutada de meia dúzia de atiradores furtivos que gosta de gozar com a cara de quem ainda acredita no seu país. O melhor é mudarem de discurso senão tudo pode acontecer e os responsáveis por isso terão de fazer as malas e bater com os calcanhares no traseiro.

- Num País de aldrabões e corruptos, nada é demais!!... Vale tudo, até tirar olhos!!! Fazem o que querem e o Povo consente!!! Aqui é que está o mal!!... É o Povo consentir toda esta bagunça e esperar pelo dia D, da sua desgraça!!! Mas, alguma vez existe alguma legislação ou Lei ou seja lá o quê, credível neste País!!! Só nos resta a natureza que essa mão falha!!! Para o ano, serão também taxados os Subsídios de Férias e de Natal, até nos levarem à depressão e ao suicídio!!! Só a INSURREIÇÃO será a solução, nada mais!!! E O POVO PÁ!!!!

- "Portugal é hoje um paraíso criminal onde alguns inocentes imbecis se levantam para ir trabalhar, recebendo por isso dinheiro que depois lhes é roubado pelos criminosos e ajuda a pagar ordenados aos iluminados que bolsam certas leis".

- Farto deste sistema de merda que nos engole
Farto destes políticos a coçar os colhões ao sol
Farto de promessas da treta
Sobem ao poder metem as promessas na gaveta
Farto de ver o país parado como uma lesma
Ver as moscas mudarem e a merda ser a mesma
Farto de miséria, o povo na pobreza
Uns deitam a comida fora, outros não a têm à mesa
Farto de rótulos, estigmas e preconceitos
Abrir os olhos e ver que não temos os mesmos direitos
Farto de mentiras, farto de tentar acreditar
Farto de esperar sem ver nada a melhorar
Farto de ser a carta fora do baralho
Farto destes cabrões neste sistema do caralho
Não te iludas ninguém quer saber de ti
Todos falam da crise mas nem todos a sentem
Muitos com razão, mas muitos deles apenas mentem
Crimes camuflados durante anos a fio
Tavam lá todos eles mas ninguém viu
Não foi ninguém, ninguém fez nada,
E se por acaso perguntarem ninguém diz nada
Farto de ver intocáveis saírem impunes
Dizem que a justiça é para todos mas muitos são imunes
Dois pesos, duas medidas
Fazem o que fazem, seguem com as suas vidas
Para o povo não há facilidades
E os verdadeiros criminosos do lado errado das grades
Boss AC

- O povo português, mesmo com todos os seus defeitos e manias, não merece estar à mercê de uma classe política que só se importa consigo própria.
100editora.net

- Marinho Pinto é tipo ciclone... nunca se sabe que rumo e intensidade toma... Às vezes diz umas verdades...outras burrega em toda a linha. Perdeu na sua defesa do pagamento das defesas oficiosas. Os Advogados metiam "mesmo" a mão na massa, como a ministra já provou, como se verifica pela quantidade de casos descobertos. Agora Marinho ameaça , numa reacção pouco civilizada e imodesta. É o que temos neste país... Marinhos Pintos e João Albertos....

Jardim pede independência da Madeira - Há pouco mais de 5 séculos 2 intrépidos navegadores,João Gonçalves Zarco e Tristão Vaz Teixeira, cobriram de glória o nome de Portugal, abrindo as portas à grande epopeia dos Descobrimentos Portugueses. Contrariamente ao que diz o apátrida Jardim, atraiçoando a memória destes grandes portugueses, a Madeira nunca foi COLONIZADA, por ser um arquipélago sem ocupação humana, à data da descoberta.
Esta última e miserável declaração desta ingrata personagem conduz-nos a uma situação sem retorno e exige a realização de um REFERENDO que nos permita saber se os portugueses da Madeira querem manter a sua condição de PORTUGUESES – com todas as obrigações e direitos –ou se, pelo contrário, querem embarcar num navio à deriva, que rapidamente afundará, conduzido por um rasca aprendiz de marinheiro que condenará a população da Madeira a um futuro pouco risonho.

- No exterior são muitas as vozes - Martin Feldstein, George Soros são dois exemplos - que consideram provável que Portugal acabe por sair do euro pelo seu pé, uma vez que não terá condições de aguentar tanta austeridade ou de crescer com as regras do euro, orientadas para economias fortes. Esta semana, em entrevista à SIC, o economista João Ferreira do Amaral - crítico da entrada de Portugal no euro - apontava que vista de fora, sem o envolvimento com o país, a situação insustentável seria fácil de observar.

- Chamar merceeiros a estes "gestores/economistas" de pacotilha, é ofender seriamente os verdadeiros merceeiros...

- Hoje não há uma notícia que nos deixe reconfortados e o problema é só um: o mundo neoliberal em que nós mergulhámos deixou-nos neste estado de pura desgraça. Cavaco começou esta pouca vergonha em Portugal: ele o timoneiro e os seus comparsas. Gente sem categoria nenhuma pouco cultos sem inteligência que vieram dos montes para singrarem na cidade e na política onde se consegue um bom emprego a não fazer nada e depois conseguir-se um grande lugar numa empresa ou em várias. É uma alegria: pessoas com 5 e 6 reformas. Eu sei. Dinheiro muito dinheiro da CEE mal gerido e desperdiçado nas mãos de gente nada séria.Uma máfia. BPN, BPP, MADEIRA. Os portugueses a pagarem as vigarices do homem que quer passar a imagem de honesto mas que a mim nunca me enganou.

- O 25 de Abril tem sido um paraíso fiscal para estes políticos Gatunos que deixam as famílias portuguesas falidas e eles Milionários...!!!

- Votar, em Portugal, já não é democrático, é consentir que o crime de corrupção prolifere sem limite. Podemos travá-los? Sim...
Sem o teu voto, eles não são nada!

- "O País entrou no bloco operatório para fazer uma lipoaspiração e, devido a um erro clínico, saiu de lá sem um rim e com um braço a menos"

- Paulo Macedo, esse grande herói da Direcção-Geral dos Impostos, com vasto currículo na Saúde, quer, por exemplo, economizar nos transplantes. Muito bem. Toda a gente sabe que essas operações são meros caprichos e que, frequentemente, as listas de cirurgia estão cheias de utentes que querem mudar de fígado só porque o que tinham estava fora de moda.

- O ministro também anunciou que o Estado deixará de comparticipar a pílula, sem dúvida uma excelente maneira de combater o aborto. O mesmo caminho segue a vacina contra o cancro do colo do útero e os medicamentos para asmáticos, esses malandros que querem respirar à borla.

- Com menos portugueses e mais asfixiados, certamente o Estado terá menos despesas. Confirma-se: não há vida além do défice.

Porque é que as dívidas de particulares aumentam?

Existem por aí uns economistas de capoeira, a mandarem bitaites sobre os "calotes" que as famílias pregam à banca e às "sociedades financeiras" que designo de "mercearias de dinheiro fácil" sem terem em linha de conta, na maioria dos casos, do porquê de tal situação.
O Dr. Paulo Morais em meia dúzia de frases, sintetizou os porquês dessa situação e eles são, principalmente:

- Ganância irresponsável de uma Banca usurária.
- Quando se vulgarizaram, o crédito ao consumo e os empréstimos pessoais pareciam uma solução fácil. Um embuste colossal.
- As empresas de crédito ao consumo lançaram milhões num inferno. Prometiam taxas de juro que eram já de si elevadas. Mas a estas acresceram comissões, seguros, impostos e outros assaltos. Obrigam assim os clientes ao pagamento de taxas anuais efectivas de encargos (a famosa TAEG) de quase 30 por cento. Em famílias de escassos recursos, estes empréstimos provocaram a insolvência.
- Ao longo de anos, as autoridades de supervisão bancária nada fizeram. Sucessivos governos deixaram os consumidores de produtos financeiros à mercê das verdadeiras sanguessugas que são as sociedades financeiras de “apoio” (?!) ao consumo e de concessão de crédito pessoal.
- Há que tentar perceber a ausência de intervenção do Banco de Portugal e até a inércia do Ministério Público, incompreensível, uma vez que a usura em Portugal constitui crime. De seguida, baixar compulsivamente as taxas, repondo a equidade.

Nem o Banco de Portugal, nem o Ministério Público, nem os (des)governos, todos eles, em conjunto, alguma vez puseram cobro a esta USURA que, como Paulo Morais diz, constitui CRIME em Portugal.

A.C.A.M.

União de Doentes com Cancro em risco de fechar

A União Humanitária dos Doentes com Cancro (UHDC) anunciou hoje que corre o risco de encerrar devido à redução de donativos e apela às dádivas dos portugueses para poder continuar a apoiar estes doentes e os seus familiares.
Em comunicado enviado à agência Lusa, a UHDC refere que, "devido à crise e consequente drástica redução de donativos", está a "passar por graves dificuldades económicas".
Nas contas da UHDC está já com um saldo negativo de 27 mil euros, relativo a 31 de Agosto, valor que a organização precisa reunir até final do ano, "de modo a garantir o pagamento de salários e a prossecução de todas as suas actividades de apoio a doentes com cancro e seus familiares, nomeadamente, a Linha Contra o Cancro e o Núcleo de Apoio ao Doente Oncológico".
A União Humanitária dos Doentes com Cancro apela aos contributos da população (empresas e particulares), disponibilizando a conta da organização no Montepio com o NIB: 0036 0216 99100077363 22.
Esta associação - que tem como primeiro objectivo apoiar os doentes com cancro e seus familiares, mediante a prestação de diversas valências de apoio, inteiramente gratuitas - promove anualmente uma campanha de angariação de fundos, de modo a garantir a sua sustentabilidade, tendo registado este ano uma redução de cerca de 30 mil euros face à campanha do ano passado.
Esta redução de fundos "coloca em causa a sobrevivência da associação", lê-se no comunicado.

inquérito Diário Digital

Inquérito JN 500 euros aos alunos

Inquérito JN sobtre quebra de proditividade

Inquérito JN – Taxa para financiar bombeiros

Inquérito J.N. desvio contas Madeira

aldrabices de algibeira

"Ninguém nos verá no Governo a impor sacrifícios aos que mais precisam apenas para fazer de conta que está tudo bem, se as coisas não estiverem bem, nós teremos de dizer que aqueles que têm mais, têm de ajudar mais os que têm menos em Portugal".
Passos Coelho
In JN de 2011-06-01

"A Grécia pediu ajuda e falhou. E sabem o que é que pode acontecer? Pode não haver mais ajuda externa. Não é a Europa que pode estar em causa com o Euro. São os gregos que podem ficar de fora da Europa e podem sofrer o que não é justo que sofram", disse, num paralelo com o que pode vir a acontecer a Portugal, se não houver um Governo "forte e coeso".
"Nós não podemos ter um Governo que faça de conta, que minta".
"Não percam tempo com quem já sabe que fracassa, dêem força a quem pode ganhar Portugal", pediu, apelando a que, numa "altura histórica" como a que Portugal vive, os portugueses não votem num Governo que "pode deitar tudo a perder".
Para além de ter dito: GOVERNAR PORTUGAL É IR AO POTE!
Passos Coelho
In JN de 2011-05-29

“O líder do PSD, Pedro Passos Coelho, garantiu hoje que, se ganhar as eleições, “não vai mexer nas taxas de IVA” e que pretende recolher mais dinheiro dos impostos “alargando a base”. “Eu já tive ocasião de dizer que o PSD, e eu próprio, não vamos mexer naquilo que são as taxas de IVA que estão previstas, nomeadamente no acordo que foi estabelecido com a União Europeia e o Fundo Monetário Internacional. Nós vamos ter de recolher mais dinheiro dos impostos alargando a base, que não aumentando ou agravando as taxas do imposto”, disse.”<
Passos Coelho falava numa acção de campanha em Valença do Minho, durante a qual ouviu as preocupações dos comerciantes e dos autarcas locais sobre a disparidade já existente entre o IVA em Portugal e em Espanha.”
In LUSA/SOL 30 de Maio de 2011

A 01.Abr.2011, Passos Coelho GARANTIU a uma aluna de uma escola de Vila Franca de Xira que NÃO IRIA MEXER NO SUBSÍDIO DE NATAL 2011...!!!

C A R R I S

15% de aumento nos títulos de transporte resultaram na continuidade dos maus serviços prestados aos utentes!
Equipamentos de ar condicionado, em pleno Agosto, com temperaturas exteriores mais frescas que dentro das viaturas porque o AC está DESLIGADO! 80% dos motoristas devem ser alérgicos ao AC pois pela janelinha do lado deles entra corrente de ar, ao passo que os que pagam o seu título de transporte vão numa de sauna forçada!
E como isto é um País de mansos, onde ninguém protesta, a estória continua diariamente... E não esqueçam, seus pategos, que em Janeiro está previsto novo aumento de tarifário...!

arquivo

Blog Stats

  • 185,878 hits

top de classificação

Indique o seu endereço de email para subscrever este blog e receber notificações de novos artigos por email.

Junte-se a 26 outros seguidores

autores

Flickr Photos